sábado, 25 de junho de 2011

OS TERRÍVEIS LAGARTOS

































































Quando eu era criança adorava os dinossauros, mas com o passar dos anos, acabei me desinteressando por esses terríveis lagartos. Até hoje, eu guardo os livros de pesquisas sobre animais pré-históricos que lia quando era criança. Infelizmente, existem cristãos que não acreditam que os dinossauros existiram (não irei nem comentar sobre a falta de inteligência desses ignorantes), e por outro lado, têm “doutores cristãos” que são extremamente soberbos e arrogantes que classificam as pessoas que não têm formação nenhuma como um bando de 8ª série. Esses tolos, que se acham, não sabem que Deus se afasta das pessoas orgulhosas.




Existem algumas teorias cristãs sobre os dinossauros e todas têm embasamento bíblico. Uma teoria afirma que a Terra tem apenas 10.000 anos de idade, e outra que o planeta não teria mais de 6.000 anos de idade. Ambas as teorias pregam que os dinossauros conviveram com os homens. A teoria mais próxima do que a maioria dos cientistas ensina (sobre a Terra ter bilhões de anos) é que com a queda de Lúcifer, a Terra foi destruída extinguindo os dinossauros, e assim Deus teve que recriar o planeta. Essa última teoria tem lógica, pois Satanás, antes de sua queda, andava sobre a Terra (como diz em Ezequiel 28), e o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas (como diz em Gênesis 1). As outras teorias também têm embasamento bíblico, pois há alguns trechos da Bíblia que indicam que os homens conviveram com os dinossauros. Em Isaías 27, em alguns Salmos, e em Jó 41, a Palavra de Deus fala sobre um monstro conhecido como Leviatã, que era um tipo de monstro marinho que cuspia fogo e era tão enorme quanto um navio. Outras partes da Bíblia contam sobre dragões que aterrorizavam as pessoas. É possível que esses dragões mencionados na Palavra de Deus tenham sido dinossauros. Quando em Gênesis é dito que Deus criou as grandes baleias, a palavra hebraica usada na Bíblia original para baleia é “tanniym” que significa “monstro”. Então, para os cristãos ignorantes que dizem que os dinossauros não existiram, porque a Palavra de Deus não fala a respeito deles, eles estão equivocados e precisam ler mais a Bíblia.




Animais pré-históricos considerados extintos foram capturados vivos, como o Ocapi, em 1901, o Celacanto, em 1938, e o Pecari, em 1975. É possível que ainda existam animais considerados extintos escondidos em lugares isolados e de difícil acesso. O Monstro do Lago Ness possivelmente pode ser um Plesiossauro. Durante a Guerra Civil Americana, alguns soldados abateram aves parecidas com lagartos voadores. Há fotos que comprovam isso. Alguns animais semelhantes ao Diplodoco foram vistos na África, no México, e na floresta Amazônica nos últimos séculos.




Durante toda a história da humanidade houve relatos sobre a existência de dragões que aterrorizavam a sociedade e há possibilidade desses supostos dragões terem sido dinossauros.




Em Acambaro, no México, foram descobertas estatuetas de uma civilização antiga que mostram homens e dinossauros convivendo na mesma época. Essa descoberta em Acambaro é uma “pedra no sapato” dos cientistas evolucionistas. Nas montanhas de El Toro e El Chivo foram encontrados mais de 33.500 objetos feitos de cerâmica e pedra, e muitos desses objetos são estatuetas que mostram homens domesticando ou sendo atacados por criaturas semelhantes a dinossauros.




Usar a desculpa de que os cientistas são infalíveis e donos da verdade é papo furado, pois eu prefiro acreditar em Adão e Eva do que na teoria da Evolução que prega que o homem evoluiu do macaco.




Quero deixar bem claro, que eu não sou o dono da verdade (como os ateus costumam achar que são), mas apenas afirmo que achei essas informações interessantes a respeito da possível convivência entre homens e dinossauros.




Quando eu era criança sonhava com a possibilidade de algum dia os dinossauros ressuscitarem (talvez, ainda existam alguns vivos). Eu gosto muito do filme “Parque dos Dinossauros” e acho interessante a teoria da possibilidade de através do DNA alguém trazer os dinossauros de volta.




A minha intenção em escrever este artigo é mostrar para os cristãos ignorantes que os dinossauros existiram e que a Bíblia e a História relatam sobre dragões semelhantes a dinossauros. Espero ter sido claro em meu artigo. Que Deus abençoe a todos.

terça-feira, 21 de junho de 2011

O DOMÍNIO DO ALTÍSSIMO




A cada dia que passa tenho aprendido mais sobre a soberania de Deus e estou impressionado com o cuidado do Todo-Poderoso em relação ao Universo. Deus criou o Sol, a Lua, as estrelas e os planetas, e Ele tem o controle sobre todas essas coisas. Inclusive, Deus tem o total domínio sobre a Terra, porque nada foge do controle de suas mãos. Mesmo quando a Igreja de Cristo é perseguida, Deus não perde o controle da situação. O Deus Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e coloca no poder a quem Ele quer. Deus estabelece os governantes do mundo e também levanta heróis para derrubá-los quando eles não cumprem com os seus deveres. Quando o Império Romano perseguia a Igreja Primitiva, Deus teve o propósito de expandir o Evangelho através das perseguições. É justo nos países que têm mais perseguição que o Evangelho prolifera. Deus é soberano e sabe muito bem o que faz. Por isso, devemos confiar em Deus e descansar n’Ele, sabendo que Ele tem o melhor para nós.



“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. (1 Timóteo 2:1-4)



Nesta Carta de Paulo, vemos claramente que esse apóstolo ensinou que o dever dos cristãos é interceder a favor de todos os homens, principalmente, em favor das autoridades governamentais. Geralmente, os cristãos ficam demonizando as autoridades constituídas, mas não é isso o que Jesus Cristo e os apóstolos ensinaram, pelo contrário, o Messias e os seus apóstolos ensinaram que os cristãos devem cumprir com os seus deveres cívicos, como, por exemplo, se submeter ao Estado e pagar os tributos e impostos devidos. Deus estabelece as autoridades governamentais para que haja lei e ordem na Terra. Se os políticos, magistrados, militares e policiais não cumprem com as suas obrigações, eles prestarão contas a Deus. Deus é justo e cobrará de todos as suas obras. Mas, a Igreja de Cristo tem que fazer a sua parte, que é orar a favor das autoridades e ajudá-las em tudo o que for necessário. Neste trecho bíblico, quando o apóstolo Paulo disse “todos”, ele se referiu a todas as classes, e não a todas as pessoas.



Ultimamente tenho me preocupado com a situação dos povos árabes que sofrem nas mãos de ditadores cruéis. Em muitos artigos eu defendi os judeus (um povo que admiro muito), mas não tenho nada contra os árabes. Inclusive, tenho orado constantemente em favor dos povos árabes para que eles se convertam e sejam abençoados por Deus. O Altíssimo ama todos os povos, porque Ele é o Rei das Nações.



Outra coisa que me preocupa é o caso de alguns políticos quererem divulgar os documentos secretos da Ditadura Militar. Quero deixar bem claro, que apesar de eu defender constantemente os militares nos meus artigos, eu jamais apoiaria um regime execrável como a Ditadura Militar. Eu acho que o certo é divulgar esses arquivos da Ditadura Militar mesmo, mas o que me amedronta é os militares de linha dura se desesperarem e tentarem dar outro golpe e tomar o poder.



Apesar dessas minhas preocupações (que são justificáveis) eu sei que Deus tem o domínio sobre todos os povos, e nada foge de seu controle. Eu reconheço que preciso aprender a confiar mais em Deus (Ele é digno de minha confiança), pois Ele é Onisciente e sempre soube o que faz. No passado, eu desejava morrer e era muito infeliz, mas, hoje, eu sei que sou importante para Deus, e de que Ele domina sobre a minha vida e o mundo. Louvado seja Adonai, hoje e sempre.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

ABAIXO A IMPUNIDADE




Nos últimos anos, a violência tem aumentado assustadoramente, e o Governo Federal em vez de tomar uma atitude séria e eficaz contra a criminalidade, fica querendo desarmar os cidadãos de bem alegando que assim diminuirá a violência. Qualquer pessoa inteligente sabe que bandidos não compram armas em lojas, mas, sim, em contrabandos. Quase todas as armas que os marginais usam não são legalizadas, mas, sim, contrabandeadas. Claro, que algumas dessas armas (que são roubadas) pertenciam a cidadãos de bem, da mesma forma que muitas das armas que param nas mãos dos delinqüentes pertenciam a militares e policiais. Eu pretendo através deste artigo desabafar sobre a minha frustração com o governo brasileiro.



Algo que me revolta profundamente é o fato de bandidos perigosos serem presos e logo em seguida responderem em liberdade. É revoltante ver um criminoso saindo pela porta da frente de uma delegacia. Não apóio grupos de extermínio e esquadrões da morte, mas eu entendo o porquê de muitos policiais executarem os marginais. Deve ser frustrante para o policial prender o bandido e depois ver o marginal saindo pela porta da frente da delegacia rindo da cara dele.



Outra coisa que me revolta são os indultos ridículos que soltam bandidos perigosos e todos sabem que eles não retornam para a cadeia. Eu concordo de presos que não representam risco à sociedade terem direito aos indultos, mas não sou a favor de assassinos impiedosos e estupradores cruéis serem soltos para massacrar os cidadãos de bem.



Muitos cristãos preferem ignorar a situação caótica do Brasil, pregando o politicamente correto e a falsa moralidade, ou seja, esses alienados preferem viajar na maionese e viver num mundo cor-de-rosa do que tomar alguma atitude para melhorar a situação do país.



Tanto o apóstolo Pedro quanto o apóstolo Paulo afirmaram que o dever do Estado é reprimir os criminosos através da força. Os cristãos que não querem aceitar isso, não acreditam na Bíblia. Em Romanos capítulo 13 e versículo 4, o apóstolo Paulo afirmou que o Estado é ministro de Deus e vingador do povo para castigar o que pratica o mal. A espada (que é citada nesse versículo) é freqüentemente associada a morte como instrumento de sua execução. No Antigo Testamento, a pena capital era ordenada por Deus; mas, no Novo Testamento, a pena de morte é apenas reconhecida como arma do Estado contra o crime, mas não é ordenada. A pena capital é bíblica, e quem não aceita isso, não aceita o que a Palavra de Deus ensina. Claro, que o cristão tem o direito de não ser favorável a pena de morte, mas ele não pode condenar quem é a favor dela. Eu sou favorável a pena capital, e essa historinha de que executar o bandido tira a chance dele se converter é papo furado. O condenado, sabendo que não tem escapatória, é capaz de se converter. Todos os homens quando estão diante da morte se lembram de Deus. Como eu sou calvinista, para mim os marginais que morrem sem se converterem não são predestinados.



Eu fico revoltado com a situação deplorável dos militares e policiais que recebem uma mixaria de salário. Esses agentes da justiça precisam ser valorizados e respeitados, porque eles arriscam as suas vidas para nos proteger dos malfeitores. Infelizmente, existem religiosos que se divertem caluniando os militares e policiais cristãos, e isso, eu acho uma sacanagem.



Algo irônico é o fato de religiosos alienados usarem a Internet (um instrumento de origem militar) para difamar os militares. Esses tolos usam um instrumento criado pelos seus desafetos para caluniá-los. O militarismo é responsável pelo progresso da tecnologia e a indústria bélica gera muitos empregos. Essas são verdades que esses hipócritas preferem ignorar.



A obrigação da Igreja de Cristo é interceder a favor das autoridades governamentais e não ficar amaldiçoando elas. Eu estou decepcionado com os políticos brasileiros, mas mesmo assim, eu oro para que eles tenham mais consciência e se importem com o povo. Eu desejo mesmo que os governantes se arrependam e se convertam, porque essa é a vontade de Deus. Ficar falando que as coisas são assim mesmo e não fazer nada para mudá-las não resolverá o problema. A omissão não é a solução.



Os cidadãos de bem devem saber em quem votam e cobrar das autoridades o seu dever, que é dar segurança aos trabalhadores que trabalham para sustentar esse país. Os cristãos devem se envolver ativamente com causas sociais e se engajar politicamente para poder fazer a diferença. Juntos, podemos mudar o Brasil, basta nós darmos o primeiro passo. Que Deus abençoe o Brasil e toque nos corações dos governantes para que eles governem o país com sabedoria.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

O CRISTÃO E A POLÍTICA



“A desgraça dos que não se interessam por política é serem governados pelos que se interessam”. (Francisco Weffort)


Durante toda a história do Cristianismo, sempre tiveram os santarrões que demonizam a política alegando que Jesus disse que o Reino d’Ele não é desse mundo, mas esses alienados também esquecem que o próprio Cristo reconheceu que o poder que Pilatos tinha foi concedido por Deus, e Ele também ordenou aos cristãos que pagassem os tributos e impostos ao Estado. O pior analfabeto é o analfabeto político, pois ele não sabe de nada sobre o que acontece em seu país. A omissão também é uma postura política, porque o sujeito que se omite se conforma com o que está acontecendo de errado. O imbecil não sabe que é a sua omissão que causa a corrupção e o descaso das autoridades em relação ao povo. É fácil dizer “os políticos são todos corruptos” ou “os políticos não se importam com o povo mesmo”, pois assim é mais cômodo do que cobrar das autoridades o seu dever, que é suprir as necessidades básicas do povo.


Existiram Pais da Igreja (como o Justino Mártir, o Tertuliano de Cartago, o Hipólito de Roma, o Orígenes de Alexandria, o Cipriano de Cartago e o Lactâncio) que sentiam prazer em demonizar as autoridades governamentais. O interessante é que o próprio Jesus Cristo e os apóstolos ensinaram a submissão às autoridades e em nenhum momento eles as demonizaram. Na Carta aos Romanos no capítulo 13 do versículo 1 ao 7, o apóstolo Paulo deixou bem claro que o Estado é uma instituição estabelecida por Deus para castigo dos malfeitores e louvor dos que praticam o bem. Na Primeira Epístola de Pedro, o apóstolo autor dessa Carta afirmou no capítulo 2 do versículo 13 ao 17 praticamente a mesma coisa que o apóstolo Paulo. Ambos os apóstolos afirmaram que a função do Estado é promover a justiça.


Contarei algo que poucos sabem, pois pesquisando na Internet (em sites sérios) descobri que os Pais Apostólicos, Policarpo de Esmirna e Clemente de Roma, reconheceram que as instituições políticas são estabelecidas por Deus, e de que os políticos são alvos das orações dos cristãos e do amor de Deus. Jesus Cristo sofreu e morreu numa cruz para salvar políticos também. Policarpo e Clemente sabiam que a oração do justo pode muito em seus efeitos e ensinavam os cristãos a interceder a favor das autoridades constituídas. Jesus e os apóstolos ensinaram que os cristãos devem orar a favor de seus perseguidores e amar os seus inimigos. Durante os três primeiros séculos, as autoridades governamentais eram os inimigos dos cristãos e os perseguiam implacavelmente.


Não importa se o cristão escolhe a esquerda ou à direita como preferência política, mas o que o servo de Deus não pode fazer é se alienar politicamente. Esse papo furado do Diabo de alegar que a tendência no mundo é piorar mesmo é desculpa de vagabundo que prefere cruzar os braços a fazer algo para mudar. Os cristãos devem fazer a diferença em todos os setores da sociedade e não ficar com frescura sentados nos bancos das igrejas sem tomar atitude nenhuma. Os cristãos devem orar pelos governantes e cobrar deles as suas obrigações, no entanto, Deus às vezes coloca homens perversos no poder com algum propósito, e mesmo assim, os cristãos devem interceder a favor deles para que eles tenham mais consciência e se convertam. Portanto, os cristãos não podem se omitir diante das coisas erradas, porque os pecados de omissão são tão graves quanto os pecados de comissão.


Eu posso até ser chato em insistir sempre nos mesmos assuntos, mas faço isso, porque a Igreja despreza essas coisas. Eu somente quero que a Igreja faça a sua parte, para que os políticos sejam realmente ministros de Deus para o nosso bem.