segunda-feira, 23 de julho de 2012

A CAVERNA DA SOLIDÃO



“E Deus lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante o Senhor. E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do Senhor; porém, o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto; e depois do terremoto um fogo; porém, também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada. E sucedeu que, ouvindo-a Elias, envolveu o seu rosto na sua capa, e saiu para fora, e pôs-se à entrada da caverna; e eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias”? (1 Reis 19:11-13)

O profeta Elias estava muito deprimido, e se escondeu numa caverna do monte Horebe, e decidiu não sair mais de lá. Deus usou um grande e forte vento, um terremoto, e um fogo para tirar Elias de dentro da caverna, mas somente uma voz mansa e delicada tirou o profeta de lá de dentro. No meu caso, essa voz mansa e delicada seria o amor de uma mulher.

Elias estava extremamente deprimido, assim, como eu estou deprimido desde que me conheço por gente. Eu estou dentro de uma caverna, e somente a voz mansa e delicada de uma mulher me tirará daqui de dentro. A brisa suave que preciso sentir e a voz mansa e delicada que preciso ouvir é o amor de uma mulher. Durante a minha vida inteira me guardei para a mulher certa para mim, porque desejo ser um homem de uma só mulher. Mas, estou muito decepcionado com as mulheres. Eu sempre respeitei as mulheres; e nunca fui valorizado por elas por causa disso. Apaixonei-me por inúmeras mulheres durante a minha existência, e garanto que nenhuma delas valeu à pena.

A cada dia que passa, estou me tornando cada vez mais machista. Eu sou sincero quando afirmo que me dói muito dizer que as mulheres não merecem o meu respeito. Muitas mulheres gostam de serem tratadas como mercadorias, ou seja, elas gostam de serem usadas como se fossem objetos sexuais. Quase todas as mulheres que conheci durante a minha vida, são mesquinhas e fúteis, além de serem grossas e estúpidas. Muitas mulheres são masoquistas, isto é, elas gostam de apanhar, de serem xingadas, e de serem traídas. Sinto muita dor no meu coração ao dizer essas coisas, mas estou sendo extremamente sincero. Estou muito decepcionado com as mulheres.

Eu conheci inúmeras mulheres que somente se interessam pelos homens quando eles usam roupas de marca e têm carro ou moto. Geralmente, esses homens são muito feios e idiotas, mas mesmo assim, essas mulheres fúteis e interesseiras vão atrás deles. Conheci mulheres que gostam de serem maltratadas pelos seus cônjuges, ou seja, elas apanham, são xingadas, são traídas, e se regozijam com isso. Conheci mulheres que quando os homens correm atrás delas, elas os tratam como lixos, mas os homens que as maltratam ou as desprezam, elas valorizam.

Geralmente, as pessoas acham a Bíblia machista, e estou começando a ver a Palavra de Deus desse jeito também. Agora, eu entendo o porquê de Deus querer que os homens governem, e que as mulheres sejam submissas a eles. A conclusão que cheguei com a minha experiência de vida, é que a mulher foi criada para ser dominada, e não para dominar. Eu sempre defendi as mulheres, mas elas sempre me desprezaram. Os homens que as dominam e as oprimem são valorizados por elas. Homens certinhos e corretos como eu, são desprezados e humilhados pelas mulheres.

A minha intenção em escrever este texto, não é ofender o sexo feminino, mas, sim, mostrar como muitas mulheres não se dão ao respeito. Eu ainda aguardo uma mulher que me valorize. Apesar de minha decepção com o sexo oposto, eu ainda tenho esperança de que em algum lugar, exista uma mulher que vale à pena. 

sexta-feira, 20 de julho de 2012

O REVOLUCIONÁRIO



“A apatia está por toda parte, ninguém se preocupa em verificar se o que está sendo pregado é verdadeiro ou falso”. (Charles Spurgeon)

A Igreja Cristã atualmente está deixando muito a desejar, porque a maioria dos cristãos dá mau testemunho. Os religiosos hipócritas usam o santo Nome de Deus para explorar os ignorantes. A hipocrisia está por toda parte, pois os fariseus mandam e desmandam nas igrejas evangélicas. Os crentes alienados e tapados costumam ver o Diabo em todo lugar, menos onde ele realmente está. Os religiosos fanáticos pregam que tudo é pecado, menos o pecado. Muitos evangélicos se preocupam mais em obedecer a doutrinas que são preceitos dos homens do que os mandamentos do próprio Deus. A insanidade religiosa e o Terrorismo Gospel alienam através do Evangelho do Medo as pessoas leigas que não conhecem a Palavra de Deus.

Muitas mulheres crentes não se dão o respeito, ou seja, elas não são muito diferentes das mulheres do mundo que se prostituem. Eu sempre defendi as mulheres, mas a cada dia que passa sou tentado a me tornar machista. Muitas mulheres gostam de serem tratadas como mercadorias, isto é, elas gostam de serem usadas como se fossem objetos mesmo. As garotas evangélicas são as que mais me decepcionam, porque eu esperava coisa melhor delas. As garotas crentes conhecem a verdade, mas, infelizmente, muitas delas não têm nenhum respeito por Deus, e nem por elas mesmas. Agora, eu entendo o porquê de Deus querer que os homens governem, e que as mulheres sejam submissas a eles. Desculpem-me pela minha sinceridade, pois eu estou apenas desabafando. Claro, que há mulheres valorosas que são exceções, mas são poucas.

Quase todos os evangélicos são preconceituosos (eu me incluo entre eles). Eu tenho muito que aprender com Jesus Cristo, o Messias. O que eu mais admiro em Jesus Cristo, é que Ele amava as pessoas sem julgá-las (na verdade, somente os religiosos hipócritas eram julgados por Jesus). Cristo sempre andou com as pessoas pobres e simples (algo que eu preciso aprender). Jesus também andava com pessoas nobres e ricas, como o seu amigo, José de Arimatéia, que era membro do Sinédrio e um senador muito rico. Jesus Cristo era um homem que se assentava à mesa com prostitutas e ladrões, ou seja, Ele comia e bebia com os pecadores (algo que a maioria dos cristãos não gosta de divulgar).

Na época em que Tibério César era imperador de Roma, e Herodes Antipas, tetrarca da Galiléia, e Pôncio Pilatos, governador da Judéia, um homem simples que era carpinteiro revolucionaria a história da humanidade.

Jesus Cristo era um homem politicamente incorreto (acreditem, essa é a mais pura verdade). O Messias tratava ricos e pobres como se fossem iguais, porque Ele amava a todos igualmente. Jesus elogiou a fé de um centurião romano, e desprezou a religiosidade dos fariseus, que eram hipócritas. Cristo preferia andar com prostitutas e ladrões do que com os fariseus, que eram falsos. Jesus virou as mesas, chutou tudo o que via pela frente, e desceu a chicotada nos cambistas do Templo de Jerusalém (os religiosos hipócritas podem querer encobrir isso o quanto quiserem, mas isso está registrado na Bíblia). Então, será mesmo que Jesus Cristo era politicamente correto e falso moralista como a maioria dos cristãos prega?

“Porém, o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei, porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém, o Senhor, o coração”. (1 Samuel 16:7)

Deus, Jesus Cristo, e o Espírito Santo, não estão preocupados com a aparência das pessoas, mas, sim, com os seus corações. Portanto, doutrinas que são preceitos dos homens não salvam ninguém. O único que pode salvar é Jesus Cristo, o Messias.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

O VERDADEIRO REI DAS NAÇÕES



“Batei palmas, todos os povos; celebrai a Deus com vozes de júbilo: Pois o Senhor Altíssimo é tremendo, é o grande rei de toda a terra. Ele nos submeteu os povos, e pôs sob os nossos pés as nações. Escolheu-nos a nossa herança, a glória de Jacó, a quem ele ama. Subiu Deus por entre aclamações, o Senhor, ao som de trombeta. Salmodiai a Deus, cantai louvores; salmodiai ao nosso Rei; cantai louvores. Deus é o rei de toda a terra, salmodiai com harmonioso cântico. Deus reina sobre as nações: Deus se assenta no seu santo trono. Os príncipes dos povos se reúnem, o povo do Deus de Abraão, porque a Deus pertencem os escudos da terra: ele se exaltou gloriosamente”. (Salmo 47:1-9)

As Testemunhas de Jeová e muitos evangélicos pregam a mentira satânica de que Satanás é o Rei das Nações. Neste texto, eu pretendo provar que o Deus de Israel é o verdadeiro Rei das Nações. O Altíssimo domina sobre todos os reinos da Terra, pois Ele é o Todo-Poderoso. Adonai criou o mundo e seus habitantes, portanto, Ele é o único Deus digno de reinar sobre as nações.

“Mas, quando o seu coração se exalçou e o seu espírito se endureceu em soberba, foi derribado do seu trono real, e passou dele a sua glória. E foi tirado dentre os filhos dos homens, e o seu coração foi feito semelhante ao dos animais, e a sua morada foi com os jumentos monteses; fizeram-no comer erva como os bois, e pelo orvalho do céu foi molhado o seu corpo, até que conheceu que Deus, o Altíssimo, tem domínio sobre os reinos dos homens e a quem quer constitui sobre eles”. (Daniel 5:20-21)

A Bíblia é bem clara quando nos ensina que Deus estabelece os reis da Terra, ou seja, o Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e coloca no poder a quem Ele quer. Deus colocou Nabucodonosor no poder, e o tirou do seu trono real quando quis. Deus levanta uma nação para castigar outra nação, assim, como Ele levantou a Pérsia para derrotar a Babilônia. O Todo-Poderoso levantou Ciro, o Persa, e Dario, o Medo, para derrotarem Belsazar, o rei dos caldeus.

“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas”. (Romanos 13:1)

O apóstolo Paulo afirmou com convicção que as autoridades governamentais foram estabelecidas por Deus. Portanto, não foi o Diabo quem as estabeleceu. Deus estabelece reis e depõe reis segundo a sua soberana vontade.

As Testemunhas de Jeová costumam pregar que Lúcifer tem o domínio sobre os reinos da Terra (infelizmente, têm evangélicos que pregam a mesma asneira). Mas, segunda a própria Palavra de Deus, Yavé é o verdadeiro Rei das Nações. Não somente o Salmo 47, mas outros Salmos também afirmam que o Senhor dos Exércitos reina sobre todos os povos.

Essa historinha ridícula de ficar usando versículos bíblicos fora de contexto para ficar pregando que o Diabo pode todas as coisas e que ninguém pode contra ele, é coisa de religioso tapado e desocupado. Esse papo furado de que Satanás é o Rei das Nações, isto é, o dono desse mundo, não tem embasamento bíblico. Usar trechos isolados da Bíblia para afirmar tal heresia, é coisa de fariseu. Portanto, os religiosos alienados que fazem isso, precisam se converter.

Deus, o Altíssimo, criou o Universo, os planetas, e as estrelas; portanto, Ele governa sobre todo o Universo. Deus não é somente o Rei da Terra, mas Ele também é o Rei do Universo. O Todo-Poderoso governa sobre todas as nações do mundo, portanto, Ele é o verdadeiro dono do mundo, e não o Diabo. Deus é o verdadeiro Rei das Nações.

domingo, 15 de julho de 2012

PENA CAPITAL



“Certamente requererei o vosso sangue, o sangue da vossa vida; de todo animal o requererei, como também da mão do homem, sim, da mão do próximo de cada um requererei a vida do homem. Se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem se derramará o seu; porque Deus fez o homem segundo a sua imagem”.  (Gênesis 9:5-6)

Depois do Dilúvio, Deus instituiu a pena de morte para que os assassinos paguem com as suas próprias vidas por seus assassinatos. O Deus do Antigo Testamento é o mesmo do Novo Testamento, ou seja, Ele tem o mesmo padrão de justiça, e os mesmos princípios. O Altíssimo não mudou de personalidade, e nem mudou a sua ética no Novo Testamento. Adonai continua sendo o mesmo hoje e sempre. Yavé castiga pessoalmente os malfeitores, mas Ele também estabeleceu o Estado para punir os criminosos. Quando as autoridades governamentais não cumprem com o seu dever, Deus se encarrega de castigar os culpados.

O sexto mandamento em muitas traduções da Bíblia é traduzido na forma errada “não matarás”; mas a sua tradução correta é “não assassinarás”. Há diferença entre um homicídio lícito e um assassinato. O verbo hebraico “ratsach” usado para o sexto mandamento no Antigo Testamento, e o verbo grego “foneuo” usado para esse mesmo mandamento no Novo Testamento, são usados para se referir ao assassinato criminoso, e não a legítima defesa e a pena capital. Tanto o verbo hebraico “ratsach” quanto o verbo grego “foneuo” se referem ao homicídio ilícito. Portanto, os cristãos matarem na guerra para se defenderem ou para protegerem alguém, ou o Estado aplicar a pena de morte, não é pecado; porque Deus condena o assassinato criminoso, e não a legítima defesa e a pena capital.

“visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal”. (Romanos 13:4)

O apóstolo Paulo foi muito claro quando afirmou que o Estado é ministro de Deus para o nosso bem; e que Deus lhe autorizou a usar a espada para punir os malfeitores. A palavra grega usada para espada na Bíblia original é “machaira” que é um símbolo da pena de morte. Nos 7 primeiros versículos do capítulo 13 da Carta aos Romanos, Paulo afirma categoricamente que as autoridades governamentais são estabelecidas por Deus, e que os homens investidos de autoridade são ministros de Deus e seus vingadores para castigarem os que praticam o mal. A função do Estado é punir os malfeitores, e enaltecer os cidadãos de bem.

“Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence à vingança; eu retribuirei, diz o Senhor”. (Romanos 12:17-19) 

O capítulo 12 da Carta aos Romanos foi tão inspirado pelo Espírito Santo quanto o capítulo 13 dessa mesma Carta. Muitos cristãos adoram deturpar o contexto do capítulo 12 da Carta aos Romanos, e ignoram o capítulo 13 descaradamente. Há diferença entre a vingança pessoal e a justiça aplicada devidamente pelas autoridades legalmente constituídas. Desde o Antigo Testamento, Deus nos ensina que a vingança pertence a Ele. Nós devemos entregar a nossa vingança nas mãos de Deus. Muitas vezes, Deus usa o Estado para aplicar a sua justiça. Os únicos que têm o direito de fazer justiça são o próprio Deus, e as autoridades governamentais (dentro da lei).

Escrevi este texto para mostrar para os cristãos que a pena de morte tem embasamento bíblico sim. Somente não enxerga isso quem não quer.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

PRINCÍPIOS E VALORES EM SAINT SEIYA



Um desenho que gosto muito é o “Saint Seiya”, porque é um anime magnífico. Quando eu era criança, sofri muito preconceito por parte dos evangélicos por eu gostar do desenho japonês “Os Cavaleiros do Zodíaco”. Pretendo usar o meu talento de escrever mais uma vez para poder defender o anime Saint Seiya, porque já estou farto da hipocrisia e do fanatismo religioso dos fariseus. Chega de falso moralismo.

Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão, Hyoga de Cisne, Shun de Andrômeda, e Ikki de Fênix são os protagonistas desse maravilhoso desenho. Esses jovens cavaleiros de bronze são conhecidos como “Os Cavaleiros da Esperança”. Seiya e seus amigos são homens dispostos a sofrerem e morrerem pelos outros. Eles não usam os seus punhos em causa própria, mas usam os seus poderes para promover a justiça.

Seiya é determinado e perseverante, ou seja, ele não se entrega facilmente. O cavaleiro de Pégaso, mesmo sem os seus cinco sentidos, permanece lutando em prol da justiça. Seiya é um guerreiro admirável. No filme “A Lenda dos Defensores de Atena”, Seiya havia perdido a esperança e queria morrer. Saga de Gêmeos disse para Seiya que para os que perdem a esperança e desistem de lutar só resta morrer mesmo. Saga incentivou Seiya a lutar pela vida. Pégaso derrotou Gêmeos, e conseguiu vencer os demais inimigos, porque ele voltou a ter esperança, e continuou lutando.

Shiryu de Dragão é o cavaleiro que mais valoriza a amizade. Shiryu não vive para si mesmo, mas, sim, para a justiça. Ele é um homem que daria a vida pelos outros. Apesar de eu gostar mais do Ikki de Fênix, Shiryu é o cavaleiro que acho mais íntegro e honrado, isto é, ele é o mais digno do meu respeito. O cavaleiro de Dragão em várias ocasiões se sacrificou pelos seus amigos. Quando Shiryu doou grande parte de seu sangue para concertar as armaduras de Pégaso e de Dragão, ele provou que a sua amizade era verdadeira arriscando a sua própria vida. Em outra ocasião, Shiryu se cegou para poder derrotar Algol de Perseu, um cavaleiro de prata que havia transformado Seiya e Shun em estátuas de pedra. Assim, Dragão salvou Pégaso e Andrômeda. Quando Shiryu enfrentou vários esqueletos de cavaleiros, ele não podia se desviar para a direita, nem para a esquerda, e nem recuar. Assim, nós, cristãos, temos que trilhar o Caminho de Deus.

Hyoga de Cisne é um cavaleiro muito valente e honrado que tem muito carinho pela sua mãe. Hyoga tem princípios cristãos (a sua mãe era cristã), e ele é muito perseverante nas batalhas, assim, como os seus demais companheiros. Na Casa de Escorpião, quando Hyoga enfrentou Milo, o cavaleiro de Escorpião lhe disse que era um sonho os cavaleiros de bronze chegarem até a Sala do Mestre, mas Cisne lhe falou que se as pessoas se esforçarem e lutarem por seus sonhos, os seus sonhos podem ser realizados.

Shun de Andrômeda odeia a violência, ou seja, ele não gosta de lutar. Mas, luta quando é necessário. Shun é muito sensível, e não gosta de machucar as pessoas. Na Casa de Libra, o cavaleiro de Andrômeda elevou o seu cosmo ao máximo (arriscando a sua própria vida) para poder descongelar Hyoga de Cisne, que havia sido congelado por Camus de Aquário. Shun também está disposto a dar a sua própria vida pelos seus amigos.

Ikki de Fênix era maléfico no passado, mas graças à amizade de Seiya e dos outros; e do amor de seu irmão Shun, ele se converteu de seus maus caminhos. Ikki era só ódio por dentro, mas o amor o fez se arrepender de seus pecados e nascer de novo. O cavaleiro de Fênix era perverso, e liderava os terríveis cavaleiros negros, mas quando Ikki se converteu, ele passou a lutar pela justiça.

A parte que mais gosto do anime Saint Seiya, é quando o Mestre Ancião (Dohko de Libra) dá uma lição de moral em Máscara da Morte, o cavaleiro de Câncer. Aprendi com Dohko que a injustiça será para sempre injustiça; e a justiça será eternamente justiça. Não importa o quanto o mal tente mudar isso, a verdade é imutável. A injustiça nunca será justiça. Estes são os princípios e valores do anime Saint Seiya.  

Estou passando por um momento muito difícil; e o meu coração dói tanto, como se Afrodite de Peixes tivesse encravado uma rosa sangrenta no meu coração. Ainda bem que eu tenho o anime Saint Seiya para me alegrar e me ajudar a esquecer a tristeza.