sábado, 22 de dezembro de 2012

A DEMONIZAÇÃO DAS ARMAS



“Se um ladrão for achado arrombando uma casa, e, sendo ferido, morrer, quem o feriu não será culpado do sangue”.  (Êxodo 22:2)

No passado, a mídia e o Governo Federal faziam manipulação psicológica para desarmar a população. A Rede Globo era a emissora de televisão que mais fazia lavagem cerebral para desarmar os cidadãos de bem. Houve um referendo, em 2005, para tentar proibir a venda de armas e munições para impedir os cidadãos de portarem armas, mas o povo votou contra o Desarmamento. O Governo Federal simplesmente desprezou a vontade do povo e não aboliu o Estatuto do Desarmamento, que dificulta os cidadãos de bem portarem armas de fogo. Agora, a Campanha do Desarmamento voltou a usar a mídia para manipular o povo, o induzindo a entregar as suas armas legalizadas.

Com os massacres ocorridos em outros países (principalmente, nos Estados Unidos), o mundo, baseado em sua hipocrisia e falso moralismo, fica demonizando as armas de fogo compulsivamente. Realmente, em países como os Estados Unidos, é preciso ter um controle sobre as armas de fogo, porque lá qualquer idiota pode comprar várias armas. Eu sou totalmente favorável ao porte de arma para o cidadão, mas eu também apóio que é necessário que o cidadão de bem que deseja portar uma arma tenha condições para portá-la. Eu sou a favor de que haja testes psicológicos para que os cidadãos possam portar armas. Também acredito que o cidadão que almeja portar uma arma tem que ter estabilidade financeira e ter bons antecedentes.

Um argumento da mídia e do Governo Federal é que os bandidos compram armas nas lojas, mas qualquer pessoa inteligente sabe que os bandidos compram armas contrabandeadas que entram pelas fronteiras do Brasil (que não são vigiadas como deveriam), ou seja, os marginais não compram armas legalmente.

Outro argumento usado pela mídia e pelo Governo Federal é que muitas das armas que os delinqüentes usam foram roubadas de cidadãos de bem. O interessante é que quase todas as armas legalizadas roubadas pelos bandidos pertenciam a militares, policiais, e seguranças. Então, será que teremos que desarmar os militares, os policiais, e os vigilantes? Alegar que podem acontecer acidentes domésticos com armas de fogo não é desculpa para os cidadãos entregarem as suas armas. Acontecem acidentes domésticos com armas de fogo entre militares, policiais, e seguranças, também. Então, será que os militares, policiais, e seguranças, devem entregar as suas armas para evitarem acidentes domésticos? Tudo isso é falácia de gente que não entende nada de segurança. Os militares, policiais, e vigilantes, não são semideuses, isto é, os cidadãos de bem são tão humanos e capazes para manusearem armas tanto quanto eles.

Para quem não sabe, eu sou vigilante, ou seja, eu sou um profissional da área de segurança. Eu fiz durante dezesseis dias o curso para me formar como vigilante patrimonial. Nesse curso, eu aprendi a manusear o revólver calibre 38, e também aprendi várias técnicas de defesa pessoal. Eu também fiz o curso de manutenção de armas, onde eu aprendi a desmontar e montar o revólver calibre 38, e a pistola calibre 380. Eu pretendo fazer o curso de escolta armada futuramente, se for da vontade de Deus. Eu sou cristão, mas nem por causa disso eu sou tapado e alienado. Eu não sou indiferente ao sofrimento dos inocentes e a criminalidade. Não finjo que os problemas do mundo, principalmente, do meu país, não são problemas meus. Eu realmente me importo com as pessoas inocentes que são roubadas, estupradas, torturadas, e assassinadas, todos os dias. Eu sempre oro em favor das autoridades governamentais para que as coisas melhorem no Brasil.

Na minha humilde opinião, o ideal seria que somente os militares, policiais, e vigilantes, portassem armas, mas o Estado não garante a segurança do cidadão. No capítulo 13 da Carta aos Romanos, o apóstolo Paulo é bem claro quando afirma que é o dever do Estado proteger os cidadãos de bem e castigar os malfeitores. Infelizmente, aqui no Brasil, o governo pouco se importa com o povo, que está à mercê dos criminosos. A polícia até que se esforça bastante para tentar proteger os cidadãos, mas os bandidos têm todo o poder neste país. Os cidadãos têm que lutarem pelo seu direito de legítima defesa (já que o governo não garante a segurança do cidadão). Se não fossem essas ONGs pacifistas e o Órgão de Direitos Humanos, o Brasil seria um país muito melhor para se viver. Que Deus tenha piedade do povo brasileiro.

Nenhum comentário: