domingo, 29 de dezembro de 2013

FÉ NO HOMEM


“A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo”. (Tiago 1:27)

Descobri na minha mocidade que religião nenhuma salva ninguém, mas somente Jesus Cristo pode salvar os homens. Nem a religião evangélica tem o poder de salvar alguém. Não sou crente, tampouco evangélico, mas sou cristão. A minha religião é o amor e a indignação contra o mal. Não me conformo com a injustiça. Não me omito diante da maldade. Realmente, sou diferente da maioria das pessoas e do senso comum.

A maioria gritante das pessoas apenas sabe generalizar condenando todos os seres humanos de todos os setores da sociedade. Na verdade, enxergam que somente elas mesmas são boas e perfeitas, ou seja, o típico ser humano que apenas sabe olhar para o próprio umbigo. Conheço historiadores e sociólogos que são extremamente hipócritas, porque eles próprios não acreditam no que pregam, pois eles mesmos não acreditam na política e na humanidade.

Realmente, eu acredito que tanto Auguste Comte quanto Karl Marx eram homens bons que queriam mudar o mundo cada um de sua maneira. Acredito também que Friedrich Hegel também era um homem bom (ele era um irmão em Cristo) que desejava tornar o mundo num lugar melhor para se viver. Independente da vertente científica que defendiam, eles foram homens bons que almejavam ajudar a raça humana. 

Quase todos os políticos são corruptos, mas existem alguns honestos que querem trabalhar em favor do povo e fazer a diferença. Muitos policiais são repressores e corrompidos, mas também existem policiais honestos que arriscam as suas vidas para proteger os inocentes, não por dinheiro, mas por amor a profissão. Muitos militares são opressores e truculentos, mas existem militares que são bons e pacíficos que lutam pela paz. Muitos médicos e enfermeiros são egoístas e mesquinhos, mas existem profissionais da saúde que realmente se importam com os seus pacientes. Existem incontáveis religiosos hipócritas (principalmente, evangélicos), mas também têm muitos religiosos que verdadeiramente amam os seus semelhantes como a si mesmos, e amam a Deus acima de todas as coisas.

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá”? (Jeremias 17:9)

O ser humano é ruim por natureza, mas existem pessoas que vão contra a sua própria natureza, e ousam praticar o bem. Pessoas, como Mahatma Gandhi, Madre Teresa de Calcutá, Martin Luther King, Nelson Mandela, Desmond Tutu, Siddhartha Gautama, Che Guevara, e muitas outras não apenas fizeram a diferença, mas foram à diferença. A pessoa para ser boa, necessariamente não precisa ser cristã, mas basta ter um coração bom. Claro, que a Salvação não é pelas obras, mas, sim, pela Graça. Mas, os seres humanos podem ser bons e amar os seus semelhantes, independente de sua religião.

“Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo”. (Provérbios 3:27)

A Bíblia, o Livro Sagrado inspirado pelo Espírito Santo, condena a omissão diante do mal, e prega que nós, servos de Deus, temos o dever e a obrigação de praticarmos o bem, e de não nos omitirmos perante a maldade.  Há diferença entre amor e omissão. Há diferença entre ser cristão e ser idiota.

“Erga a voz em favor dos que não podem defender-se, seja o defensor de todos os desamparados. Erga a voz e julgue com justiça; defenda os direitos dos pobres e dos necessitados”. (Provérbios 31:8-9)

A própria Palavra de Deus nos ensina que devemos proteger os indefesos, isto é, defender os fracos e oprimidos. Geralmente, as religiões nos ensinam que devemos amar e ajudar os semelhantes. Muitos ensinamentos budistas são parecidos com os ensinamentos judaicos e cristãos. Há muito que aprender com as outras culturas. Nós devemos reter de tudo o que é bom. Eu acredito no homem. Eu acredito que o homem pode ser bom. Devemos ter fé em Deus em primeiro lugar, mas também precisamos ter fé no homem. O ser humano pode ser bom. Existem pessoas verdadeiramente boas. Tenham fé em Deus. Tenham fé no homem. Tenham fé na vida. O mundo pode melhorar, basta, ter fé e atitude. Ainda há esperança para o mundo.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

MENSAGEIROS DE DEUS


Neste texto, pretendo contar sobre os homens que me inspiram a fazer a vontade de Deus, e divulgar as mensagens do Altíssimo para o seu povo, a Igreja. No Antigo Testamento, muitos homens foram levantados por Deus para alertar o seu povo sobre os pecados da idolatria e da prostituição, ou seja, o sincretismo religioso e a imoralidade que muitas vezes dominaram Israel (Reino do Norte) e Judá (Reino do Sul). Quero cumprir o meu papel de emissário de Deus, que é alertar a Igreja sobre os seus pecados, isto é, a sua desobediência a Deus. Ser profeta de verdade não é dar “profetadas”, mas é alertar o povo de Deus sobre os seus pecados que tanto o afastam d’Ele.

Os profetas mais famosos e que mais gosto são Samuel, Isaías, Jeremias, Ezequiel, Daniel, Elias, e Eliseu. Neste artigo, pretendo contar os pontos principais das vidas desses grandes homens de Deus, que não apenas fizeram a diferença, mas foram à diferença. Os antigos profetas exortavam o povo de Deus, e nós, cristãos, devemos fazer o mesmo nos dias de hoje.

Samuel foi um homem muito digno e honrado, que ao contrário dos filhos de Eli (sumo sacerdote do Templo), Hofni e Fineias, que desagradaram o coração de Deus, ele obedecia todos os Mandamentos do Senhor. Deus se revelou a Samuel, quando ele ainda era muito novo, para mostrar qual seria o fim de Eli e sua casa. Samuel ungiu os dois primeiros reis de Israel, Saul e Davi. O primeiro se corrompeu e teve um fim trágico (ele se suicidou depois de ser derrotado numa batalha). O segundo serviu ao Senhor até o fim dos seus dias. Davi andou segundo o coração de Deus, e foi o maior rei da história de Israel. Jesus Cristo é descendente de Davi, e um dia, Ele retornará, e estabelecerá o seu Reino de paz e de justiça na Terra. Samuel foi o último dos Juízes e o primeiro dos profetas.

Isaías foi um grande profeta que profetizou sobre grandes impérios como a Assíria e a Babilônia. Israel se aliou a Síria para resistirem ao domínio da Assíria, mas os assírios os derrotaram. O Reino do Norte foi destruído e muitos israelitas foram levados cativos. A Assíria foi derrotada pela Babilônia, que depois se tornou a maior potência militar da época. Isaías profetizou sobre a libertação dos judeus que sofreriam com o cativeiro babilônico que duraria setenta anos. Deus revelou para esse profeta que Ciro, o Grande, nasceria, cresceria, e reinaria sobre os medos e os persas. Ciro, liderando os medos e os persas, derrotou os babilônios, libertando os judeus do cativeiro. Isaías havia profetizado sobre Ciro muito tempo antes dele nascer. Ciro quase foi morto quando criança pelo seu avô, mas ele foi salvo por um pastor de ovelhas. O filho da união de duas nações derrotaria a Babilônia e libertaria o povo de Deus da opressão. Isaías realizou muitas profecias e foi usado grandemente por Deus. Provavelmente, Isaías foi martirizado sendo serrado ao meio.

 Jeremias é o profeta da Bíblia com quem eu mais me identifico, pois ele era melancólico e depressivo (além de não ter se casado), assim, como eu. Jeremias tentou alertar os judeus sobre o julgamento divino que viria através do exército de Nabucodonosor, rei dos caldeus. O rei Zedequias, viu os seus filhos serem assassinados diante dos seus olhos, e depois foi cegado. Os príncipes, que tanto perseguiam Jeremias, foram castigados e depois mortos. Jeremias amava o seu povo, mas o seu povo o desprezou, preferindo dar ouvidos aos falsos profetas que pregavam o que o povo queria ouvir. O Templo de Jerusalém foi saqueado, e inúmeros judeus foram levados cativos.

Ezequiel também foi um grande profeta que deu esperança para os cativos dizendo que um dia eles seriam libertados e teriam o seu reino restaurado. Ezequiel estava cativo, mas tinha esperança de que o seu povo um dia voltaria a ser livre.

Depois da queda do império assírio, o Egito, governado pelo Faraó Neco, e as forças babilônicas, disputavam por territórios. Ezequiel viveu durante esse período. Israel e Judá pecaram, porque preferiram confiar em outros reinos do que em Deus, e o Altíssimo usou a Assíria para punir o Reino do Norte, e a Babilônia para castigar o Reino do Sul. O povo de Deus deve depositar a sua confiança somente n’Ele.

Ezequiel teve a visão do Vale de Ossos Secos, que gosto muito. Esse profeta apesar de ter sido levado cativo pelos babilônios, não perdeu a esperança. Ezequiel teve intimidade com Deus, assim, como os outros profetas tiveram.

Daniel e seus amigos, Hananias, Misael, e Azarias, foram levados cativos ainda jovens para a Babilônia. Eles se tornaram grandes políticos, que eram honestos e íntegros (bem que os políticos brasileiros poderiam seguir o mesmo exemplo).

Os amigos de Daniel foram lançados numa fornalha ardente, porque se recusaram a adorar a estátua de Nabucodonosor. O rei da Babilônia ordenou que se esquentasse o fogo da fornalha sete vezes mais, depois que esses políticos de Deus o afrontaram, se negando a adorar a estátua. Os melhores soldados do exército babilônico amarraram os amigos de Daniel, e os jogaram na fornalha ardente. Deus matou os guerreiros que lançaram Hananias, Misael, e Azarias na fornalha, e os livrou milagrosamente. Daniel interpretou os sonhos de Nabucodonosor, e prosperou muito no seu reino.

Quando Nabonido estava reinando no lugar de Nabucodonosor, ele decidiu estudar História e religião em outra nação, e Belsazar, seu filho, reinou em seu lugar. Belsazar profanou os cálices e objetos do Templo de Deus que tinham sido levados pelo seu avô para a Babilônia, e, por isso, Deus decretou a derrota dos babilônios através dos medos e dos persas. Uma mão descarnada escreveu defronte do candeeiro, a condenação do reino babilônico. Daniel interpretou o que estava escrito, e naquela mesma noite, os medos e os persas invadiram o reino, e Belsazar, o rei dos caldeus, foi assassinado.

Daniel se tornou o governador-geral da Babilônia, e por inveja de seus inimigos políticos, o rei Dario, o Medo (talvez, fosse um tio de Ciro, o Persa, ou Gobrias, um general babilônico que desertou e se aliou a Ciro), foi obrigado pelas leis dos medos e dos persas, que não podiam ser revogadas, a condenar Daniel à morte (contra a sua própria vontade). Deus livrou Daniel dos leões, e os seus inimigos políticos e suas famílias, foram jogados na cova dos leões em seu lugar, e as feras os destroçaram. Daniel prosperou nos reinados de Dario, o Medo, e de Ciro, o Persa.

Elias foi um grandioso profeta que profetizava nas épocas dos reinados de Acabe e de Jorão. Jezabel, a rainha, esposa de Acabe, mãe de Jorão, era a sua maior inimiga. Elias desafiou os profetas de Baal, e os envergonhou, exaltando o Nome do Deus Vivo. Elias profetizou o fim da casa de Acabe e a morte de Jezabel. A parte que mais me emociona na Bíblia (além da sarça ardente, quando Deus falou com Moisés) é quando Deus fala com Elias no Monte Horebe. Elias havia se escondido dentro de uma caverna, e desejava ardentemente morrer, porque estava deprimido (outro profeta com quem eu me identifico bastante). Elias, como todos os verdadeiros profetas, era amigo de Deus. Elias criticava muito o sincretismo religioso que predominava em Israel (o povo queria adorar a Deus e a Baal ao mesmo tempo. Em outras épocas, o povo queria cultuar a Deus e a Moloque ao mesmo tempo também). Os israelitas somente ouviam os falsos profetas que pregavam o que eles queriam ouvir. Elias foi arrebatado sem conhecer a morte, mas antes, ele ungiu Eliseu, profeta em seu lugar.

Eliseu também foi grandemente usado por Deus. Naamã, o comandante do exército da Síria, foi curado da lepra. Os soldados sírios foram cegados. Pessoas foram curadas e ressuscitadas. Pessoas que zombaram do profeta foram estraçalhadas por ursos. Jorão, rei de Israel, e Acazias, rei de Judá, assim, como Jezabel, foram mortos. Eliseu, assim, como todos os profetas, exortaram o povo de Deus. Nós devemos fazer o mesmo. 

sábado, 14 de dezembro de 2013

VENDAVAL DO DRAGÃO


“Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo”. (Isaías 14:12-14)

Satanás, o Diabo, é o maior adversário dos cristãos. Os servos de Deus, querendo ou não, estão dentro de uma grande guerra, a Guerra Espiritual. Quero deixar bem claro, que apesar do tema deste meu texto ser a Guerra Espiritual, não sou adepto do Movimento Batalha Espiritual, idealizado por Neuza Itioka, Rebecca Brown, Daniel Mastral, e companhia. Não sou fã desses hereges; e tampouco acredito em suas heresias demoníacas. Neste meu artigo, quero tratar da Batalha Espiritual de uma maneira séria e totalmente bíblica. Portanto, usarei embasamento totalmente bíblico, neste meu texto.

“Peso do deserto do mar. Como os tufões de vento do Sul, que tudo assolam, ele virá do deserto, da terra horrível. Visão dura se me manifesta: o pérfido trata perfidamente, e o destruidor anda destruindo. Sobe, ó Elão, sitia, ó medo, que já fiz cessar todo o seu gemido. Pelo que os meus lombos estão cheios de grande enfermidade; angústias se apoderaram de mim como as angústias da que dá à luz; estou tão atribulado, que não posso ouvir, e tão desfalecido, que não posso ver. O meu coração está anelante, e o horror apavora-me; o crepúsculo, que desejava, se me tornou em tremores”. (Isaías 21:1-4)

Muitas vezes, me senti assim, por causa das investidas do Diabo. Constantemente sou tentado a praticar coisas horríveis. Sugestões diabólicas sempre assombram a minha mente. Satanás me sugere sempre o suicídio para eu poder resolver os meus problemas, mas na verdade, eu apenas seria um empecilho a menos para ele se preocupar. Se Lúcifer me quer tanto morto, é porque eu sou importante e represento alguma ameaça para o seu reino. Jesus Cristo se sacrificou por mim numa cruz, porque Ele me ama; portanto, eu sou importante e valioso. Por isso, não posso me suicidar. O Vendaval do Dragão me deixa atribulado, mas resistirei até o fim.

“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do Diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes”. (Efésios 6:10-13)

A nossa luta é principalmente contra os antigos espíritos do mal, mas isso não significa que temos que nos omitir diante da maldade. Tanto os demônios quanto os malfeitores são os nossos inimigos. Tanto os espíritos malignos quanto os bandidos devem ser combatidos. O capítulo 6 da Carta aos Efésios não invalida o capítulo 13 da Carta aos Romanos. Portanto, as autoridades são estabelecidas por Deus para castigar os malfeitores. Guerra Espiritual não é sinônimo de Pacifismo, pelo contrário, é a Guerra Santa entre o bem e o mal.

“Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém, não encontra. Por isso diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada. Então, vai, e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro. Assim, também acontecerá a esta geração perversa”. (Mateus 12:43-45)

Satanás joga sujo e não sente pena de ninguém. Ele não conhece o remorso e nem a piedade. Lúcifer é extremamente cruel e vil. Ele é sádico e impiedoso. O seu coração é cheio de vilania e maldade. Ele é pérfido e extremamente astuto. Portanto, não podemos vacilar.

“Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas;”. (2 Coríntios 10:3-4)

As armas letais são necessárias na guerra física, mas na Guerra Espiritual, as nossas armas, são a fé, a oração, e a Palavra de Deus. Portanto, em cada guerra devemos usar as armas certas. O Diabo teve a sua derrota decretada, mas ele ainda está em combate e sedento de sangue. Nós, cristãos, temos o direito e o dever, de lutarmos por nossas vidas e por nossas almas.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

A MINHA NOVA IRMÃ


“O homem que tem muitos amigos sai perdendo; mas há amigo mais chegado do que um irmão”. (Provérbios 18:24) 

Poucos sabem, mas eu tenho uma irmã de sangue, que amo muito, que é a Tayane. Infelizmente, eu não cresci junto com a Tayane, então, não pude desfrutar de sua companhia. Neste texto, quero contar sobre uma garota que impactou a minha vida. Ela não me autorizou usar o nome dela nos meus textos, portanto, não citarei o seu nome.

Essa garota é tão legal, mas tão legal, que se parece com um homem (porque ela é legal como um garoto). Essa pessoa é muito especial para mim. Antes, a minha vida era em preto e branco e sem graça, mas, hoje, a minha vida é colorida e alegre. No texto anterior que escrevi, eu desabafei sobre a minha dor, porque estava com medo de perder a amizade dessa pessoa tão especial. Nunca imaginei que pudesse existir uma mulher como ela, ou seja, que gosta de desenhos japoneses e de videogames (e o melhor, ela gosta de Zelda). Ainda bem que não morri nas vezes que pedi para Deus me matar, porque, assim, eu pude conhecê-la.

Essa minha amiga, tão querida, me presenteou com um DVD (o desenho “Irmão Urso”). O DVD está com problema numa cena, mas com muito esforço consegui ver o resto do desenho, e adorei assisti-lo. Ela diz que eu sou o Kenai e ela é o Koda. O que achei mais bonito nesse desenho, é que o Koda perdoou o assassino de sua mãe, o próprio Kenai. A parte que mais me marcou nesse filme é quando o Sitka (irmão mais velho de Kenai e Denahi) se sacrifica na luta contra um urso para salvar os seus amados e queridos irmãos. O urso que matou Sitka era a mãe de Koda. Achei muito engraçado e emocionante esse desenho (ri muito com os alces, Rutt e Tuke). O que mais me emocionou em assistir esse DVD, é que a minha “irmãzinha” o deu para mim com muito carinho. Ela até escreveu um bilhetinho lindo para mim. Isso alegrou tremendamente o meu coração.

A melhor amiga dessa minha nova irmã, é muito especial também (apesar de eu conhecê-la há tão pouco tempo). Eu fui até a igreja delas conhecer essa garota tão gentil e adorável. Ela é uma verdadeira princesa, que merece se casar com um príncipe (espero que ela consiga se casar com o seu “Legolas”).

A minha irmãzinha me chama de “ursão” e de “irmãozão”, e me sinto muito honrado e agraciado com esses apelidos. Ela escreve muitíssimo melhor do que eu. Essa garota talentosíssima também desenha muito bem. Nunca conheci uma pessoa tão talentosa como ela. Adoro ler as suas histórias! Amo ler o que ela escreve, pois é muito prazeroso ler as suas obras literárias. Sou seu grande fã. Quando essa minha grande amiga publicar um livro (ela escreve um livro junto com a sua melhor amiga), eu serei o primeiro a comprar um exemplar, e vou querer uma dedicatória.

Sempre sonhei em ter uma amiga ou irmã como ela, pois ainda não acredito que a conheci. Essa minha amiga pode até não acreditar, mas ela e sua melhor amiga, de alguma forma, têm sido a minha razão de viver. Eu me divirto muito com elas. Essas garotas são loucas, são piradas, são insanas, e são engraçadas; por isso, gosto tanto delas. Louvo a Deus por tê-las conhecido. Valeu à pena viver até hoje para poder conhecê-las. Espero nunca magoá-las. Desejo muito ter uma amizade bonita e sincera com elas. Como sonho em perpetuar a nossa amizade! Elas são as minhas irmãs por consideração, que têm lugares especiais dentro do meu coração.

No passado, eu tinha facilidade para odiar, mas, agora, tenho facilidade para amar. Eu aprendi a amá-las como a minha própria alma. Eu daria a minha vida por elas. Desejo imensamente que elas sejam felizes, e que sempre estejam comigo.

MORTO-VIVO


“Eu sou o homem que viu a aflição pela vara do furor de Deus. Ele me levou e me fez andar em trevas e não na luz. Deveras ele volveu contra mim a sua mão, de contínuo todo o dia. Fez envelhecer a minha carne e a minha pele, despedaçou os meus ossos. Edificou contra mim, e me cercou de veneno e de dor. Fez-me habitar em lugares tenebrosos, como os que estão mortos para sempre. Cercou-me de um muro, já não posso sair; agravou-me com grilhões de bronze. Ainda quando clamo e grito, ele não admite a minha oração. Fechou os meus caminhos com pedras lavradas, fez tortuosas as minhas veredas. Fez-se-me como urso à espreita, um leão de emboscada. Desviou os meus caminhos, e me fez em pedaços; deixou-me assolado. Entesou o seu arco, e me pôs como alvo à flecha. Fez que me entrassem no coração as flechas da sua aljava. Fui feito objeto de escárnio para todo o meu povo, e a sua canção todo o dia. Fartou-me de amarguras, saciou-me de absinto. Fez-me quebrar com pedrinhas de areia os meus dentes, cobriu-me de cinza. Afastou a paz de minha alma; esqueci-me do bem. Então disse eu: Já pereceu a minha glória, como também a minha esperança no Senhor. Lembra-te da minha aflição e do meu pranto, do absinto e do veneno. Minha alma continuamente os recorda, e se abate dentro em mim. Quero trazer à memória o que me pode dar esperança”. (Lamentações 3:1-21)

Quando eu era criança, apesar de toda a violência que sofri, eu ainda tinha mais esperança. Ultimamente, não acredito que nasci para ser feliz. Quando as coisas estão boas demais, eu já desconfio. Nunca tive sorte na vida. Não conquistei nada durante a minha existência, e nunca encontrei um grande amor. Por que o bom Deus não molha a ponta de seu dedo para poder me refrescar a língua? Estou sedento. Não sei se estou morto ou vivo. A minha respiração está ofegante. O meu coração está acelerado, mas, logo, parará de bater. Os meus olhos estão se escurecendo. A minha pele e os meus ossos estão ressecados. A minha carne está apodrecendo. O ambiente é pesado e tem cheiro de morte. Ouço gritos e choros desesperados. Vejo somente cadáveres por todos os lados. Sigo os rastros de sangue, na tentativa de encontrar a saída. Aqui é o Inferno, e a minha alma está sedenta.

“Maldito o dia em que nasci; não seja bendito o dia em que me deu à luz minha mãe. Maldito o homem que deu as novas a meu pai, dizendo: Nasceu-te um filho; alegrando-o com isso grandemente. Seja esse homem como as cidades que o Senhor, sem ter compaixão, destruiu; ouça ele clamor pela manhã, e ao meio-dia, alarido. Por que não me matou Deus no ventre materno? Por que minha mãe não foi minha sepultura? Ou não permaneceu grávida perpetuamente? Por que saí do ventre materno tão-somente para ver trabalho e tristeza, e para que se consumam de vergonha os meus dias”? (Jeremias 20:14-18)

Amaldiçôo o dia em que nasci, porque preferia não ter nascido. A dor que sinto não posso descrevê-la. O meu coração está machucado e cheio de pus; ele apodrece de tal maneira que já cheira até mal. A minha pele se parece com a pele de um leproso. Os meus cabelos e pêlos do meu corpo caem sem parar. O odor que sai do meu corpo é insuportável. Não sei mais o que fazer. Ó, Deus, o que devo fazer para aplacar a minha dor? Como poderei voltar a viver como antes? A minha esperança se foi. Como poderei devolver a alegria ao meu coração? A minha alma está abatida. Ó, Altíssimo, tenha piedade de mim! Por favor, Deus Vivo, tenha misericórdia desse pobre e podre verme!

“Senhor, Deus da minha salvação, diante de ti tenho clamado de dia e de noite. Chegue a minha oração perante a tua face, inclina os teus ouvidos ao meu clamor. Porque a minha alma está cheia de angústias, e a minha vida se aproxima da sepultura. Já estou contado com os que descem à cova; estou como um homem sem forças, posto entre os mortos; como os feridos de morte que jazem na sepultura, dos quais te não lembras mais; antes, os exclui a tua mão. Puseste-me no mais profundo do abismo, em trevas e nas profundezas”. (Salmo 88:1-6)

O meu coração se azedou, e sinto picadas nos meus rins. O sangue jorra por todos os orifícios de meu corpo. Golpearam-me no coração. O sangue jorra sem parar. O meu carrasco segura o meu coração fortemente e o esmaga com a força de seus dedos. A minha visão está turva, e os meus ouvidos estão se silenciando. O meu nariz não cheira mais. Sinto muito frio, e o meu sangue esfriar. Somente Deus pode me salvar.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

AS VIRTUDES DE UM GUERREIRO


O verdadeiro guerreiro é aquele que vence a si mesmo
O homem íntegro e honrado que luta pela paz
O soldado que não teme nada e nem ninguém
O cavaleiro nobre que está disposto a viver e morrer em nome da honra
Esse é o verdadeiro herói
Sempre sonhei em ser herói
Almejo ser correto e honesto
Desejo fazer o que é justo
Quero fazer o que é certo
Os guerreiros são os meus modelos
Homens que aprendem a vencer a dor e o medo
Homens corajosos e ousados
Homens valentes dispostos a morrer lutando pelo que acreditam
Esses são os meus heróis
As minhas referências paternas
Os exemplos que quero seguir
Os meus ídolos
São os guerreiros mestres na arte da guerra
Guerreiros capazes de derrotar qualquer adversário
Cavaleiros leais e dignos
Soldados capazes de vencer qualquer inimigo
Quais são as principais virtudes de um verdadeiro guerreiro?
Ser bom e piedoso
Ser honesto e honrado
Ser íntegro e correto
Ser corajoso e ousado
Ser sincero e justo
Quais são as missões de um verdadeiro herói?
Amar os outros como a si mesmo ou até mais do que a sua própria vida
Fazer mais pelos outros do que por si mesmo
Defender os fracos
Proteger os indefesos
Amparar os órfãos e as viúvas
Ajudar os pobres e necessitados
Ser a voz dos desamparados
Defender a honra das donzelas
Proteger os pequeninos que precisam da nossa proteção
Honrar as autoridades
Pagar todas as dívidas
Respeitar os mais experientes
Aprender com os erros
Se esforçar para não errar mais
Buscar a perfeição tanto no caráter quanto na arte de guerrear
Um bom guerreiro não é aquele que ama a guerra, mas, sim, aquele que ama a paz.
Um bom soldado não luta, porque odeia o que está enfrentando, mas, sim, porque ama o que está defendendo.
Almejo ter todas essas virtudes, para poder me tornar num verdadeiro herói.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

DOIS MUNDOS


Existem dois mundos
O físico e o espiritual
Ambos marcam a nossa vida
Ambos direcionam o nosso destino
Há duas guerras que devemos travar
A guerra física e a Guerra Espiritual
Em cada guerra temos que usar as armas certas
Contra os malfeitores, os nossos punhos e armas letais.
Contra os demônios, a nossa fé e a Palavra de Deus.
Satanás manda tanto nos espíritos malignos quanto nos bandidos
Os marginais somente fazem o que aprenderam com o Diabo
Os satanistas
Os terroristas
Os delinqüentes
E os corruptos
Devem ser combatidos ferozmente
Devemos combatê-los bravamente
Temos que castigá-los com a espada da justiça
Eles precisam conhecer a dor que causam aos inocentes
Nós precisamos defender os indefesos
Os fracos precisam da nossa proteção
Os demônios controlam as mentes sugestionáveis dos bandidos
Os omissos também fazem a vontade do Demônio quando se omitem
Omitir-se diante do mal é hediondo
Para mim, é pior do que praticar o próprio mal.
A omissão também é pecado
Um pecado abominável
Deus cobrará de nós todos os nossos atos
O que fizemos e deixamos de fazer
Deus cobrará o sangue inocente de nossas mãos
Se os maus prevalecem, é porque os bons se omitem.
Quando os bons se omitem, os maus vencem.
Temos que combater o Inferno
E todos os seus soldados infernais
Humanos e espirituais
Devemos nos armar com a couraça da justiça
Com o escudo da fé
E com a espada do Espírito
Mas também devemos nos armar belicamente
Para podermos combater o mal físico e espiritual
As hostes espirituais da maldade
O Reino das Sombras dominado pela escuridão e pelas trevas
Lúcifer e seus capangas são impiedosos
Eles não sentem pena e nem remorso
Nada irá detê-los
A não ser nós, os homens bons que temem a Deus.
Por isso, temos que nos preparar, e guerrear em prol da justiça e da humanidade.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

EM DEFESA DAS ARMAS


Em primeiro lugar, quero deixar bem claro que eu não sou um bandido ou um terrorista, como os alienados costumam me rotular apenas, porque eu gosto de armas. Eu sou um profissional da área de segurança, e poderia até usar o discurso competente (ou seja, não aceitar questionamentos e críticas pelo fato de ser um profissional da área), e também poderia me basear no fato de eu praticamente ser graduado em História, pois falta pouco tempo para eu me formar, para poder calar a boca das Testemunhas de Jeová e de muitos evangélicos que usam e abusam do discurso competente, distorcendo o contexto histórico do Cristianismo Primitivo para demonizarem o serviço militar, a política, e as armas. Neste texto, pretendo esclarecer o meu ponto de vista para poder mostrar que o que a mídia, o governo, e certos religiosos tapados fazem para pregar o Desarmamento, é puro discurso competente.

A mídia (principalmente, a Rede Globo) mentiu descaradamente durante anos para induzir a população a se desarmar. ONGs (Organizações Não Governamentais) como Viva Rio e Sou da Paz manipulam dados, distorcem fatos, e deturpam a verdade, na sua falsa ideologia de paz, para poderem desarmar os cidadãos de bem. Eu sou cristão, portanto, acredito em Deus e no Diabo, e para mim, Satanás é o Pai da Mentira. Para mim, é totalmente incoerente usar a mentira para poder lutar em nome da paz, sendo que a mentira procede de Lúcifer, o responsável pela maldade no mundo.

Eu fiz dois cursos de segurança, o curso de vigilante, e o curso de manutenção de armas, e pretendo fazer o curso de escolta armada, mas nem por isso, eu me considerarei o dono da verdade e um especialista no assunto que não pode ser questionado (ao contrário, da mídia, do governo, de certos religiosos, e de certas ONGs).

Obviamente, bandidos não compram armas legalizadas, mas, sim, contrabandeadas. Outra coisa óbvia também, é que o arsenal dos criminosos não se abastece com as armas dos cidadãos de bem (quase todas as armas legalizadas com as numerações raspadas pertenciam a militares, policiais, e vigilantes, ou seja, não pertenciam a cidadãos comuns). Portanto, é demagogia e hipocrisia culpar os cidadãos de bem pelo fato dos marginais conseguirem supostas armas legalizadas para cometerem os seus crimes.

Os artistas hipócritas (quase todos drogados, alcoólatras, e cercados por seguranças armados) usam a televisão para manipular os cidadãos, convencendo-os a se desarmarem. A mídia joga muito sujo para conseguir o que quer (tipo a Rede Globo, que apoiou a Ditadura Militar, e fez manipulação psicológica para desarmar a população). O governo é extremamente manipulador e maquiavélico, portanto, não acreditem em suas mentiras ditadas através da mídia.

Eu sou totalmente favorável de que os cidadãos de bem possam portar armas para se defenderem, porque os países em que ocorreu o Desarmamento, a violência aumentou assustadoramente. E justo, nos países, em que o porte de arma é liberado (com certas restrições, claro), a criminalidade é controlada. Portanto, armas legalizadas não geram violência. Os acidentes com automóveis matam muito mais do que as armas de fogo, e os crimes mais bárbaros são praticados com armas brancas.

“A seguir Jesus lhes perguntou: Quando vos mandei sem bolsa, sem alforje e sem sandálias, faltou-vos porventura alguma coisa? Nada, disseram eles. Então, lhes disse: Agora, porém, quem tem bolsa, tome-a, como também o alforje; e o que não tem espada, venda a sua capa e compre uma”. (Lucas 22:35-36)

Esse trecho bíblico tem duplo sentido, porque Jesus se referiu ao cumprimento de uma profecia, e também pode ter indicado o uso legítimo de armas para a proteção pessoal. Usar versículos bíblicos fora de contexto e distorcer o contexto histórico em que a Igreja Primitiva estava inserida para demonizar o serviço militar e as armas é o cúmulo da hipocrisia religiosa.

O governo idealizado por Deus no capítulo 13 da Carta aos Romanos é um governo que protege o cidadão e não o deixa desamparado a mercê dos criminosos. As autoridades governamentais, que foram estabelecidas por Deus, têm a obrigação e o dever de garantir a segurança do cidadão, porque foi para isso que elas foram instituídas. Enquanto, o Estado não garantir a tranqüilidade e a paz da sociedade, nós, cidadãos de bem, temos o direito, garantido pela Constituição, de nos defendermos. Portanto, temos que portar armas.

domingo, 1 de dezembro de 2013

DISCURSO COMPETENTE


“Acautelai-vos dos falsos profetas que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém, a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis”. (Mateus 7:15-20)

Algo muito corriqueiro no meio evangélico é o famoso “discurso competente”, ou seja, um herege que se considera especialista num assunto e que não aceita ser questionado. Os supostos “ungidos de Deus” costumam se basear no discurso competente para poderem oprimir, manipular, e explorar os leigos.

Durante a História, homens como Cesare Lombroso, Herbert Spencer, Nina Rodrigues, e Oliveira Viana, se baseavam na suposta autoridade intelectual e científica que tinham para poderem justificar o racismo cientificamente.

A Igreja Católica durante séculos distorceu trechos isolados da Bíblia para justificar a Escravidão de outros povos, alegando que era para “cristianizar” os povos conquistados na suposta “guerra justa”.

Hereges, como a Elaine (amiguinha da Rebecca Brown), Daniel Mastral, Carlo Ribas, e outros que se julgam “ex-satanistas”, se acham no direito de saírem demonizando tudo o que encontram pela frente apenas, porque eles se envolveram com o Satanismo no passado. Isso é discurso competente. A Bíblia, a Palavra de Deus, tem muito mais autoridade do que os supostos “testemunhos mirabolantes” desses hereges. Quem foi envolvido com Bruxaria ou Satanismo não tem uma “unção” especial por causa disso. Desde quando que ter se envolvido com o Satanismo é motivo de orgulho? A Bíblia não condena as artes marciais. A Bíblia não condena o Rock. A Bíblia não condena desenhos animados, e nem videogames. Tudo isso é invenção herética desses fariseus para poderem adquirir fama e sucesso no meio evangélico através de suas heresias maléficas. Portanto, devemos combater esses hereges e suas heresias.

“Ou não sabeis que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deverá ser julgado por vós, sois acaso indignos de julgar as cousas mínimas? Não sabeis que havemos de julgar os próprios anjos; quanto mais às cousas desta vida? Entretanto, vós, quando tendes a julgar negócios terrenos, constituís um tribunal daqueles que não têm nenhuma aceitação na igreja”!  (1 Coríntios 6:2-4)

A própria Palavra de Deus nos autoriza a questionar os líderes religiosos que não vivem de acordo com a vontade de Deus. Nem pastor, nem padre, nem bispo, nem “apóstolo”, nem “ex-satanista”, nem ninguém está acima da autoridade da Palavra de Deus, que é a Verdade revelada pelo próprio Deus.

“Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade”. (Mateus 7:22-23)

Os líderes políticos e religiosos serão os mais cobrados por Deus no Dia do Juízo Final. Deus cobrará de todos os líderes as suas atitudes malignas com o povo. Grandes poderes trazem grandes responsabilidades. Quem está no poder será mais cobrado. Não importa a posição social ou cargo político ou eclesiástico, todos serão castigados. Deus é justo; e jamais inocenta o culpado. Não importa se os líderes realizam proezas e maravilhas, porque até o Diabo têm os seus milagres para enganar o povo.

“Não julgueis segundo a aparência, e, sim, pela reta justiça”. (João 7:24)

Nós, cristãos, servos do Deus Vivo, temos a obrigação de questionar as coisas erradas e de exortar os irmãos que vivem na prática do pecado para o próprio bem deles. Omitir-se diante das coisas erradas é tão pecado (ou até pior) do que julgar injustamente. Em primeiro lugar, o próprio Cristo nos ensinou que devemos julgar sim, mas devemos julgar baseados na reta justiça e com sabedoria para não cometermos nenhuma injustiça. Não devemos julgar segundo as aparências, mas temos que ser justos nos nossos julgamentos. Temos que protestar sim.