sábado, 22 de dezembro de 2012

A DEMONIZAÇÃO DAS ARMAS



“Se um ladrão for achado arrombando uma casa, e, sendo ferido, morrer, quem o feriu não será culpado do sangue”.  (Êxodo 22:2)

No passado, a mídia e o Governo Federal faziam manipulação psicológica para desarmar a população. A Rede Globo era a emissora de televisão que mais fazia lavagem cerebral para desarmar os cidadãos de bem. Houve um referendo, em 2005, para tentar proibir a venda de armas e munições para impedir os cidadãos de portarem armas, mas o povo votou contra o Desarmamento. O Governo Federal simplesmente desprezou a vontade do povo e não aboliu o Estatuto do Desarmamento, que dificulta os cidadãos de bem portarem armas de fogo. Agora, a Campanha do Desarmamento voltou a usar a mídia para manipular o povo, o induzindo a entregar as suas armas legalizadas.

Com os massacres ocorridos em outros países (principalmente, nos Estados Unidos), o mundo, baseado em sua hipocrisia e falso moralismo, fica demonizando as armas de fogo compulsivamente. Realmente, em países como os Estados Unidos, é preciso ter um controle sobre as armas de fogo, porque lá qualquer idiota pode comprar várias armas. Eu sou totalmente favorável ao porte de arma para o cidadão, mas eu também apóio que é necessário que o cidadão de bem que deseja portar uma arma tenha condições para portá-la. Eu sou a favor de que haja testes psicológicos para que os cidadãos possam portar armas. Também acredito que o cidadão que almeja portar uma arma tem que ter estabilidade financeira e ter bons antecedentes.

Um argumento da mídia e do Governo Federal é que os bandidos compram armas nas lojas, mas qualquer pessoa inteligente sabe que os bandidos compram armas contrabandeadas que entram pelas fronteiras do Brasil (que não são vigiadas como deveriam), ou seja, os marginais não compram armas legalmente.

Outro argumento usado pela mídia e pelo Governo Federal é que muitas das armas que os delinqüentes usam foram roubadas de cidadãos de bem. O interessante é que quase todas as armas legalizadas roubadas pelos bandidos pertenciam a militares, policiais, e seguranças. Então, será que teremos que desarmar os militares, os policiais, e os vigilantes? Alegar que podem acontecer acidentes domésticos com armas de fogo não é desculpa para os cidadãos entregarem as suas armas. Acontecem acidentes domésticos com armas de fogo entre militares, policiais, e seguranças, também. Então, será que os militares, policiais, e seguranças, devem entregar as suas armas para evitarem acidentes domésticos? Tudo isso é falácia de gente que não entende nada de segurança. Os militares, policiais, e vigilantes, não são semideuses, isto é, os cidadãos de bem são tão humanos e capazes para manusearem armas tanto quanto eles.

Para quem não sabe, eu sou vigilante, ou seja, eu sou um profissional da área de segurança. Eu fiz durante dezesseis dias o curso para me formar como vigilante patrimonial. Nesse curso, eu aprendi a manusear o revólver calibre 38, e também aprendi várias técnicas de defesa pessoal. Eu também fiz o curso de manutenção de armas, onde eu aprendi a desmontar e montar o revólver calibre 38, e a pistola calibre 380. Eu pretendo fazer o curso de escolta armada futuramente, se for da vontade de Deus. Eu sou cristão, mas nem por causa disso eu sou tapado e alienado. Eu não sou indiferente ao sofrimento dos inocentes e a criminalidade. Não finjo que os problemas do mundo, principalmente, do meu país, não são problemas meus. Eu realmente me importo com as pessoas inocentes que são roubadas, estupradas, torturadas, e assassinadas, todos os dias. Eu sempre oro em favor das autoridades governamentais para que as coisas melhorem no Brasil.

Na minha humilde opinião, o ideal seria que somente os militares, policiais, e vigilantes, portassem armas, mas o Estado não garante a segurança do cidadão. No capítulo 13 da Carta aos Romanos, o apóstolo Paulo é bem claro quando afirma que é o dever do Estado proteger os cidadãos de bem e castigar os malfeitores. Infelizmente, aqui no Brasil, o governo pouco se importa com o povo, que está à mercê dos criminosos. A polícia até que se esforça bastante para tentar proteger os cidadãos, mas os bandidos têm todo o poder neste país. Os cidadãos têm que lutarem pelo seu direito de legítima defesa (já que o governo não garante a segurança do cidadão). Se não fossem essas ONGs pacifistas e o Órgão de Direitos Humanos, o Brasil seria um país muito melhor para se viver. Que Deus tenha piedade do povo brasileiro.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A VIRTUDE DE ASSIMILAR COISAS BOAS



“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz, e da luz escuridade; põem o amargo por doce, e o doce por amargo”! (Isaías 5:20)

Infelizmente, inúmeros cristãos confundem o bem com o mal, e o mal com o bem; e confundem o errado com o certo, e o certo com o errado. Esses religiosos alienados somente sabem enxergar o Capeta em todo lugar, porque eles são incapazes de enxergarem alguma virtude nas coisas seculares. No meio desses fanáticos, as coisas ruins da Igreja são exaltadas, e as coisas boas do mundo são demonizadas. Neste texto, pretendo mostrar as virtudes das obras seculares, que os religiosos tapados tanto se divertem demonizando, porque a alegria das suas vidas é demonizar tudo o que eles encontram pelo caminho.

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. (1 Coríntios 6:12)

O apóstolo Paulo foi bem claro quando afirmou que ele podia todas as coisas, mas nem tudo era conveniente ele fazer. Todas as coisas são lícitas para o cristão, mas nem tudo convém a ele fazer. Eu posso assistir desenhos e jogar videogame o quanto eu quiser, mas nem todos os desenhos e jogos me convêm me envolver. O que quero dizer é que não devo satisfações para os religiosos hipócritas, mas, sim, devo satisfação somente a Deus, e a minha própria consciência. Existem muitos desenhos e muitos jogos que ensinam coisas boas, e devo reter somente as coisas boas de tudo.

“Eu sei, e disso estou persuadido no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo para aquele que a considera, para esse é impura”. (Romanos 14:14)

Paulo nos ensinou, com muita sabedoria, que nenhuma coisa é de si mesma impura, a não ser para aquele que a considera impura, ou seja, as coisas não são do Diabo, a não ser para as pessoas que acreditam nessa besteira. Tudo pode ser usado tanto para o bem quanto para o mal, isto é, existem coisas boas no mundo, mas inúmeros religiosos ignorantes não têm a capacidade de assimilarem isso.

Agora, contarei alguns exemplos de coisas seculares boas que Deus usou para abençoar a minha vida. Deus não é formatado como os fariseus pregam, mas Ele usa coisas que as pessoas menos esperam para falar com elas. Deus é grandioso e magnífico, pois Ele já usou muitas vezes desenhos, seriados, e filmes, para falar comigo. Senti o desejo no meu coração de compartilhar isso com os meus leitores.

Há algum tempo, um ladrão (que ninguém sabe quem é) tem roubado as coisas na minha igreja. Eu fiquei com muita raiva desse ladrão, e invoquei a justiça divina. Deus, em sua infinita misericórdia, usou o “Chaves” para me mostrar, que eu deveria orar por esse ladrão. O personagem “Seu Furtado” roubou várias pessoas da vila, e todos acusaram o Chaves de ser o ladrão. Mais tarde, o Chaves conversando com a Chiquinha, contou que rezou para que o ladrão se arrependesse e ficasse bonzinho. O Seu Furtado ouviu o Chaves dizer isso e se arrependeu de seus crimes, devolvendo tudo o que roubou, e ainda comprou um sanduíche de presunto para o Chaves. Deus usou esse seriado infantil para me mostrar que eu deveria orar por esse ladrão para que ele se arrependesse e se convertesse de seus maus caminhos.

Outro exemplo que Deus usou para falar comigo foi o desenho “Samurai X”, porque o personagem principal, Kenshin Himura, era conhecido como Battousai, o Retalhador. Kenshin Himura era um matador, mas por causa do amor, ele se arrependeu de seus crimes, e prometeu para si mesmo que nunca mais mataria ninguém. No passado, eu desejava ser um justiceiro, mas através desse anime, Deus me mostrou que os bandidos podem se arrepender e se redimir.

O desenho “O Rei Leão” também foi usado por Deus para me abençoar. Antes, eu achava que precisava provar para os outros que sou valente, mas através do personagem, Mufasa, eu aprendi que devo apenas ser valente quando é realmente preciso ser valente. Não preciso provar a minha coragem para ninguém, porque eu devo ser corajoso somente quando é necessário.

Deus usou também o anime “Saint Seiya” para me ensinar inúmeros princípios e valores. Aprendi a valorizar a amizade e a honra, porque os cavaleiros de bronze são honrados e valorizam a amizade como o maior tesouro. Tornei-me numa pessoa melhor, graças às virtudes que Deus me ensinou através desse anime. É possível assimilar coisas boas. Basta querer.    

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

ABAIXO AO FANATISMO RELIGIOSO



“Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem sobre os ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los”. (Mateus 23:4)

Infelizmente, o fanatismo religioso sempre fez parte da História do Cristianismo. Existem cristãos que vivem em função do Diabo, ou seja, eles não conseguem viver sem o Capeta. Geralmente, esses religiosos tapados e alienados costumam impor um padrão de falsa santidade para os outros que nem eles mesmos conseguem viver. Esses hipócritas colocam fardos pesados em cima dos outros, mas eles, porém, nem com o dedo querem ajudar.

“Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”. (Mateus 15:7-9)

Sempre existiram os cristãos “doutrinários”, isto é, aqueles cristãos que vivem em função das doutrinas que são preceitos dos homens. Esses religiosos fanáticos não se importam com os mandamentos de Deus, porque eles dão mais valor as doutrinas que são preceitos dos homens do que aos mandamentos do Altíssimo. Ficar demonizando vestimentas e a aparência das pessoas é coisa de gente idiota, ou seja, o que as pessoas vestem ou deixam de vestir, ou se usam brincos, piercings, e tatuagens, não faz diferença nenhuma para se alcançar a Salvação, até porque a Salvação depende exclusivamente do sacrifício de Jesus; e não do que as pessoas fazem ou deixam de fazer. A Salvação não é pelas obras, mas, sim, pela Graça.

“Eu sei e estou certo, no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda”. (Romanos 14:14)

O apóstolo Paulo foi bem claro quando afirmou que as coisas não são do Diabo, a não ser para as pessoas que acreditam nessa asneira. A Bíblia, a Palavra de Deus, é muito clara quando diz o que é pecado, e o que não é pecado. Os pecados inventados pelos religiosos fanáticos são baseados apenas em seu preconceito religioso ridículo. Portanto, não devemos dar ouvidos a esses imbecis.

“Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu”. (Romanos 14:2-3)

Eu realmente acredito que existem religiosos radicais sinceros em seu radicalismo, mas o que me dá muita raiva é ver religiosos sem nenhum compromisso com Deus ficar atacando pedras nos outros, apenas, porque os outros não acreditam nas suas doutrinas que são preceitos dos homens. Todos os cristãos têm a liberdade para acreditarem no que quiserem, mas o que eles não podem fazer é impor a sua intolerância religiosa para os outros, porque isso é fanatismo religioso. Quem somente come legumes, fique na sua, e não perturbe ninguém.

“Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova”. (Romanos 14:22)

Se eu peco ou não, ninguém tem nada a ver com isso, porque eu prestarei contas a Deus pelos meus atos. Eu tenho a minha consciência tranqüila em relação às coisas que gosto, porque tenho certeza que Deus não condena as coisas que gosto.

Têm algumas coisas que preciso registrar neste artigo (não posso deixar passar essa oportunidade). Muitos cristãos demonizam filmes, seriados, e desenhos, pelo simples fato de Satanás ser o vilão dessas obras. Esses alienados queriam o quê? Eles queriam que o Diabo fosse o herói dessas obras? Para esses alienados e tapados, se o filme, seriado, ou desenho, for bíblico não tem problema, mas se for secular é do Demônio. Esse argumento furado é coisa de religioso tapado e desocupado.

Outro argumento furado usado por muitos evangélicos é que se o vilão de algum desenho, seriado, ou filme, é homossexual, então, essa obra não presta. O imperador Nero que perseguiu os cristãos no passado era gay. Então, será que o filme Quo Vadis é do Capeta? Jesus Cristo nos ensinou que devemos amar as pessoas, inclusive, os gays. Essa intolerância é pura homofobia.

Decidi escrever este texto para poder mostrar o quanto o fanatismo religioso é nocivo para a Igreja de Cristo. Nós, cristãos, devemos ser coerentes e usar a inteligência que Deus nos deu. A religião aliena e vicia como o ópio, mas a Graça de Jesus nos liberta de toda a alienação.

sábado, 1 de dezembro de 2012

A MINHA VIAGEM PARA SÃO CARLOS



Em novembro de 2012, eu viajei para São Carlos, e fui para um acampamento cristão junto com os meus grandes amigos Klayton e Phill. O Klayton além de ser um grande amigo meu, também é meu primo. O Phill é um dos meus melhores amigos. Eu viajei na companhia desses dois camaradas, e foi muito divertida a viagem. Antes de viajar, eu comi no Mcdonalds, e senti muito prazer em comer aqueles lanches maravilhosos (eu quase tive um orgasmo de tanto prazer). Durante a viagem, nós três ouvimos várias músicas e ficamos conversando. Foi muito agradável a minha viagem com esses dois grandes amigos.

Quando chegamos ao acampamento, fomos recebidos por verdadeiras princesas. Antes, eu enxergava essas garotas como deusas intocáveis, mas descobri que elas são apenas humanas, assim, como eu. Ana Terra, Ana Júlia, e Carla, nos receberam com muito carinho. O que eu mais admiro nessas garotas (que são irmãs em Cristo) é que elas apesar de serem belíssimas, elas são muito humildes. Eu adorei conhecê-las melhor. Eu sou muito tímido para conversar com garotas (na verdade, eu morro de medo de mulher; ainda mais se a mulher for linda, aí que eu tenho medo mesmo). Graças a Deus, eu não tenho mais medo dessas garotas, porque elas são muito legais e compreensivas comigo. As meninas de São Carlos são uns doces de pessoas. O povo do interior é muito mais agradável e humilde do que o povo da cidade grande.

Conheci homens legais também no acampamento, como, por exemplo, o Felipe (que é um ateu muito gente boa), e o Fabiano, que foi o monitor do meu quarto. Eu me diverti muito com os meus amigos, Phill, Klayton, e Hiago (que é irmão da Nayra, que é esposa do Klayton). A Nayra e o Hiago são muito legais; e gostei imensamente da companhia deles. Um missionário chamado Nesio, que é angolano, ministrou os cultos, e ele prega muito bem. Eu adorei as suas pregações. Esse acampamento foi uma benção.

Quando fomos embora, eu curti a paisagem, e nos hospedamos na casa dos pais da Nayra e do Hiago. O Manuel e a Damares são pessoas muito agradáveis, pois para mim foi um grande prazer conviver com eles nos dias que passei em sua humilde morada. A cachorrinha deles é uma gracinha de bichinho. Eu, o Klayton, e a Nayra, saímos muitas vezes com as nossas amigas de São Carlos. Nós vimos o filme “Amanhecer Parte 2” da Saga Crepúsculo, e eu adorei o filme. No dia seguinte, o Phill voltou para São Paulo, porque ele tinha que trabalhar. À noite nós fomos no “Trem Bão”, que é um lugar onde vende lanches deliciosos. O Klayton me mostrou num celular o jogo do “Ultra Dario”, que é um plágio do Super Mario. Eu conversei bastante com a Ana Terra, e vi que ela é uma pessoa admirável, assim, como a Carla, e a Ana Júlia, que também são pessoas encantadoras. Não me lembro exatamente o dia, mas nós fomos para a casa da Gabriela (outra bela serva de Deus). Lá eu conheci pessoalmente a Bíblia de Estudo de Genebra, uma excelente Bíblia. Nessa mesma noite, se não me engano, o Klayton deu carona para um policial militar chamado Vitor. Graças a Deus, nós somos pessoas de bem, pois devido aos ataques do PCC (Primeiro Comando da Capital), esse policial poderia estar correndo risco de vida, portanto, não foi prudente a sua atitude. Talvez, a presença desse policial coibisse a ação de assaltantes, ou a nossa carona o tenha livrado de algum perigo. Somente Deus sabe o porquê de o Klayton ter dado carona para o policial Vitor nesse dia.

Em uma tarde que fiquei sozinho na casa do Manuel e da Damares, eu aproveitei para ler a Bíblia, e li capítulos interessantes. Eu li o capítulo 13 da Carta aos Romanos como sempre, e li alguns capítulos da Carta aos Efésios. Aprendi muito lendo a Palavra de Deus nesse dia. Eu tenho o hábito feio de falar palavrões, mas lendo a Bíblia, decidi parar com isso.

No último dia que estive em São Carlos, eu, o Klayton, o Hiago, e a Nayra, fomos num shopping, e eu comi no Mcdonalds de novo (dessa vez, eu não senti tanto prazer). Depois, eu, o Klayton, a Nayra, o Hiago, e a Ana Terra, fomos numa sorveteria chamada “Chiquinho” (se não me engano, esse é o nome do lugar mesmo). Eu tomei um milk-shake de Kinder Ovo (uma verdadeira delícia). Conheci pessoas legais nesse encontro. Foi muito divertido.

Quando fomos embora, fomos eu, o Felipe (o ateu), a Ana Júlia, a Nayra, e o Klayton. Foi muito boa a viagem de volta. Graças a Deus, a minha viagem para São Carlos foi proveitosa, pois conheci pessoas maravilhosas naquele lugar. A minha volta para São Paulo foi muito agradável; e pretendo voltar para São Carlos no Ano-Novo.