segunda-feira, 9 de setembro de 2013

TIRO NO ESCURO


A guerra na Síria está se intensificando cada vez mais, pois o governo dos Estados Unidos está ansioso para declarar guerra contra o governo de Bashar al-Assad. O presidente norte-americano, Barack Obama, tenta conseguir o apoio do Congresso e do povo americanos para poder atacar o regime sírio. O presidente russo, Vladimir Putin, já avisou que se os Estados Unidos ousarem atacar a Síria haverá retaliação. A China e a Rússia, membros permanentes da ONU (Organização das Nações Unidas), e aliadas do governo de Bashar al-Assad, sempre vetam qualquer resolução de uma possível intervenção militar contra a Síria. Os governos, norte-americano e francês, já disseram que atacarão o regime sírio se ficar comprovado que foi o governo que usou as armas químicas que mataram mais de mil pessoas no dia 21 de agosto de 2013. Durante a reunião do G-20, os líderes das potências econômicas discutiram sobre a crise na Síria.

Os Estados Unidos e a Rússia são inimigos políticos desde a Guerra Fria (apesar de eles terem sido aliados durante a Segunda Guerra Mundial, e serem membros permanentes da ONU, essas potências nunca se gostaram). Já têm navios de guerra russos cruzando o Mar Mediterrâneo em apoio à Síria. Barack Obama está louco para ordenar ataques aéreos contra o exército de Bashar al-Assad. O Reino Unido prefere não participar dessa possível guerra. Já a França, afirmou que se o governo norte-americano atacar a Síria, ela o auxiliará nessa batalha.

Estamos prestes a presenciar a Terceira Guerra Mundial, pois várias nações importantes participarão dessa guerra se ela realmente acontecer. A minha preocupação é que se os Estados Unidos e a Rússia se enfrentarem, esses loucos usem os seus arsenais nucleares, dizimando a população mundial e destruindo o planeta. A Síria tem um arsenal de armas químicas para usar contra os seus inimigos. O Irã provavelmente ajudará a Síria, junto com a China e a Rússia. Se essa guerra realmente acontecer, será uma catástrofe mundial. Muitos filmes de ficção já nos mostraram o que aconteceria com a Terra se acontecesse a Terceira Guerra Mundial. Se acontecer uma guerra nuclear ou uma guerra biológica, incontáveis pessoas morrerão, rios secarão, e florestas desaparecerão. Será uma tragédia indescritível.

As guerras no Afeganistão e no Iraque não resultaram em coisas boas. Realmente, o terrorista, Osama Bin Laden, e o ditador, Saddam Hussein, eram homens perversos que precisavam ser detidos, mas as conseqüências dessas guerras foram catastróficas. A guerra deve ser o último recurso a ser usado, pois todos os seres humanos (principalmente, os cristãos) devem tentar ao máximo viver em paz com todos os homens. Realmente, não sei o que é pior, declarar guerra contra a Síria e os seus aliados, ou deixar o governo de Bashar al-Assad continuar massacrando o seu próprio povo. O presidente da Síria é cruel e vil, mas os seus adversários são ainda piores do que ele. Se os rebeldes chegarem ao poder, os cristãos serão perseguidos sem piedade. Não desejo isso para os meus irmãos sírios.

Se o Brasil participar dessa guerra (o governo brasileiro é aliado dos Estados Unidos, mas a sua aliança está meio fragilizada devido à espionagem do governo norte-americano), eu me alistarei voluntariamente para pelejar contra os russos, chineses, sírios, e iranianos. Não tenho nada contra esses povos, mas os seus governos são muito repressores, e merecem uma lição. Não quero que essa guerra aconteça, mas se ela acontecer, eu estarei pronto para matar e morrer se for necessário. Eu ainda não fiz o curso de escolta armada, mas se o governo brasileiro me enviar para a guerra, eu terei treinamento militar que é ainda melhor. Sempre quis ser um guerreiro, mas desejo lutar em uma batalha que valesse à pena. Quero lutar em prol da justiça.

Nenhum comentário: