quarta-feira, 15 de junho de 2011

ABAIXO A IMPUNIDADE




Nos últimos anos, a violência tem aumentado assustadoramente, e o Governo Federal em vez de tomar uma atitude séria e eficaz contra a criminalidade, fica querendo desarmar os cidadãos de bem alegando que assim diminuirá a violência. Qualquer pessoa inteligente sabe que bandidos não compram armas em lojas, mas, sim, em contrabandos. Quase todas as armas que os marginais usam não são legalizadas, mas, sim, contrabandeadas. Claro, que algumas dessas armas (que são roubadas) pertenciam a cidadãos de bem, da mesma forma que muitas das armas que param nas mãos dos delinqüentes pertenciam a militares e policiais. Eu pretendo através deste artigo desabafar sobre a minha frustração com o governo brasileiro.



Algo que me revolta profundamente é o fato de bandidos perigosos serem presos e logo em seguida responderem em liberdade. É revoltante ver um criminoso saindo pela porta da frente de uma delegacia. Não apóio grupos de extermínio e esquadrões da morte, mas eu entendo o porquê de muitos policiais executarem os marginais. Deve ser frustrante para o policial prender o bandido e depois ver o marginal saindo pela porta da frente da delegacia rindo da cara dele.



Outra coisa que me revolta são os indultos ridículos que soltam bandidos perigosos e todos sabem que eles não retornam para a cadeia. Eu concordo de presos que não representam risco à sociedade terem direito aos indultos, mas não sou a favor de assassinos impiedosos e estupradores cruéis serem soltos para massacrar os cidadãos de bem.



Muitos cristãos preferem ignorar a situação caótica do Brasil, pregando o politicamente correto e a falsa moralidade, ou seja, esses alienados preferem viajar na maionese e viver num mundo cor-de-rosa do que tomar alguma atitude para melhorar a situação do país.



Tanto o apóstolo Pedro quanto o apóstolo Paulo afirmaram que o dever do Estado é reprimir os criminosos através da força. Os cristãos que não querem aceitar isso, não acreditam na Bíblia. Em Romanos capítulo 13 e versículo 4, o apóstolo Paulo afirmou que o Estado é ministro de Deus e vingador do povo para castigar o que pratica o mal. A espada (que é citada nesse versículo) é freqüentemente associada a morte como instrumento de sua execução. No Antigo Testamento, a pena capital era ordenada por Deus; mas, no Novo Testamento, a pena de morte é apenas reconhecida como arma do Estado contra o crime, mas não é ordenada. A pena capital é bíblica, e quem não aceita isso, não aceita o que a Palavra de Deus ensina. Claro, que o cristão tem o direito de não ser favorável a pena de morte, mas ele não pode condenar quem é a favor dela. Eu sou favorável a pena capital, e essa historinha de que executar o bandido tira a chance dele se converter é papo furado. O condenado, sabendo que não tem escapatória, é capaz de se converter. Todos os homens quando estão diante da morte se lembram de Deus. Como eu sou calvinista, para mim os marginais que morrem sem se converterem não são predestinados.



Eu fico revoltado com a situação deplorável dos militares e policiais que recebem uma mixaria de salário. Esses agentes da justiça precisam ser valorizados e respeitados, porque eles arriscam as suas vidas para nos proteger dos malfeitores. Infelizmente, existem religiosos que se divertem caluniando os militares e policiais cristãos, e isso, eu acho uma sacanagem.



Algo irônico é o fato de religiosos alienados usarem a Internet (um instrumento de origem militar) para difamar os militares. Esses tolos usam um instrumento criado pelos seus desafetos para caluniá-los. O militarismo é responsável pelo progresso da tecnologia e a indústria bélica gera muitos empregos. Essas são verdades que esses hipócritas preferem ignorar.



A obrigação da Igreja de Cristo é interceder a favor das autoridades governamentais e não ficar amaldiçoando elas. Eu estou decepcionado com os políticos brasileiros, mas mesmo assim, eu oro para que eles tenham mais consciência e se importem com o povo. Eu desejo mesmo que os governantes se arrependam e se convertam, porque essa é a vontade de Deus. Ficar falando que as coisas são assim mesmo e não fazer nada para mudá-las não resolverá o problema. A omissão não é a solução.



Os cidadãos de bem devem saber em quem votam e cobrar das autoridades o seu dever, que é dar segurança aos trabalhadores que trabalham para sustentar esse país. Os cristãos devem se envolver ativamente com causas sociais e se engajar politicamente para poder fazer a diferença. Juntos, podemos mudar o Brasil, basta nós darmos o primeiro passo. Que Deus abençoe o Brasil e toque nos corações dos governantes para que eles governem o país com sabedoria.

2 comentários:

Maria de Lourdes disse...

eu vi o seu blog e gostei muito, continue fazendo seus comentarios você tem jeito de escritor. Parabens!
ass: vovó

Reflexões de Filipe Levi disse...

Fico feliz que você tenha gostado, Vó. Que Deus te abençoe grandemente.