terça-feira, 27 de setembro de 2011

O TEMPO DE DEUS


“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derribar, e tempo de edificar; tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de saltar de alegria; tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de deitar fora; tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; tempo de amar, e tempo de aborrecer; tempo de guerra, e tempo de paz”. (Eclesiastes 3:1-8)

Geralmente, as pessoas têm muita dificuldade de compreender o tempo de Deus; e eu mesmo já fiquei chateado com o Todo-Poderoso (muitas vezes) por não ter compreendido o seu tempo. Com a experiência de tempo que tenho com o meu relacionamento com Deus, posso afirmar categoricamente que o tempo de Deus é perfeito. Tudo o que eu pedi para Deus, Ele realizou no tempo d’Ele. Existem três respostas que Deus pode dar para alguém: sim, não ou espera. Graças a Deus, até agora a resposta de Deus para mim foi sempre, espera.

Quando eu era adolescente, ficava desesperado, porque eu não tinha uma namorada. Hoje, não tenho mais interesse em namorar e menos ainda em me casar, mas se for da vontade de Deus que um dia eu namore ou case, eu aguardarei o tempo d’Ele. Por enquanto, eu estou muito bem sozinho.

Quando eu era criança, sonhava em praticar artes marciais, e a luta que eu mais admirava era o Kung Fu. Quando me tornei adolescente, pratiquei o Estilo Serpente. Quando me tornei jovem, tive interesse em praticar o Sanshou (Boxe Chinês) e Deus me ajudou a conseguir praticar todos os estilos que desejei praticar, isto é, Ele nunca me recriminou. Eu me decepcionei por praticar artes marciais, não por causa das lutas esportivas em si, mas, sim, devido às calúnias e acusações que sofri por causa da intolerância religiosa de evangélicos hipócritas que adoram cultuar falsos profetas.

Desde criança, eu tinha o sonho de pegar numa arma de fogo, e com dezesseis anos de idade eu quase aprendi a atirar, em Atibaia, no interior de São Paulo. Na época, eu apenas peguei num Winchester 22, mas não cheguei a pegar num revólver ou numa pistola como eu desejava ardentemente pegar. Quando fiz vinte anos de idade, consegui pegar numa pistola calibre 380 através de um amigo meu, que é policial. No tempo de Deus, esse meu sonho foi realizado. Eu ainda sonho em aprender a atirar, e se for da vontade de Deus, no tempo certo eu aprenderei a manusear armas de fogo.

Eu tinha o sonho de voltar a ver o anime “Saint Seiya” e de ver o desenho “Dragon Ball”. Eu pedi para Deus com toda a sinceridade do meu coração para que Ele me ajudasse a assistir esses desenhos. Deus é muito diferente do que o Josué Yrion e seus seguidores pregam, porque Ele realizou esse meu sonho. Ou seja, eu consegui ver os animes que desejava assistir.

Durante anos, eu desejei ter um Playstation 2, e eu não tinha condições financeiras de comprar um videogame tão caro. Mas, Deus, com a sua infinita misericórdia, me presenteou com um Playstation 2. Um amigo meu chamado Carlos, que também é policial, me deu um Playstation 2 de presente de aniversário. Agora, eu posso jogar os jogos de Super Nintendo à vontade. Deus sempre foi fiel na minha vida.

Um dos meus maiores sonhos é que surja uma TV de qualidade no Brasil, porque a baixaria está insuportável. A gloriosa Rede Manchete me fez muito feliz com os seus animes e séries tokusatsus. Não peço para Deus trazer a saudosa Rede Manchete de volta, mas apenas desejo que uma emissora de televisão semelhante à Rede Manchete surgisse para alegrar o meu coração. A televisão era a minha válvula de escape para eu me distrair da maldade dos homens, mas, agora, não tenho mais uma TV de qualidade para me distrair. Aguardarei o tempo de Deus.

Desejo também arranjar um emprego legal que seja perto de minha casa. Não faço questão de ganhar muito, mas, sim, de trabalhar num lugar que seja cheio de paz e harmonia.

Eu ainda sonho em ter um computador só meu, e sei que Deus me dará um computador no momento certo. O que eu acho mais legal em Deus, é que Ele trata as coisas importantes para mim como sendo importantes para Ele. Deus é demais.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

OS CAVALEIROS DA ESPERANÇA


Um desenho animado que marcou muito a minha infância foi o magnífico anime “Saint Seiya”, conhecido também como “Os Cavaleiros do Zodíaco”. Uma coisa que sempre me entristeceu muito é a disposição e a facilidade que a maioria gritante dos evangélicos tem em ver o Diabo em todo lugar, menos onde ele realmente está. Os religiosos fanáticos têm muita dificuldade em ver coisas boas nos desenhos, porque geralmente eles somente vêem o que é ruim. Eu pretendo através deste artigo mostrar o que a Igreja de Cristo tem a aprender com o anime Saint Seiya.

Os cavaleiros de bronze, Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão, Hyoga de Cisne, Shun de Andrômeda e Ikki de Fênix; são conhecidos como “Os Cavaleiros da Esperança”. Esses jovens cavaleiros combatem vilões maléficos para poderem proteger a Terra e a humanidade. Esse anime ensina muitos princípios morais, ou seja, ensinamentos bons; como, por exemplo, a honra, a amizade, a dignidade, a bondade, a honestidade e a coragem. Esse desenho destaca muito o valor da amizade (algo que muitos evangélicos precisam aprender). Esses cavaleiros estão dispostos a morrer um pelo outro e a morrerem lutando pelo que acreditam. Hoje, eu duvido que a maioria dos evangélicos morreria por Cristo ou daria a vida para salvar algum amigo. O que eu vejo nas igrejas evangélicas é um evangélico querendo passar a perna no outro. Dentro da Igreja eles são santos, mas fora esquecem que Deus existe com a maior facilidade. Agora, irei mostrar os momentos mais emocionantes do anime Saint Seiya para mim, isto é, em que eu pude aprender valores que não aprendi na Igreja Cristã.

Logo depois da Guerra Galáctica, os cavaleiros de bronze enfrentaram Ikki de Fênix, o líder dos terríveis cavaleiros negros (nessa época, Ikki, ainda era mau). Os cavaleiros do bem venceram os terríveis vilões. O momento que mais me marcou foi quando Shiryu foi levar as armaduras para o Mu de Áries consertá-las, e provou o valor de sua amizade arriscando a sua própria vida, dando o seu próprio sangue para restaurar as armaduras. Depois, Shiryu enfrentou o Dragão Negro, e esse vilão se tornou bom, porque descobriu o que era a amizade. Ikki se converteu depois de ser derrotado por Seiya, e sacrificou a sua própria vida combatendo o gigante Dócrates para salvar os cavaleiros de bronze. Hyoga, que tinha sido quase morto por Ikki, o perdoou e se tornou seu amigo.

Na luta contra os terríveis cavaleiros de prata, Pégaso e Andrômeda foram transformados em pedra por Algol de Perseu. O cavaleiro de Dragão se cegou (ele furou os seus próprios olhos) para poder derrotar Algol e salvar os seus amigos. Esse anime ensina muito o sacrifício altruísta em beneficio dos outros.

Na batalha contra os cavaleiros de ouro nas doze casas, os cavaleiros de bronze foram extremamente persistentes e arriscaram as suas vidas para poderem alcançar o seu objetivo, salvar Saori Kido. Claro, que não concordo com a idolatria e a astrologia envolvidas nesse desenho animado, mas admiro a reverência e o amor que os heróis têm pela deusa Atena (algo que não vejo nas igrejas evangélicas em relação ao Deus judaico-cristão). Devemos reter de tudo o que é bom. Inclusive, reter o que tem de bom nos desenhos animados que o Josué Yrion e seus seguidores adoram demonizar.

Eu aprendi muitas coisas boas através do anime “Os Cavaleiros do Zodíaco”. Infelizmente, eu acabei aprendendo muitas coisas ruins com certos evangélicos que dão mau testemunho e levam as coisas de Deus na brincadeira. Os evangélicos precisam aprender o valor da amizade e do sacrifício altruísta em prol da justiça. Os cristãos precisam fazer a diferença na sociedade, sendo o sal da Terra e a luz do mundo. Existem muitas coisas boas nos desenhos, e apenas não enxerga isso quem não quer.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

O DIREITO DE RESISTIR AO ESTADO


“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas”. (Romanos 13:1)

Em várias partes da Bíblia (principalmente no Novo Testamento), Deus ensina que os homens devem se sujeitar as autoridades, porque o Estado é instituído por Deus. Os cristãos que não aceitam isso, não acreditam na Palavra de Deus. Todos os governantes do mundo são estabelecidos por Deus, porém, nem todos eles fazem a vontade de Deus. Então, o que fazer quando o governo é contrário aos mandamentos de Deus? Neste artigo, eu pretendo mostrar a posição dos cristãos durante a História em relação às autoridades governamentais.

Os cristãos primitivos pagavam os seus impostos e se submetiam aos seus governantes pagãos. Entretanto, a maioria deles não se alistava no Exército e nem ocupava cargos públicos, por causa do culto imperial e dos sacrifícios aos deuses. Muitos dos primeiros cristãos eram militares e políticos (apesar de terem sido a minoria), como, por exemplo, os oficiais romanos Cornélio, Sebastião, Jorge e Expedito; e o procônsul Sérgio Paulo e os cônsules Flávio Clemente e Acilius Glabrio. O Império Romano era repressor e escravocrata, mas nem por isso os apóstolos, Pedro e Paulo, negaram a sua legitimidade. Jesus Cristo em nenhum momento desrespeitou o Herodes Antipas e o Pôncio Pilatos, pelo contrário, Ele se submeteu a eles, porque reconhecia que Herodes e Pilatos eram autoridades estabelecidas por Deus (mesmo eles sendo homens maus). Os cristãos primitivos geralmente eram bons cidadãos (apesar de terem existido anarquistas e anti-semitas entre eles), mas muitas vezes, os primeiros cristãos desobedeceram ao governo para poderem pregar o Evangelho e por se recusarem a cultuar o imperador e os deuses pagãos. Jesus Cristo e os apóstolos sempre ensinaram a submissão às autoridades governamentais, portanto, que elas não obriguem os cristãos a desobedecerem aos mandamentos de Deus. Em primeiro lugar devemos obedecer a Deus e depois o Estado.

A Igreja Reformada teve uma postura diferente da Igreja Primitiva, porque os protestantes se rebelaram contra os seus governos repressores. Martinho Lutero ensinava a total submissão ao Estado; já João Calvino e Ulrico Zuínglio apoiavam as revoluções armadas contra os governos repressores. Os luteranos, os huguenotes e os puritanos pelejaram ferozmente contra os seus opressores. Houve muitas batalhas sangrentas entre católicos e protestantes. Muitos cristãos reformados eram guerrilheiros que empunhavam armas para poderem combater a Igreja Católica (que mandava nos governos seculares).

Eu sou um estudioso da Bíblia e da História; e com o conhecimento que adquiri, pude perceber que quase todas as revoluções resultam em novas ditaduras. Houve exceções, como, por exemplo, o capitão Jeú, que no Antigo Testamento, se rebelou contra os reis, Jorão e Acazias (nesse caso, Jeú, teve a aprovação de Deus); e as revoluções de alguns países que lutaram por suas independências.

Existem governos comunistas e islâmicos que perseguem os cristãos sem piedade, e nesse caso os cristãos desobedecem ao Estado para poderem pregar o Evangelho. Inúmeros cristãos durante a História foram torturados e mortos por governos repressores, porque amavam a Deus acima de todas as coisas.

Na minha humilde opinião, eu não sou muito a favor de revoluções armadas contra o Estado, mas sou totalmente favorável que os cidadãos de bem cobrem das autoridades os seus deveres e se oponham pacificamente. A vontade de Deus é que o governo não seja corrupto e nem repressor, mas, sim, um ministro de Deus para o bem-estar da sociedade. Deus instituiu as autoridades governamentais para estabelecer a lei e a ordem no mundo. Por causa do pecado, o homem é ruim por natureza; por isso, Deus estabeleceu o Estado para que ele seja um intermediador entre os homens. Há diferença entre a vingança pessoal e a correta justiça aplicada pelo Estado. A justiça pertence a Deus e as autoridades legalmente constituídas. É errado fazer justiça com as próprias mãos. Os homens precisam de regras para poder viver em sociedade. Existem religiosos alienados que dizem que os cristãos são embaixadores de Cristo e, por isso, eles não podem se envolver com a política. Isso é mentira do Diabo, porque Deus nunca condenou a política. A obrigação de todos os cristãos é intercederem a favor das autoridades governamentais, para que os governantes governem com justiça.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

A MAGNÍFICA REDE MANCHETE


Lembro-me do Clube da Criança e dos desenhos que passavam na Rede Manchete. As séries japonesas e os animes alegravam os meus dias; mas, hoje, eu não tenho mais essas coisas para me alegrar. A TV de primeira classe não existe mais. A TV do ano 2000 faliu, em 1999, e desde então, eu nunca mais tive prazer na televisão. Como eu sinto falta da Rede Manchete! Hoje, as emissoras de TV são totalmente corrompidas (com exceção de alguns canais de UHF e da TV Cultura). O SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) se corrompeu com a baixaria. Ó gloriosa, por que você se foi? Ó Rede Manchete, como sofro com a sua ausência! Eu já escrevi alguns artigos sobre a magnífica Rede Manchete, e sempre quando escrevo sobre ela, eu sinto êxtase. A Rede Manchete me fez muito feliz; e quando eu ligo a televisão no canal 9, não vejo mais a Rede Manchete, mas, sim, a desgraçada da Rede TV; uma emissora obscena e sem escrúpulos que faz de tudo para ganhar ibope. Quando vejo os vídeos sobre a Rede Manchete no Youtube, sinto vontade de chorar; porque me lembro da alegria que sentia quando assistia essa saudosa emissora. Contarei um pouco sobre a minha infância, na época em que a gloriosa Rede Manchete estava entre nós.

Eu tive uma infância muito atribulada, mas a Rede Manchete era a minha válvula de escape para escapar da realidade cruel que me assolava. Lembro-me com clareza dos heróis japoneses que ocuparam o lugar do meu pai. Eu admirava aqueles heróis e queria ser semelhante a eles. Os desenhos de antigamente ensinavam princípios morais, mas, hoje, os desenhos somente ensinam o que não presta. Fico me lamentando por causa dos problemas do mundo e das heresias que assolam a Igreja de Cristo, e, antigamente, o meu escape era a televisão. Hoje, eu não tenho mais uma TV de qualidade para me distrair da maldade do mundo e da hipocrisia dos religiosos fanáticos. Na verdade, atualmente, eu somente tenho assistido jornais. Eu me lembro que o jornalismo da Rede Manchete era imparcial e não manipulador como os jornais atuais. Geralmente, os jovens da geração Rede Manchete, ficam lamentando a sua perda como eu. Orgulho-me muito por pertencer à geração Rede Manchete. As suas novelas foram às melhores que assisti em toda a minha vida; e as suas séries japonesas e desenhos me fizeram muito feliz. Eu gostaria de ter conhecido a TV Tupi e a Rede Excelsior também, mas, infelizmente, essas emissoras faliram antes de eu nascer.

Atualmente, eu não tenho tido muitas razões para continuar vivo, pois a crueldade e a vilania dos malfeitores (principalmente religiosos) têm me afligido demais. Voltei a desejar morrer, porque não tenho mais como encarar a realidade. A Rede Manchete e o antigo SBT não existem mais para alegrar as minhas tardes. Este artigo é apenas um desabafo, pois eu não estou mais suportando viver num mundo dominado pelo mal. A mídia atual é maquiavélica e introduz coisas ruins nos corações das pessoas. A mídia de antigamente era mais digna.

A saudosa Rede Manchete foi à melhor coisa que aconteceu na minha vida, mas ela não existe mais. A baixaria e a imoralidade tomam conta da televisão brasileira. As novelas atuais são chatas e repetitivas (como a Rede Tupi e a Rede Manchete fazem falta). A TV aberta e a TV a cabo não investem mais em animes. Por isso, eu não faço mais questão nenhuma de dar ibope para essas emissoras medíocres da TV aberta e de ter novamente TV a cabo em minha casa.

Eu pretendo, através dos meus artigos, manter viva a memória da Rede Manchete, e convencer a sociedade atual a desejar uma TV de qualidade. Quando as novelas da Rede Manchete foram reprisadas, a geração atual gostou. Se o governo investir mais em educação, as coisas podem melhorar. Portanto, ainda há esperança.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

HOMENS DE HONRA



Eu sempre admirei os heróis bíblicos, e desejo relatar as histórias de alguns deles para que as pessoas conheçam esses heróis da Bíblia. Homens, que fizeram a diferença na sociedade, fazendo a vontade de Deus, e impactando o mundo. Muitos deles eram militares e políticos; e como há muito preconceito entre os cristãos sobre essas profissões, resolvi mostrar o que a Palavra de Deus fala a respeito do militarismo e da política. Muitos servos de Deus no passado fizeram a diferença nesses setores, e ainda existem cristãos que testemunham de Cristo através dessas profissões. Agora, contarei sobre alguns heróis bíblicos, que foram homens honrados.

José, filho de Jacó, era o preferido de seu pai. José foi alvo da inveja de seus irmãos que o venderam como escravo. Esse servo de Deus foi escravizado e até encarcerado por servir ao Deus Único. Mas, Deus tinha um propósito para tudo isso. José tinha o dom de interpretar sonhos, e através disso ele se tornou o governador-geral do Egito, e livrou o seu povo da fome. José foi um político que fez a diferença. Deus sempre sabe o que faz.

Josué foi um grande guerreiro usado por Deus para conquistar a Terra Prometida. Josué combateu gigantes para poder conquistar Canaã. Os hebreus murmuravam muito e, por isso, somente dois homens da geração dos hebreus que saíram do Egito entraram na Terra Prometida; Josué e Calebe.

Gideão foi um dos juízes e um excelente estrategista que liderou os hebreus na guerra contra os midianitas, que oprimiam o povo de Deus. Esse grande homem de Deus, com apenas trezentos homens, derrotou milhares de midianitas. Gideão foi usado grandemente por Deus para libertar o seu povo.

Sansão foi um dos juízes também e o homem mais forte que já existiu, pois ele sozinho venceu mil soldados filisteus. Esse homem extremamente forte e poderoso matou um leão com as suas próprias mãos. Sansão, com a sua força prodigiosa, derrotou os filisteus demolindo o Templo de Dagom, lugar onde ele também acabou morrendo. Sansão morreu junto com os seus inimigos, ou seja, ele teve uma morte honrada.

Davi era um garoto franzino rejeitado pela sua família, porque ele era o menor e o mais fraco dentre todos os seus irmãos. O profeta Samuel foi designado por Deus para ungir Davi como rei de Israel. Davi venceu o gigante Golias apenas com uma funda e uma pedra nas mãos. Davi era um homem segundo o coração de Deus, isto é, mesmo ele sendo um militar que matava os seus semelhantes, Davi estava no centro da vontade de Deus. Davi foi um militar e político usado grandemente por Deus para livrar o seu povo de seus inimigos.

Jeú era um capitão do Exército de Israel que foi ungido como rei e usado por Deus para destituir Jorão, filho de Acabe, do poder. Jeú era um guerreiro extremamente feroz, e através de sua ferocidade nas batalhas, ele matou os reis, Jorão e Acazias, e ainda matou Jezabel, uma feiticeira depravada que matou inúmeros profetas de Deus. Jeú foi um militar usado grandemente por Deus para fazer justiça.

Daniel foi um político de Deus, pois ele foi o governador-geral da Babilônia. Os seus amigos, Hananias, Misael e Azarias, foram políticos que amavam a Deus acima de todas as coisas também. Daniel foi lançado numa cova cheia de leões famintos; e Hananias, Misael e Azarias, foram lançados numa fornalha ardente. Deus livrou esses heróis da morte para mostrar a grandeza de seu poder. Daniel e seus amigos foram políticos que fizeram a diferença num reino pagão, mostrando que Deus usa os políticos também para os seus propósitos grandiosos.

José de Arimatéia era senador e membro do Sinédrio. Esse político cristão era um dos melhores amigos de Jesus Cristo. A Bíblia e a História relatam que ele permaneceu em sua profissão testemunhando de Cristo para todos os homens.

Cornélio era centurião da coorte italiana, e ele era um homem justo e temente a Deus. Cornélio, sendo militar, era considerado por Deus um exemplo de bondade e piedade. Cornélio foi evangelizado pelo apóstolo Pedro e depois batizado ainda sendo um oficial romano. Esse centurião é um exemplo a ser seguido.

Neste texto, eu contei sobre alguns heróis bíblicos que foram militares e políticos, e Deus não os recriminou por causa disso. Portanto, não há problema algum os cristãos ocuparem cargos no Estado, porque Deus pode usá-los grandemente através de suas profissões.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O VINGADOR


“Quem é este, que vem de Edom, de Bozra, com vestes de vivas cores, que é glorioso em sua vestidura, que marcha na plenitude da sua força? Sou eu que falo em justiça, poderoso para salvar. Por que está vermelho o traje e as tuas vestes como as daquele que pisa no lagar? O lagar eu o pisei sozinho, e dos povos nenhum homem se achava comigo; pisei as uvas na minha ira; no meu furor as esmaguei, e o seu sangue me salpicou as vestes e me manchou o traje todo. Porque o dia da vingança me estava no coração, e o ano dos meus redimidos é chegado. Olhei, e não havia quem me ajudasse, e admirei-me de não haver quem me sustivesse; pelo que o meu próprio braço me trouxe a salvação, e o meu furor me susteve. Pisei os povos na minha ira, embriaguei-os no meu furor, derramando por terra o seu sangue”. (Isaías 63:1-6)

Desde o Antigo Testamento, Deus castiga os povos que se rebelam contra os seus mandamentos e oprimem o seu povo. Deus levanta uma nação para castigar outra nação. O Altíssimo, que domina os reinos dos homens, estabelece no poder a quem Ele quer. Deus é soberano e faz o que quer com os povos da Terra. Deus é justo e implacável com os pecadores que não se arrependem de seus pecados. O Altíssimo levanta nações para promover a justiça. O Estado, que é ministro de Deus, é estabelecido pelo Altíssimo para punir os culpados. O Todo-Poderoso salva e vinga o seu povo. Deus é o Vingador do sangue inocente. Durante anos, eu duvidei da justiça divina, mas, hoje, eu confio no meu Deus, e sei que Ele vingará todos os inocentes.

“Atendei, ó estúpidos dentre o povo; e vós insensatos, quando sereis prudentes? O que fez o ouvido, acaso não ouvirá? E o que formou os olhos, será que não enxerga? Porventura quem repreende as nações, não há de punir? Aquele que aos homens dá conhecimento? O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são pensamentos vãos”. (Salmo 94:8-11)

Deus não é surdo, cego e nem burro. Ele sonda as mentes e os corações, ou seja, Ele sabe de todas as coisas. Deus está em todos os lugares, isto é, Ele está nos extremos do céu e nas profundezas do mar. Não há como fugir de sua presença. Deus é amoroso e misericordioso com os pecadores arrependidos. Entretanto, quando os pecadores não se arrependem e não se desviam de seus maus caminhos, Deus pesa as suas mãos sobre eles. Na verdade, até quando o pecador se arrepende, ele arca com as conseqüências de seus pecados, no entanto, ele é perdoado e justificado.

“Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence à vingança; eu retribuirei, diz o Senhor”. (Romanos 12:17-19)

O capítulo 12 da Carta aos Romanos ensina ensinamentos que já tinham sido ensinados no Antigo Testamento. O capítulo 13 dessa mesma Carta também foi inspirado pelo Espírito Santo, mas muitos cristãos preferem ignorar isso. A Bíblia nos ensina que não devemos nos vingar, mas, sim, entregar a vingança nas mãos de Deus. Muitas vezes, Deus usa o Estado para retribuir as boas obras para os cidadãos de bem e as más obras para os malfeitores. Há diferença entre a vingança pessoal e a justiça devida aplicada pelas autoridades legalmente constituídas.

Deus é o Rei das Nações e o Senhor dos Povos. Nada foge do controle de suas mãos. Deus estabelece reis e depõe reis segundo a sua vontade. Todos os maus governantes prestarão contas a Deus por seus erros cometidos contra o povo, e terrível coisa é cair nas mãos do Deus Vivo. Todos os malfeitores comuns prestarão contas a Deus também, porque Deus é o Justo Juiz. A sua essência é o amor, mas o seu princípio é a justiça.