segunda-feira, 4 de novembro de 2013

MORTE E DESTRUIÇÃO


Olho ao meu redor
E vejo apenas morte e destruição
Mortos e ruínas
Cadáveres para todos os lados
Não sei se estou morto
Não sei se estou vivo
A minha carne está apodrecendo e os meus ossos estão secando
Quem me ajudará?
Quem salvará a minha vida?
Estou morrendo
O meu sangue jorra sem parar
Golpearam o meu coração
Golpearam-me tantas vezes que nem sei como sobrevivi
Respiro de forma ofegante
As batidas do meu coração diminuem a cada segundo
O vazio dentro de mim me consome
Quem preencherá esse vácuo dentro de mim?
O buraco no meu peito é imenso
A minha alma foi destroçada
Bestas assassinas me estraçalharam por dentro
Os meus sentimentos estão morrendo
O meu coração está endurecendo
Logo, morrerei.
Será que alguém se importará?
Se eu deixar de existir, alguém sentirá a minha falta?
A minha vista está escurecendo
O meu ar está acabando
O meu coração ainda está batendo, mas não sei até quando resistirei.
Leões me destroçaram
Chamas ardentes me carbonizaram
O mar me afogou
Os meus sonhos foram destruídos
O que me mantinha vivo, agora, está morto.
A pior morte não é quando morremos de fato
Mas é quando algo dentro nós morre
Não paro de chorar
Os meus dentes rangem de tanta dor
Ouço gritarias e pedidos de socorro
Angústias do Inferno se apoderaram de mim
Cordéis da morte me cercaram
Sinto picadas nos meus rins
Estou me afogando nas minhas lágrimas
Tudo está alagado
De lágrimas e de sangue
Os fantasmas do meu passado me atormentavam até eu mesmo me tornar um deles
Hoje, sou apenas a sombra do homem que fui um dia.
A chama da minha vida permanece acesa, mas, logo, ela se extinguirá.

Nenhum comentário: