sábado, 23 de março de 2013

O GRANDE TABU



O maior tabu de toda a História do Cristianismo que assola a Igreja de Cristo é a sexualidade, ou seja, o sexo. Quero já avisar que serei extremamente sincero e claro no que eu irei escrever. Se você é um daqueles religiosos tapados que adoram ver o Diabo em todo o lugar, nem se dê ao trabalho de ler este artigo. Tentarei ser justo e correto nos meus argumentos. Também tentarei não me expor demais neste texto, mas eu realmente preciso contar a minha experiência pessoal, porque, talvez, assim, eu possa ajudar a confortar alguém.

Desde a Idade Média, a Igreja Católica demoniza o sexo, dizendo que sentir prazer sexual é coisa do Demônio. A repressão sexual é algo realmente extremamente diabólico, porque se existem padres pedófilos e pastores adúlteros, é porque há muita repressão na sexualidade dos cristãos. A Igreja Católica sempre pregou que o sexo é somente para a procriação, e que é um pecado hediondo sentir prazer no ato sexual. Muitas igrejas evangélicas pregam esse mesmo absurdo. Os cristãos precisam entender que o sexo é uma coisa de Deus, e não do Diabo. Realmente, a vontade de Deus é que os seus servos transem apenas depois do casamento, mas se por acaso os cristãos caírem em tentação, eles não perderão a Salvação, e nem serão desprezados por Deus por causa disso. Os cristãos precisam aprender a não confundir conversão com o medo de irem para o Inferno. Os evangélicos precisam entender de uma vez por todas que a Salvação é pela Graça, e não pelas obras. Com certeza, há as conseqüências do pecado, mas isso não significa que se o cristão cair em pecado ele será excluído da Graça de Deus.

A Igreja Católica também demoniza a camisinha e as pílulas anticoncepcionais, afirmando também que o sexo é somente para a reprodução. Não há pecado algum os casais (pessoas realmente casadas) usarem camisinhas ou pílulas anticoncepcionais, porque o sexo pode ser apenas para o prazer. Os cristãos não são obrigados a terem filhos, porque os casais têm a benção de Deus para se satisfazerem somente sexualmente se quiserem.

Outro tabu é a masturbação, porque muitos cristãos usam versículos bíblicos fora de contexto para demonizarem a atração e o desejo sexual. Na minha humilde opinião, para mim a masturbação é apenas uma válvula de escape para evitar coisa pior. Não enxergo mais a masturbação como algo do Demônio, mas isso é apenas algo normal entre os jovens.

Inúmeros cristãos demonizam o sexo oral e o sexo anal inventando coisas que não têm na Bíblia. Eu desafio os cristãos que demonizam esses atos sexuais a me mostrarem na Palavra de Deus onde esses atos sexuais são coisas do Diabo. O que a Bíblia ensina é que o sexo deve ser feito depois do casamento entre um homem e uma mulher, mas a Palavra de Deus em nenhum lugar especifica como isso deve ser feito. Na Bíblia não existe um manual do que os homens e as mulheres podem fazer ou não depois do casamento. Acho muito feio os cristãos colocarem palavras na boca de Deus, coisas que Deus nunca disse. Eu, particularmente, não tenho interesse no sexo oral e no sexo anal, mas se eu estiver casado e a minha esposa desejar praticar esses atos sexuais, eu a satisfarei com o maior prazer.

Quero agora contar algo íntimo meu, mas não contarei nos mínimos detalhes, até porque eu não quero me queimar e nem me expor demais, mas, talvez, eu possa ajudar alguém. Eu sou obcecado por mordidas, isto é, eu adoro morder, e, principalmente, eu adoro ser mordido pelas mulheres. Durante vinte e oito anos eu me reprimi sexualmente, porque eu me considerava o maior pecador do mundo por causa disso. Eu descobri que isso faz parte da minha sexualidade, e eu não preciso me reprimir, porque isso é normal. É obvio que eu não irei sair beijando, mordendo, e transando com todo mundo, mas também não irei mais me reprimir. Há diferença entre não me reprimir e ser depravado. Eu pretendo nunca mais me reprimir, mas também eu tenho carinho e consideração por Deus, e devido a isso, eu não irei “ficar” com ninguém. Com certeza, quando eu namorar, eu beijarei a minha namorada (na boca obviamente), e irei mordê-la (se ela deixar), e se a minha namorada quiser me morder, ela pode arrancar até pedaço se quiser. Mas, em relação ao ato sexual mesmo, me esforçarei para me guardar até o casamento. Não devo satisfação nenhuma para os evangélicos, mas devo satisfação somente para Deus. Eu presto contas a Deus, e não aos cristãos. Decidi escrever este artigo para mostrar que o sexo é uma benção, quando ele é feito dentro da vontade de Deus. O sexo é uma dádiva, e não uma maldição. Sentir prazer não é pecado. O sexo é de Deus.

Nenhum comentário: