segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

VIVER E MORRER COM HONRA


Eu sempre admirei os guerreiros, porque sempre me encantei com a coragem e a bravura dos mestres na arte da guerra. Guerrear não é para qualquer um. Muitos homens nascem com a vocação para lutar; e outros aprendem a combater durante a vida. Infelizmente, eu nunca fui muito bom nas batalhas; mas desejo ardentemente me tornar num guerreiro um dia. Eu admiro muito os homens que estão dispostos a morrer por uma causa nobre. Nem todos os homens são covardes, porque existem homens que não temem a morte. Eu sempre peço a Deus para Ele me dar uma morte honrada, porque eu quero morrer com honra. Viver com honra também é muito digno.

“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz, e da luz escuridade; põem o amargo por doce, e o doce por amargo”! (Isaías 5:20)

Infelizmente, muitos cristãos consideram o que é mal bom, e o que é bom mal. Muitos crentes consideram o errado certo, e o certo errado.

A omissão diante do mal é pecado e sempre será pecado. Passar a mão nas cabeças dos bandidos não acabará com a maldade no mundo, pelo contrário, aumentará ainda mais a violência. Onde diz na Bíblia que eu devo encobrir os erros dos outros e ser conivente com o pecado?

Eu sempre sofri muito preconceito no meio evangélico por eu gostar de artes marciais; mas, os idiotas que sempre me atacaram pedras nunca procuraram saber a verdade sobre as lutas esportivas. Esses hipócritas nunca procuraram saber se eu realmente sou idólatra e violento. Eu nunca me curvei perante quadros e estátuas; e nem saio distribuindo porradas nos outros por aí. Eu somente me curvo diante do Deus de Israel, o Deus Único. As artes marciais ensinam as pessoas a serem altamente disciplinadas; e disciplina é algo que faz falta na Igreja de Cristo.

Quase todos os cristãos nunca compreenderam o sexto mandamento “não matarás”. A tradução correta do sexto mandamento é “não assassinarás”. Os religiosos alienados usam e abusam da tradução errada desse mandamento para ficarem atacando pedras nos guerreiros que matam para se defenderem ou para protegerem os indefesos. O verbo hebraico “ratsach” usado nesse mandamento no Antigo Testamento, e o verbo grego “foneuo” usado nesse mandamento no Novo Testamento, sempre são usados para se referir ao assassinato criminoso, e nunca a legítima defesa e a pena capital. Tanto o verbo hebraico “ratsach” quanto o verbo grego “foneuo” se referem ao homicídio ilícito. Portanto, matar para se defender ou para proteger alguém não é pecado.

Os samurais (apesar da prática do ritual suicida quando eles eram derrotados) e os cavaleiros medievais eram guerreiros que tinham princípios morais e valores. Como eu gostaria de ter vivido nas épocas em que os samurais e os cavaleiros existiam.

Os militares e policiais bons e honestos, que arriscam as suas vidas para nos protegerem, também são dignos de meu respeito e admiração. O capítulo 13 da Carta aos Romanos e o capítulo 2 da Primeira Epístola de Pedro mostram qual é a função dos agentes do Estado. O dever das autoridades é castigar os malfeitores e enaltecer os que praticam o bem. Deus estabeleceu o governo para isso. A obrigação dos cristãos é intercederem em favor das autoridades governamentais para que o Estado cumpra com o seu papel, que é promover a justiça.

Viver trabalhando honestamente é louvável; e morrer lutando por uma causa nobre é algo maravilhoso. Eu quero viver e morrer lutando pelo que acredito. Eu quero ter uma vida digna e uma morte honrada. Eu quero viver e morrer com honra.

Os heróis existem com certeza. Podem acreditar. Os guerreiros que lutam pela justiça sempre surgem para combater o mal. O bem sempre vencerá o mal.

2 comentários:

VJ disse...

cara sensacional!!!!curti mtoo
amo a filosofia das artes marciais tbm!!! parabens

Reflexões de Filipe Levi disse...

Que milagre! Alguém que gostou do meu blog! rsrsrsrs. Que bom que você gostou! Eu também gosto muito de artes marciais.