segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

O AMIGO DOS PECADORES


"Não se deixem enganar: as más companhias corrompem os bons costumes". (1 Coríntios 15:33)
Os evangélicos adoram usar esse versículo fora de seu verdadeiro contexto para pregar que os cristãos não podem ter amigos do mundo (amigos pecadores). O Jesus da Bíblia (não o "Hippie e grande pacifista" que pregam por aí, porque esse não é o Jesus das Escrituras) deve ser o "pecador-mor" porque Ele só andava com os pecadores (o Jesus da Bíblia era conhecido como o "AMIGO DOS PECADORES”). O Jesus da Bíblia abominava os fariseus, ou seja, Cristo sempre teve aversão aos "religiosos santarrões" que se acham mais "santos" e melhores do que os outros (esses tolos pensam que podem alcançar a Salvação por meio das obras, sendo que a Salvação é somente pela Graça). Há diferença entre santidade bíblica e legalismo religioso (doutrinas que são preceitos dos homens, e não Mandamentos bíblicos). Já estou farto dos "bordões", "chavões" e "frases clichês" dos evangélicos, porque estudar a Bíblia, a Palavra de Deus (Teologia), que é bom, nada, não é? Jesus veio salvar os pecadores, e não os "santos". A Salvação depende exclusivamente de reconhecer o sacrifício de Jesus na Cruz, e não do seu falso moralismo e religiosidade hipócrita, seus fariseus. (Filipe Levi)

Nenhum comentário: