domingo, 2 de junho de 2013

SE EU VIVER PARA CONTAR


“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”. (Salmo 42:11)

A minha alma está muito abatida ultimamente, porque não agüento mais conviver com os pecados do mundo. O pecado me agride. Não suporto mais assistir a televisão, pois para mim a televisão é muito pior do que as cidades de Sodoma e Gomorra. A mídia faz apologia ao homossexualismo abertamente, e ai de quem ousar ser contra o ativismo gay. Eu sempre evitei escrever sobre esse assunto, porque acredito que os gays devem ser amados e respeitados, e sempre fiz o possível para não ofendê-los, mas o que a mídia tem feito é um verdadeiro absurdo. Se não concordar com a causa gay é ser homofóbico, então, eu sou homofóbico. Isso não significa que eu odeie os homossexuais ou que eu deseje o mal deles, mas não concordo com a sua conduta, porque acredito na Bíblia, e a Palavra de Deus diz que o homossexualismo é pecado, e ponto final. Sempre evitei escrever sobre isso para não ofender os gays (que também são seres humanos e têm os seus direitos), mas não suporto mais esse apoio descarado da mídia ao homossexualismo.

Outra coisa que entristece muito o meu coração é a apologia ao adultério que a mídia faz (principalmente, através das malditas novelas). Famílias cristãs têm se alimentado com lixo televisivo como as porcarias das novelas que somente ensinam o que não presta. Já vi evangélicos torcendo pelos amantes das novelas, porque o marido é um carrasco ou porque a esposa é uma bruxa (muito sutil essa tática suja do Diabo para manipular as pessoas). Cristãos têm alimentado os seus corações com coisas que não prestam que Satanás enfia goela abaixo através da televisão. Por favor, não me comparem ao David Miranda, mas nesse ponto eu concordo com o seu radicalismo, a televisão realmente não presta. A minha maior frustração amorosa foi à televisão, porque a mídia me decepcionou profundamente.

A programação infantil atual é um lixo, pois nada se compara aos tempos áureos da Rede Manchete, da TV Cultura, e do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão). A TV a cabo também é uma porcaria, porque decaiu muito a sua qualidade. Para mim, a tendência é a televisão acabar, pois apenas os idiotas continuarão a dar ibope para esse instrumento do Capeta. Quem me conhece sabe que eu não sou igual a esses religiosos que ficam vendo capeta em todo lugar, mas eu não suporto mais compactuar com toda essa depravação e promiscuidade que a televisão enfia goela abaixo para as famílias brasileiras. Lamento muito mesmo que a Rede Tupi, a TV Manchete, e a Rede Excelsior não existam mais. Essas emissoras realmente fazem muita falta. Para mim, é muito triste demonizar a mídia, porque a televisão era a minha vida, mas, agora, ela é a minha maior decepção. Dói muito o meu coração ao escrever essas coisas, mas estou sendo extremamente sincero e verdadeiro no que eu estou escrevendo.

Outra coisa que me angustia muito é a música atual, pois as músicas de hoje (principalmente, as brasileiras) são umas porcarias. O Funk é um ritmo musical do Demônio (não me refiro ao Funk original, como, por exemplo, James Brown e outros), mas me refiro ao maldito Funk Carioca, porque aquilo para mim é o Inferno sobre a Terra. Músicas de corno e de cachorro abandonado como o Sertanejo eu também não suporto (somente gosto de Sertanejo de raiz mesmo, como, por exemplo, Pena Branca e Xavantinho, e Tonico e Tinoco). Forró eu apenas gosto de raiz também, como o Luiz Gonzaga. De Samba eu gosto somente dos antigos, como, por exemplo, Cartola, Candeia, e outros. Das músicas internacionais eu gosto das músicas antigas da Madonna e das músicas do Michael Jackson. Eu amo demais as bandas de Rock e Pop da década de 80, mas das bandas de hoje eu não gosto muito não.

Eu nasci no mundo errado e na época errada, pois me considero um extraterrestre nesse planeta. Não vejo nenhuma graça em baladas, prostíbulos, e bares (infelizmente, muitos jovens crentes vêem graça nessas coisas). Eu prefiro ser um jovem cristão que ama as coisas de Deus, do que ser um jovem desviado (dentro da Igreja) que não respeita a Deus e quando morrer irá para o Inferno (sem contar que ainda arcará com as conseqüências do pecado aqui na Terra). Conheço garotas evangélicas que se tratam como objetos, mercadorias, e pedaços de carne (o pior é que elas conhecem a Verdade). Quando vejo essas coisas, sinto vontade de morrer, e espero de verdade viver para contar coisas boas. Que Deus tenha piedade de mim.

Nenhum comentário: