terça-feira, 11 de dezembro de 2012

ABAIXO AO FANATISMO RELIGIOSO



“Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem sobre os ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los”. (Mateus 23:4)

Infelizmente, o fanatismo religioso sempre fez parte da História do Cristianismo. Existem cristãos que vivem em função do Diabo, ou seja, eles não conseguem viver sem o Capeta. Geralmente, esses religiosos tapados e alienados costumam impor um padrão de falsa santidade para os outros que nem eles mesmos conseguem viver. Esses hipócritas colocam fardos pesados em cima dos outros, mas eles, porém, nem com o dedo querem ajudar.

“Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”. (Mateus 15:7-9)

Sempre existiram os cristãos “doutrinários”, isto é, aqueles cristãos que vivem em função das doutrinas que são preceitos dos homens. Esses religiosos fanáticos não se importam com os mandamentos de Deus, porque eles dão mais valor as doutrinas que são preceitos dos homens do que aos mandamentos do Altíssimo. Ficar demonizando vestimentas e a aparência das pessoas é coisa de gente idiota, ou seja, o que as pessoas vestem ou deixam de vestir, ou se usam brincos, piercings, e tatuagens, não faz diferença nenhuma para se alcançar a Salvação, até porque a Salvação depende exclusivamente do sacrifício de Jesus; e não do que as pessoas fazem ou deixam de fazer. A Salvação não é pelas obras, mas, sim, pela Graça.

“Eu sei e estou certo, no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda”. (Romanos 14:14)

O apóstolo Paulo foi bem claro quando afirmou que as coisas não são do Diabo, a não ser para as pessoas que acreditam nessa asneira. A Bíblia, a Palavra de Deus, é muito clara quando diz o que é pecado, e o que não é pecado. Os pecados inventados pelos religiosos fanáticos são baseados apenas em seu preconceito religioso ridículo. Portanto, não devemos dar ouvidos a esses imbecis.

“Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu”. (Romanos 14:2-3)

Eu realmente acredito que existem religiosos radicais sinceros em seu radicalismo, mas o que me dá muita raiva é ver religiosos sem nenhum compromisso com Deus ficar atacando pedras nos outros, apenas, porque os outros não acreditam nas suas doutrinas que são preceitos dos homens. Todos os cristãos têm a liberdade para acreditarem no que quiserem, mas o que eles não podem fazer é impor a sua intolerância religiosa para os outros, porque isso é fanatismo religioso. Quem somente come legumes, fique na sua, e não perturbe ninguém.

“Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova”. (Romanos 14:22)

Se eu peco ou não, ninguém tem nada a ver com isso, porque eu prestarei contas a Deus pelos meus atos. Eu tenho a minha consciência tranqüila em relação às coisas que gosto, porque tenho certeza que Deus não condena as coisas que gosto.

Têm algumas coisas que preciso registrar neste artigo (não posso deixar passar essa oportunidade). Muitos cristãos demonizam filmes, seriados, e desenhos, pelo simples fato de Satanás ser o vilão dessas obras. Esses alienados queriam o quê? Eles queriam que o Diabo fosse o herói dessas obras? Para esses alienados e tapados, se o filme, seriado, ou desenho, for bíblico não tem problema, mas se for secular é do Demônio. Esse argumento furado é coisa de religioso tapado e desocupado.

Outro argumento furado usado por muitos evangélicos é que se o vilão de algum desenho, seriado, ou filme, é homossexual, então, essa obra não presta. O imperador Nero que perseguiu os cristãos no passado era gay. Então, será que o filme Quo Vadis é do Capeta? Jesus Cristo nos ensinou que devemos amar as pessoas, inclusive, os gays. Essa intolerância é pura homofobia.

Decidi escrever este texto para poder mostrar o quanto o fanatismo religioso é nocivo para a Igreja de Cristo. Nós, cristãos, devemos ser coerentes e usar a inteligência que Deus nos deu. A religião aliena e vicia como o ópio, mas a Graça de Jesus nos liberta de toda a alienação.

Nenhum comentário: