sábado, 21 de abril de 2012

MEDO DA SOLIDÃO



Nos últimos meses, tenho aprendido mais sobre o amor. Conheci vários tipos de amor durante a minha existência aqui na Terra, porém, nunca conheci o amor de uma mulher. Eu nunca amei uma mulher (até porque a gente somente pode afirmar que ama convivendo com a pessoa), mas me apaixonei por diversas mulheres. Algumas valeram a pena (elas eram realmente legais), mas outras não valeram tanto a pena assim. Eu sempre quebro a cara quando me apaixono, por isso, decidi fechar o meu coração para isso. Eu sempre me pergunto se a pessoa certa para mim existe. Eu gostaria realmente de saber se é minimamente possível alguma mulher se apaixonar por mim. Eu sempre fui inocente e ingênuo em relação às mulheres. Podem acreditar, eu não tenho a maldade e a malícia que os outros homens têm. Neste texto, irei desabafar sobre os meus sentimentos, e afirmo categoricamente, que serei extremamente verdadeiro e sincero em tudo o que eu escrever.

A primeira coisa que acontece quando eu me interesso por alguma garota é sentir extremo medo dela. Eu sou muito tímido e tenho medo das garotas pensarem que eu estou querendo dar em cima delas (eu garanto que sou muito inocente com as mulheres; e as minhas intenções são sempre as melhores). Eu sempre fui muito íntegro em relação às mulheres. Eu sempre as respeitei, pois nunca ousei fazer nada errado com elas. Deus, o Altíssimo, sabe, que eu em nenhum momento pretendi fazer algo errado com as garotas. Eu sinto atração física por mulheres (glória a Deus por isso), mas em pouquíssimas vezes eu pensei alguma coisa imoral com elas. Quero contar sobre algumas amigas que tive (não citarei nomes), mas quem conhece a minha história saberá de quais pessoas estou falando.

Eu raramente me relaciono (me refiro à amizade) com as mulheres. Eu tenho muito medo do sexo oposto; e o meu maior medo é que as garotas pensem que eu quero fazer alguma coisa indevida com elas (Deus sabe que eu sou realmente puro em relação a isso). Poucas garotas tiveram a coragem de se aproximar de mim. De algumas eu sou amigo até hoje. Já tive amigas “santas” e amigas supostamente “depravadas”, mas sempre respeitei ambas. O sexo pouco me importa (ou qualquer outra coisa que me excite). Eu nunca beijei na boca e nem transei, porque sempre me guardei para a pessoa certa. Eu nunca quis um objeto sexual, mas sempre quis uma companheira, uma grande amiga. Eu sinto atração física por mulheres, mas eu sou sincero quando afirmo que o sexo e o beijo pouco me importam. O que eu quero é a companhia. Claro, que se algum dia eu namorar, beijarei a minha namorada na boca. Também é óbvio, que se eu me casar, farei sexo com a minha esposa. Mas no momento o que eu procuro é apenas uma companhia feminina.

Eu sempre procurei uma companhia feminina que preenchesse o vazio do meu coração, mas nunca a encontrei. Eu nem sei se a mulher certa para mim realmente existe. Talvez, o meu destino seja o celibatário mesmo. Será que eu serei celibato pelo resto dos meus dias? Será que nunca uma mulher irá me amar? Eu desejo muito ter amizades femininas, mas gostaria de ter uma amiga especial. Eu desejo muito ter uma amiga em que eu possa confiar os meus mais íntimos segredos a ela. Mas, acho que essa pessoa nunca vai existir. As mulheres geralmente não gostam de mim. Nem sabem elas que eu não sou nenhuma ameaça. Eu sou um homem muito íntegro e respeitador, ou seja, eu jamais tentaria fazer algo errado com as mulheres (nem se elas quisessem).

Eu sempre peço para Deus me tornar numa pessoa melhor, mas, infelizmente, eu sempre piso na bola com as pessoas (principalmente, com as mulheres). Talvez, o meu destino seja me dedicar às guerras e as batalhas mesmo, porque no amor eu nunca tive sorte. 

Nenhum comentário: