sábado, 17 de outubro de 2015

PANDEMIA


“Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. Todo atleta em tudo se domina; aqueles para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. Assim corro também eu, não sem meta; assim luto, não como desferindo golpes no ar. Mas esmurro o meu corpo, e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado”. (1 Coríntios 9:24-27)
            O apóstolo Paulo nesse trecho da Bíblia se referiu à corrida esportiva e também ao Pancrácio (arte marcial grega). Assim, como Paulo sempre usou o serviço militar como bom exemplo para a vida cristã, ele também se referiu ao esporte como bom exemplo a ser seguido pelos crentes em Jesus. O contexto desse capítulo não é a demonização do esporte, pelo contrário, é o lado positivo do esforço dos atletas em alcançar a sua meta nos campeonatos. Esse contexto ensina exatamente o que as artes marciais sempre ensinaram, que o verdadeiro guerreiro deve lutar contra si mesmo, ou seja, que o homem deve dominar a sua própria natureza (exatamente o que Paulo ensina nesse capítulo). O contexto desse capítulo é a luta contra o pecado, isto é, é a batalha que todo servo de Deus deve travar contra a sua própria natureza pecaminosa.
“Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei”. (1 Coríntios 15:55-56)
A epidemia viral se alastra sobre a Terra, dizimando incontáveis pessoas. O pecado começa doce, de salgado, então, se torna amargo. O pecado sempre engana com uma boa aparência, mas o seu final é de morte. Eu tenho sofrido muito com as tentações, porque onde eu olho somente vejo seios e bundas de mulheres. Sou bombardeado pela mídia. Eu evito assistir televisão, mas o pouco que assisto já sou tentado. Quando mexo na Internet sou bombardeado pela sensualidade (mesmo contra a minha vontade). Quando saio na rua vejo mulheres formosas vestidas de forma sensual. É muito difícil dizer não para o pecado. O desejo do meu coração é fazer a vontade de Deus, mas está muito difícil resistir às tentações.
“Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação, e por fim a vida eterna; porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor”. (Romanos 6:22-23)
Como o apóstolo Paulo ensinou na Bíblia, o salário do pecado é a morte. As pessoas que vivem na prática do pecado são mortas espiritualmente, ou seja, são como zumbis que vagam por aí sem almas infectando outras pessoas. O pecado mata as pessoas aos poucos até destruí-las totalmente. O pecado sempre começa como uma coisa aparentemente agradável e coerente, mas esse vírus maldito escraviza os homens os transformando em verdadeiras bestas selvagens. O pecado é bestial, e coitado do ser humano que se tornar escravo dele. O pecado afasta os homens de Deus, e condena os seres humanos a morte eterna, isto é, ao Inferno. Quero deixar bem claro que há diferença entre cair em pecado e viver em pecado. A Salvação é pela Graça, e não pelas obras. Portanto, os cristãos não perdem a Salvação se pecarem (refiro-me aos verdadeiros cristãos), até porque Jesus Cristo sofreu e morreu numa cruz justamente, porque todos nós somos pecadores. Se nós não pecássemos, não haveria necessidade de Jesus morrer na cruz, por isso, Cristo morreu e ressuscitou, para que o seu sangue nos purifique de todo o pecado.
“O que só prevalece é perjurar, mentir, matar, furtar, e adulterar, e há arrombamentos e homicídios sobre homicídios”. (Oséias 4:2)
O pecado gera a maldade e a perversidade, pois os homens se tornam em monstros sanguinários que perdem muitas vezes o discernimento do que é certo ou errado, mas também muitos deles optam pelo que é errado conscientemente. Os crimes bárbaros e a crueldade são apenas conseqüências da depravação total, ou seja, quando os homens estão tão contaminados pelo pecado que eles não são mais capazes de praticar o bem. O pecado endurece o coração do homem, o tornando num verdadeiro demônio sem sentimentos. A vilania toma conta dos corações dos seres humanos que não conhecem a Deus, porque esse vírus maldito cega as pessoas de tal maneira que elas não conseguem mais enxergar. Pessoas boas se tornam em criaturas bestiais por causa do pecado; e elas perdem a capacidade de amar. O pecado é brutal; e não tem piedade de ninguém.
“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”. (João 11:25)
Descobri que a cura para o pecado é Cristo. O sangue de Jesus é a cura. Por isso, Jesus Cristo se sacrificou por nós, para que possamos ser libertos da opressão do pecado e vivermos eternamente com Ele. A Salvação é de graça, e a cura para esse vírus chamado pecado também. Jesus Cristo pode nos libertar do pecado. Basta ter fé.
“Senhor, Deus da minha salvação, diante de ti tenho clamado de dia e de noite. Chegue a minha oração perante a tua face, inclina os teus ouvidos ao meu clamor. Porque a minha alma está cheia de angústias, e a minha vida se aproxima da sepultura. Já estou contado com os que descem à cova; estou como um homem sem forças, posto entre os mortos; como os feridos de morte que jazem na sepultura, dos quais te não lembras mais; antes, os exclui a tua mão. Puseste-me no mais profundo do abismo, em trevas e nas profundezas”. (Salmo 88:1-6)
Estou sofrendo muito ultimamente. Na verdade, desde os meus doze anos venho pedindo para Deus me matar. A dor que sinto em meu coração é tão grande, que acho que não irei suportar. A angústia que me assola por dentro é implacável. Tenho estado até desanimado de orar e ler a Bíblia. Eu adoro orar, e amo a Palavra de Deus, mas estou imensamente triste e melancólico, e não sei até quando irei agüentar. Realmente, acredito que não nasci para ser feliz, pois nunca tive sorte na vida. A única coisa que posso dizer que é sorte é a amizade dos meus queridos e amados amigos. Se ainda não me suicidei, é porque os meus amigos sempre foram os alicerces de minha existência. Quase todos os meus amigos são cristãos e dão bom exemplo. Eles são íntegros e corretos. Por isso, eu os admiro.
 “Até quando te esquecerás de mim, Senhor? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto? Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo? Atenta em mim, ouve-me, ó Senhor, meu Deus; alumia os meus olhos para que eu não adormeça na morte; para que o meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele; e os meus adversários se não alegrem, vindo eu a vacilar. Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação, meu coração se alegrará. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito bem”. (Salmo 13:1-6)
Por incrível que pareça, eu ainda acredito que Deus pode me ajudar (isso se Ele quiser é claro). Não sei se Deus quer ter misericórdia de mim, pois tenho dado muitas mancadas com Ele. Eu sempre piso na bola com Deus, e não sei se Ele quer me perdoar. Estou muito arrependido, e sinto muito remorso, mas não consigo me libertar dos pecados que me escravizam. Quem me dera se eu conseguisse viver plenamente a vontade de Deus. O meu sonho é um dia me encontrar realmente com Deus, e viver uma vida plenamente santa, livre da escravidão do pecado. Estou vivendo em uma época de escuridão e trevas.
Estou muito decepcionado com as redes sociais. O Orkut me decepcionou muito no passado, mas nada se compara as decepções que tive com o Facebook e o Twitter. Eu desadicionei algumas pessoas do meu perfil do Facebook (pessoas que apenas me traziam tristeza e não acrescentavam nada na minha vida). Parei de seguir pessoas também no Twitter, que também somente me causavam sofrimento. Agora, as pessoas interessantes que conversavam comigo no Facebook desapareceram, pois elas estão muito ocupadas estudando. Infelizmente, eu sou um desocupado, para não dizer coisa pior. Eu procuro emprego, mas não encontro nenhum emprego da minha categoria (digo, que não seja trabalho de burro de carga). Eu sou graduado em História, ou seja, eu tenho formação de historiador e de professor, e na boa, eu me recuso a ficar trabalhando de limpar privada ou algo parecido (não estudei para isso). Não quero ser professor, porque os professores são muito desvalorizados neste país (principalmente, neste Estado). Eu poderia trabalhar como historiador, mas não têm muito campo de pesquisa aqui no Brasil, ou seja, eu sou mais um historiador desempregado. Não sou ganancioso, pois não tenho amor ao dinheiro, mas gostaria muito de trabalhar em algo que me desse prazer (e, que, principalmente, eu não seja explorado, como aconteceu em empregos anteriores). O último lugar onde eu trabalhei (a Oxford) foi um bom lugar e o meu chefe era um homem muito bom e íntegro. O meu sonho mesmo era trabalhar em criar jogos de videogames, pois adoro videogame, mas ainda não tive oportunidade de trabalhar nessa área.
Eu tenho tido sérios problemas com a promiscuidade e a depravação sexual devido a minha ociosidade. Os crentes hipócritas somente sabem me acusar, mas eu bem sei que esses safados pecam escondidos fazendo coisas muito piores do que eu (eu, pelo menos, sou sincero com Deus, ao contrário, desses falsos moralistas). Desejo do fundo do meu coração fazer a vontade de Deus, mas está muito difícil. Eu sei que fui criado para um propósito. Que devo cumprir com o propósito de minha existência. Só irei partir quando a minha obra estiver completa. É tão difícil viver de acordo com os preceitos de Deus e lutar contra a minha própria natureza.
            Já estou cansado dos “chavões evangélicos” de sempre, tipo “Jesus está voltando”, ou “é o fim dos tempos”, ou “o mundo jaz no maligno”, ou “a tendência é piorar mesmo”, ou “não julgueis”, ou ”os filhos das trevas são mais prudentes que os filhos da luz”, ou “não toqueis no ungido do Senhor”. Na boa, já estou farto desses crentes sem assunto que não tem o que fazer. Sabe, vão ler a Bíblia (estudar Teologia de verdade), ao invés, de ficarem pregando besteiras e colocando palavras na boca de Deus que Deus nunca disse. É crente que faz greve de fome e diz que é jejum. É crente que determina as coisas para Deus como se Deus fosse empregadinho dele. É crente que pensa que Deus é banco e que só quer arrancar dinheiro d’Ele. É um bando de crentes interesseiros isso sim. Sinceramente, sempre quis diferente deles e espero ser um cristão muito melhor do que esses religiosos que levam a Deus na brincadeira.

Nenhum comentário: