domingo, 16 de janeiro de 2011

A ARTE DA GUERRA


Desde criança eu sou apaixonado pelas artes marciais e sempre sofri muito preconceito dentro da Igreja Cristã por causa dessa minha paixão pelas lutas esportivas. Muitos cristãos condenam as artes marciais por causa de sua natureza violenta, no entanto, eles descem a porrada em seus filhos, sobrinhos e netos (digo isso por experiência pessoal do que presenciei). Outros condenam as lutas esportivas por causa da idolatria (nesse caso, o preconceito é mais coerente), entretanto, é possível separar a luta das práticas idolátricas, pois conheço mestres de artes marciais, que são cristãos, que não reverenciam quadros, estátuas e tatames. Portanto, é possível separar a luta da idolatria oriental.

Alguns “ex-satanistas” com os seus falsos testemunhos mirabolantes enganam a Igreja de Cristo com as suas heresias destruidoras. Hereges, como Rebecca Brown e Daniel Mastral demonizam as lutas esportivas e caluniam injustamente todos os cristãos que as praticam. Eu duvido que a Elaine (amiguinha da Rebecca Brown) e o Daniel Mastral realmente abandonaram o Satanismo, porque mesmo depois de suas supostas “conversões” eles continuaram a ensinar os ensinamentos satânicos que aprenderam no Satanismo. O interessante de quase todos os “ex-satanistas” é que eles parecem que permanecem satanistas, pois os seus ensinamentos são totalmente contrários a Palavra de Deus e eles parecem que se orgulham de seu passado macabro. Infelizmente, inúmeros cristãos são ludibriados pelas suas heresias satânicas.

A guerra é uma arte, e artes marciais significam “artes militares”, ou seja, a sua origem não é religiosa, mas, sim, militar. As artes marciais não são um culto ao deus romano Marte, até porque, essas lutas esportivas são orientais, e Marte, é um deus ocidental. Wushu significa “Técnica Militar”, isto é, a origem do Kung Fu é o serviço militar chinês e não o culto ao Buda, até porque, Siddhartha Gautama nasceu provavelmente 1.500 anos depois de surgir o Wushu, portanto, não teria como essa arte marcial ter origem budista. Lao-Tsé também nasceu depois do surgimento do Kung Fu, portanto, o Wushu também não tem origem taoísta. Bodhidharma não foi o criador do Kung Fu, porque o Wushu surgiu há vários séculos antes dele nascer. O 28º patriarca do Budismo recodificou essa arte milenar, mas não a criou. Mesmo que as lutas esportivas tivessem uma origem idolátrica, não teria problema nenhum, pois o teatro surgiu como um culto a Dionísio, conhecido também como Baco, o deus do bacanal, e nem por isso os cristãos deixam de usá-lo como instrumento de evangelismo para abençoar as vidas das pessoas. Deus torna o que é maldito em bendito e transforma o pecado em benção.

A saudação “Kin Lai” tem origem pagã, mas o aperto de mão também se originou no paganismo. Então, será que teremos que parar de apertar as mãos dos outros? Claro que não. Condenar as coisas por causa de sua origem é falácia genética, ou seja, algo sem fundamento algum. A saudação do Wushu é o mesmo que bater continência, isto é, é um gesto de respeito.

Alguns religiosos hipócritas condenam muitos estilos de Kung Fu pelo simples fato dos lutadores imitarem os movimentos dos animais. Os lutadores que fazem isso não estão cultuando os animais, porque os mestres que criaram esses estilos não os criaram com a intenção de se cultuar os animais, mas, apenas, eles observavam os animais lutando pela sobrevivência e copiaram os seus movimentos. Outros fariseus condenam as artes marciais por causa das cores das faixas, mas foi Deus que criou todas as cores e não o Diabo. Em cada cultura as cores têm os seus significados, mas nenhuma cor influencia as vidas dos cristãos.

Sobre o combate em si, também não há problema algum, pois quando João Batista batizou alguns soldados, ele não lhes disse que combater é moralmente errado e os incentivou a continuarem combatendo. O centurião Cornélio era militar, portanto, ele combatia. O apóstolo Pedro em nenhum momento o recriminou por causa disso, e Cornélio, não cultuava o imperador e nem sacrificava aos deuses, pois ele era um homem justo e temente a Deus.

Na Igreja Primitiva, existiam militares cristãos que combatiam e não se envolviam com a idolatria grego-romana, portanto, é possível lutar sem cultuar outros deuses. Hoje, existem academias cristãs onde os alunos não reverenciam quadros, estátuas e tatames, ou seja, eles não se envolvem com práticas idolátricas. Todos os cristãos têm o direito de pensarem como quiser, mas eles não podem condenar o que não conhecem e nem julgar injustamente irmãos inocentes. Os cristãos podem praticar artes marciais, portanto, que se abstenham da idolatria.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES


Caminhando e cantando E seguindo a canção Somos todos iguais Braços dados ou não Nas escolas, nas ruas Campos, construções Caminhando e cantando E seguindo a canção...

Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer...(2x)

Pelos campos há fome Em grandes plantações Pelas ruas marchando Indecisos cordões Ainda fazem da flor Seu mais forte refrão E acreditam nas flores Vencendo o canhão...

Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer...(2x)

Há soldados armados Amados ou não Quase todos perdidos De armas na mão Nos quartéis lhes ensinam Uma antiga lição: De morrer pela pátria E viver sem razão...

Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer...(2x)

Nas escolas, nas ruas Campos, construções Somos todos soldados Armados ou não Caminhando e cantando E seguindo a canção Somos todos iguais Braços dados ou não Os amores na mente As flores no chão A certeza na frente A história na mão Caminhando e cantando E seguindo a canção Aprendendo e ensinando Uma nova lição...

Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer...(4x)

Autor: Geraldo Vandré

OS ILUMINADOS

(Essa história é a continuação de "Demônios da Ciência" e acho que ela ficou melhorzinha que as outras, mas como já disse anteriormente, eu acho que minhas histórias não são muito boas; pois prefiro meus artigos. Novamente repito que essa história é apenas uma ficção).
A Igreja de Cristo durante a História passou por inúmeras eras sombrias e incontáveis cristãos foram martirizados. Homens que amavam a Deus acima de todas as coisas e que estavam dispostos a morrer lutando por sua fé.
Na Idade Antiga, o Império Romano perseguiu implacavelmente os seguidores de Jesus. A idolatria greco-romana predominava sobre o vasto Império Romano e por causa do culto imperial e dos sacrifícios aos deuses, os cristãos evitavam se alistar no Exército e ocupar cargos públicos. Entretanto, existiram alguns militares e políticos entre eles, como, por exemplo, o centurião Cornélio, o procônsul Sérgio Paulo, e os cônsules Flávio Clemente e Acilius Glabrio.
Durante a Idade Média, a Igreja Católica torturava e assassinava impiedosamente todos os homens que ousavam questionar os seus ensinamentos heréticos. Inúmeros inocentes foram queimados vivos nas fogueiras da Inquisição acusados de praticar bruxaria ou pregar heresias. Poucas pessoas tinham acesso aos estudos e a Bíblia, por isso, a ignorância era a maior arma da Igreja Católica.
Na Idade Moderna, o monge agostiniano, Martinho Lutero, criticou severamente os dogmas heréticos do Catolicismo e reformou a Igreja Cristã. Luteranos e calvinistas empunharam armas para combater a Igreja Católica e restituir a identidade da Igreja de Cristo.
Durante a Idade Contemporânea, os falsos profetas e as heresias entraram com força total na Igreja Cristã e os seguidores de Jesus começaram a dar mais valor as doutrinas que eram preceitos de homens do que aos mandamentos de Deus. Os supostos “ex-satanistas” com os seus falsos testemunhos mirabolantes contaminavam a Igreja de Cristo com as suas heresias destruidoras.
No Brasil, a Igreja Protestante envergonhava o Evangelho e se corrompia a cada dia que passava. Os satanistas atacavam constantemente a Igreja Cristã, mas havia outra ameaça que espreitava a Igreja de Cristo.
Os Illuminati (Iluminados) se infiltravam no governo e nas igrejas para poderem expandir o seu reinado de terror. Os Illuminati pretendiam instalar um governo mundial sobre a Terra e para isso eles teriam que destruir a Igreja Cristã. Mas, existiam heróis em todos os cantos do mundo que se opunham ao seu domínio. No Brasil, os Guerreiros de Cristo combatiam o mal com bravura. Eles eram homens valorosos, dos quais o mundo não era digno. Davi, Apolo, Jeú, Shiro, Alexandre, Ciro e Abadom, eram os principais guerreiros que desafiavam os satanistas e os Illuminati. Existiam outros heróis que eram seus amigos que também faziam a diferença.
Rogério era um jovem tenente da Polícia Militar que era honesto e combatia o crime ferozmente. Ele sofreu um acidente de moto, quando ainda era soldado, que o deixou gravemente ferido, mas ele se recuperou e voltou à ativa. Deus o livrou da morte.
Rodrigo foi investigador da Polícia Civil e conheceu Davi através do Orkut. Ele se tornou perito criminal e dava o melhor de si em sua profissão. Rodrigo era um policial exemplar.
Valdinei era soldado da Força Tática e primo de Davi. Ele era honesto e corajoso e cumpria o seu dever exemplarmente. Quando Valdinei se tornou maior de idade, ele se alistou na Polícia Militar e desde então não saiu mais da Corporação.
Dário era sargento do Exército e praticante do estilo Shaolin do Norte. Ele era um militar honrado e justo que idealizava um Brasil soberano e solidário para todos os cidadãos brasileiros. Dário era um guerreiro idealista que estava disposto a morrer lutando por seus ideais.
Sérgio era tenente do Exército e um músico que servia a Deus de corpo e alma. Ele pertencia a um grupo de louvor cristão e revolucionou a música gospel brasileira. Sérgio se casou e teve dois filhos, um menino e uma menina, e tinha uma vida bem estruturada. Sérgio ficou adoecido e sentia muita dor em uma de suas pernas. O diagnóstico foi câncer em estágio avançado. Cristãos do país inteiro se uniram em oração e intercederam a Deus pelo Sérgio e ele milagrosamente foi curado.
Sebastião era capitão da PE (Polícia do Exército) e era um devoto cristão que amava tanto a Cristo que seria capaz de morrer por seu Salvador. Ele era um exemplo a ser seguido por todos os cristãos.
William (não o Shimera, mas outro) era sargento da Marinha e era um grande amigo de Davi. Ele era valente e determinado e capaz de morrer lutando pelo que acreditava. O Herói e William iam sempre a eventos de animes e através de suas habilidades faziam a diferença. William era conhecido como o sargento Paixão.
Oliver era capitão da Marinha e usava o seu talento nato para combate para proteger os inocentes e cuidar do litoral do Brasil. Ele trabalhava no mesmo quartel que William e ambos exerciam a sua função com honestidade.
Lucas foi o líder do grupo de extermínio “Anjos da Noite” e dezenas de bandidos pereceram em suas mãos. Ele foi o justiceiro mais temido da Capital de São Paulo. Lucas praticava artes marciais e serviu o Exército na Infantaria Leve de um quartel de Quitaúna e usou a sua experiência em combate para poder combater os marginais. Os delinqüentes temiam os Anjos da Noite e odiavam Lucas, o seu algoz. Esse justiceiro era amado pelo povo e odiado pelos criminosos. Lucas se converteu e deixou a justiça nas mãos do Justo Juiz, o Deus Eterno.
Existia um grupo de elite do Exército chamado “Comando Especial” que costumava torturar e assassinar todos os cidadãos considerados subversivos. Capitão Fontes era o mais sádico e impiedoso integrante dessa tropa de elite e os seus soldados eram assassinos cruéis que o seguiam cegamente. Sargento Bernardo e cabo Alencar eram os seus subordinados mais fiéis. Tenente Brites era um dos poucos integrantes honestos do Comando Especial. O soldado André era um militar que tinha ingressado há pouco tempo nesse grupo de elite e ficou assustado com a maldade de seus companheiros de armas. Sebastião investigava as atrocidades que o Comando Especial praticava e estava decidido a capturar esses criminosos e trancafiá-los na prisão. Capitão Fontes, sargento Bernardo e cabo Alencar eram alguns dos Illuminati infiltrados no Exército.
Sérgio era muito amigo de Sebastião e se encontrou com esse capitão em uma base militar para discutirem sobre os Illuminati.
__Os Illuminati já se infiltraram no Exército, tenente.
__Então, o que faremos, capitão?
__Vamos combatê-los sem recuar.
__Mas os Illuminati ocupam as mais altas patentes e são do alto escalão.
__Não podemos nos render, senão, será o fim do Cristianismo.
__Não se desespere, pois a Igreja Cristã nunca deixará de existir, mesmo que os Illuminati dominem todo o planeta Terra.
Sebastião pegou a sua pistola Beretta calibre 9mm e a segurou firmemente dizendo:
__Eu não irei permitir que os Illuminati instalem o seu governo mundial. Pelo menos, aqui no Brasil, eles não irão dominar.
__Se acalme! Eu sei que os Illuminati se infiltram em todos os setores da sociedade, inclusive, na Igreja Evangélica; mas, existem muitos cristãos também dentro do governo e das Forças Armadas. Nós não estamos sozinhos.
__Nós, cristãos, precisamos nos unir para enfrentá-los.
__O mais importante é que Deus está do nosso lado.
A Irmandade queria dominar o mundo também, mas os Illuminati eram uma constante ameaça para os seus planos. Ambas as organizações serviam a Satanás, o Príncipe das Trevas, mas havia muita rivalidade entre elas. Eric, o líder da Irmandade, estava fora do país, mas os satanistas dessa organização satânica não haviam desistido de se vingar dos heróis que sempre estragavam os seus planos maléficos.
Jack da Lanterna, o feiticeiro que foi derrotado por Jeú no passado, quando fugiu da prisão passou para o lado dos Illuminati e pretendia se vingar do militar que o fez passar pela vergonha da derrota.
Mitra, o Sol Invencível, era a arma secreta dos Illuminati para poderem derrotar Davi e seus amigos. Essa criatura tinha os mesmos poderes de Abadom, o Destruidor, e pretendia eliminar a todos que atravessassem o seu caminho. Mitra era um vilão belo e extremamente poderoso que sempre estava revestido por uma armadura de ouro.
Baphomet, o deus das bruxas, conhecido também como o Bode de Mendes, tinha sido destruído por Jeú, mas os Illuminati juntaram os seus pedaços e o reconstituíram. Baphomet ressurgiu mais poderoso do que antes e ele estava determinado a destruir todos os cristãos que ousavam desafiar os Illuminati.
Os Illuminati e a Irmandade brigavam entre si para ver quem prepararia o caminho para o Anticristo chegar ao poder. A seita satânica, Caveiras e Ossos, também disputava por territórios com essas organizações, mas Lopan, o seu líder, também estava fora do país devido as pressões das autoridades governamentais.
O Herói e seus amigos souberam dos planos dos Illuminati e se prepararam para a grande guerra que se aproximava.
Ciro e Abadom eram os integrantes mais poderosos do grupo e, por isso, também os mais temidos pelos Illuminati. Esses guerreiros tinham poderes extraordinários e eram capazes de derrotar sozinhos um exército inteiro.
Davi era o líder dos Guerreiros de Cristo, apesar de ser o mais jovem e menos forte dentre eles. O Herói era policial federal e usava a sua autoridade para proteger os indefesos e socorrer os necessitados.
Alexandre era odiado pela Irmandade por ter se convertido ao Cristianismo e a sua cabeça estava a prêmio. Esse ex-satanista era uma exceção, já que quase todos os ex-satanistas somente pregavam heresias e demonizavam tudo o que viam pela frente. Alexandre era como Gabriel, o ex-bruxo que se tornou teólogo e que combatia com bravura as heresias que contaminavam a Igreja de Cristo.
Apolo era missionário e desejava levar o Evangelho para todos os povos e mostrar que a verdadeira liberdade está em seguir a Jesus Cristo, o Filho de Deus. Ele era um capoeirista experiente que usava a sua habilidade de lutar para defender os fracos e oprimidos.
Os Illuminati começaram a atacar as igrejas evangélicas brasileiras e nem a poderosa Igreja Católica escapou de seus ataques, já que os Illuminati eram também antigos inimigos do Catolicismo. Mas, o Protestantismo ainda era o seu alvo principal.
O Comando Especial começou a perseguir os cristãos clandestinamente e inúmeros trabalhadores e moças de família foram torturados e mortos. Capitão Fontes era um Illuminati desde a sua mocidade e usaria toda a sua autoridade para poder expandir o governo Illuminati no Brasil.
Sebastião e Sérgio estavam de olho nos Illuminati e não se renderiam para esses torturadores e assassinos. A PE (Polícia do Exército) investigava sobre os Illuminati infiltrados nos quartéis e Sebastião era um dos líderes da investigação.
Mitra, Jack da Lanterna e Baphomet foram até o Centro de São Paulo e começaram a destruir tudo o que encontravam pelo caminho e os homens que se aproximavam deles eram mortos. A polícia tentou detê-los, mas eles aparentemente eram invencíveis.
Drakon, o Terrível, era o líder dos Illuminati no Brasil e observava a batalha das autoridades constituídas contra os seus mensageiros da morte através de uma bola de cristal. Drakon ficava sentado em seu trono feito de crânios e ossos humanos dentro de sua base, que era uma pirâmide gigante com um olho na ponta. Essa fortaleza era um dos símbolos Illuminati. O Terrível era um feiticeiro poderoso e um genial cientista que usava todo o seu poder e conhecimento para o mal. Drakon, o Terrível, assim, como Eric e Lopan, almejava conquistar a Terra e instalar um governo mundial.
Os heróis foram até o local e ficaram surpresos com o poderio dos vilões. Jack da Lanterna surgiu diante de Davi e Jeú, que empunhavam fuzis calibre 7.62. Mitra, o Sol Invencível, pelejou contra Apolo, Shiro e Alexandre. Baphomet continuou dizimando os policiais que tentavam detê-lo. Ciro e Abadom ainda não tinham chegado.
__Tenho contas a acertar com você, capitão.
__Eu pensei que nunca mais voltaria a vê-lo, cabeça de abóbora.
O feiticeiro empunhava a sua foice e se teletransportou para trás do militar, que escapou da decapitação dando uma cambalhota para frente.
__Você é muito habilidoso, Jeú! Mas, não poderá se esquivar para sempre.
Davi apontou o seu FAL (Fuzil Automático Leve) para Jack da Lanterna mirando para o seu tórax e falou:
__Renda-se ou morrerá.
__Pode atirar se quiser, policial. Hahahahahahahahahaha.
O Herói efetuou uma rajada de tiros, mas o vilão usou a sua telecinese para paralisar as balas no ar.
__É somente isso que você pode fazer? Que patético!
Jack da Lanterna refletiu as balas e Davi se jogou para o lado escapando da morte e avançou em seu adversário.
__Pensa que com força bruta poderá me vencer?
O feiticeiro o paralisou usando a sua telecinese e o arremessou contra a parede. Jeú avançou no vilão lhe desferindo um soco uke no estômago e três socos cruzados na cara.
__Já te derrotei uma vez, e posso te derrotar novamente.
__Não me menospreze, seu judeuzinho de merda!
O malfeitor o suspendeu no ar usando a sua telecinese e quando ia matá-lo, Davi partiu para cima do facínora desferindo um soco gancho em seu queixo e o derrubou.
Jeú conseguiu se libertar do feitiço, voltando para o chão, e levantou o vilão o segurando pelo colarinho.
__Agora, você vai ver do que sou capaz.
__É mesmo?
Jack da Lanterna se teletransportou para longe, escapando das mãos do militar, e usando o seu poder maléfico começou a levitar pedras e arremessá-las contra os heróis.
Davi e Jeú se esquivavam das pedras, mas acabaram sendo atingidos por algumas delas e ficaram feridos.
__Como iremos vencê-lo?
__Eu já o venci uma vez, e posso vencê-lo de novo.
O capitão sacou a sua pistola Colt calibre 45 e efetuou alguns disparos na direção do feiticeiro.
O Herói aproveitou a distração do vilão, que se ocupava paralisando as balas, e correu na sua direção e quando se aproximou o suficiente lhe desferiu um chute faca no abdômen, um chute lateral e uma giratória no rosto o nocauteando.
Mitra se movia na velocidade da luz e espancava brutalmente os seus oponentes. Ele era muito mais poderoso do que Jack da Lanterna, por isso, seria mais difícil derrotá-lo. O Sol Invencível era um guerreiro realmente imbatível.
Jeú e Davi foram auxiliar os seus companheiros na peleja contra o Sol Invencível, mas o vilão era mais poderoso do que eles imaginavam e não conseguiam vencê-lo.
Abadom e Ciro chegaram para ajudá-los e o Destruidor avançou desferindo diversos tipos de socos em Mitra. O Caçador ia ajudá-lo, mas Abadom disse:
__Vá com os outros enfrentarem Baphomet e deixem esse aqui por minha conta.
__Você acha que consegue dar conta dele sozinho?
__Consigo sim.
O Mestiço e os demais heróis foram até o deus das bruxas tentarem detê-lo e o Destruidor ficou para lutar sozinho contra o Sol Invencível.
__Você é muito corajoso em ficar aqui para me enfrentar sozinho e também muito atrevido por já chegar me golpeando.
__Cala a boca! Mostre-me do que você é capaz.
__Pagará caro pela afronta.
Mitra e Abadom trocaram socos e chutes espancando um ao outro com eficiência. Ambos eram extremamente poderosos, mas o Destruidor conseguiu prevalecer.
Ciro soltou várias descargas elétricas no Bode de Mendes, mas a besta assassina permanecia de pé pelejando.
Shiro, empunhando a sua Katana, a traspassou no estômago de Baphomet, e o monstro sanguinário, rindo, o agarrou pela traquéia e o suspendeu no ar.
Alexandre e Apolo golpeavam o deus das bruxas, mas ele parecia imune aos seus golpes e arremessou Shiro em cima deles.
Davi e Jeú pegaram os seus fuzis e efetuaram várias rajadas de tiros contra o Bode de Mendes, mas de nada adiantou.
Baphomet se enfureceu e espancou os heróis ferozmente os deixando gravemente feridos estirados na rua.
Sebastião, junto com os seus soldados, conseguiram um mandato para prenderem os integrantes corruptos do Comando Especial e foram ao seu encalço.
Capitão Fontes e seus subordinados trocaram tiros com os policiais do Exército e tiveram baixas em ambas as tropas.
Tenente Brites se rebelou contra capitão Fontes e trocou tiros com o seu superior; as munições de ambos acabaram e os dois saíram na mão. Capitão Fontes golpeou várias vezes o tenente, mas o militar honesto se irou e o espancou brutalmente o vencendo.
Cabo Alencar trocou tiros com Sebastião e levou um tiro certeiro na fronte caindo morto no chão.
Sargento Bernardo, empunhando uma faca, avançou em Sebastião, mas o capitão se esquivou de sua trajetória e desferiu um chute frontal em suas costas o derrubando. O sargento se levantou irado e o herói lhe desferiu um soco jab e um soco direto na cara lhe quebrando o nariz. O militar corrupto ainda tentou matá-lo, mas acabou sendo surrado e dominado.
Os Illuminati infiltrados no Comando Especial foram capturados e presos; e Sebastião ficou muito feliz por ter cumprido o seu dever.
Ciro, o Caçador, concentrou todo o seu poder e juntou as suas mãos formando uma enorme bola de energia elétrica e a lançou no deus das bruxas que ficou seriamente ferido. O Bode de Mendes, mesmo muito ferido e caindo aos pedaços, ainda persistia. De repente, vários tanques de guerra cercaram a besta assassina e a estraçalharam com os seus mísseis. Assim, Baphomet foi destruído novamente.
Drakon, o Terrível, ficou furioso ao ver a derrota de seus capangas e prometeu para si mesmo que se vingaria dos Guerreiros de Cristo. Davi e seus amigos retornaram para as suas casas felizes por terem vencido os matadores enviados por Drakon. Os Illuminati foram derrotados, mas não desistiriam tão fácil de dominar o mundo.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

SERVOS DA JUSTIÇA


(Quando eu escrevi esse artigo esqueci de mencionar que no Concílio de Jerusalém também foi proibido comer animais que morreram estrangulados. Mas, na minha humilde opinião, essa proibição é algo do Judaísmo, ou seja, da época da Lei, então, não significa nada para os cristãos da atualidade).


“Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho. Dêem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra”. (Romanos 13:1-7)

Na Carta aos Romanos, o apóstolo Paulo foi claro quando disse que as autoridades governamentais foram estabelecidas por Deus, ou seja, as autoridades são servas de Deus e agentes da justiça divina para castigar os malfeitores. O apóstolo Paulo afirmou que a função das autoridades constituídas é castigar os criminosos e enaltecer os cidadãos que praticam o bem. Todas as autoridades procedem de Deus, inclusive, as Forças Armadas e a polícia, pois os militares e policiais são servos de Deus para punir os que praticam o mal.

“Então, alguns soldados lhe perguntaram: E nós, o que devemos fazer? Ele respondeu: Não pratiquem extorsão, nem acusem ninguém falsamente, e contentem-se com o seu salário”. (Lucas 3:14)

João Batista era o precursor do Messias e foi o maior de todos os profetas. Portanto, quando ele disse para os soldados permanecerem no serviço militar, ele sabia o que estava fazendo. João Batista em nenhum momento recriminou os soldados, pelo contrário, ele lhes disse para continuarem a serem militares e exercerem a sua função com honestidade.

“Nenhum soldado em serviço se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra”. (2 Timóteo 2:4)

Há muitas semelhanças entre a vida cristã e o serviço militar, por isso, o apóstolo Paulo vivia comparando ambos. Os cristãos devem ser como soldados, isto é, devem acatar as ordens de seu Senhor e cumprir a sua missão.

Sobre o Juramento à Bandeira, na verdade, os militares não juram, mas, sim, prometem que lutarão e se for preciso até morrerão para poderem proteger a sua nação. Quando eu me alistei no Exército, não fiz nenhum juramento, mas apenas prometi que lutaria pelo meu país caso fosse necessário.

No Concílio de Jerusalém, os judeus cristãos decidiram que todos os seguidores de Jesus não devem comer alimentos sacrificados aos ídolos, nem praticar relações sexuais ilícitas e nem beber sangue. Na 1 Carta aos Coríntios, o apóstolo Paulo ensinou que os cristãos podem comer alimentos sacrificados aos ídolos sim, portanto, que não escandalizem os irmãos “fracos” na fé. Se os cristãos orarem para Deus abençoar os alimentos sacrificados aos ídolos, não há problema nenhum em comê-los. O sexo deve ser praticado somente dentro do casamento mesmo. O sangue foi proibido de ser ingerido, porque no contexto daquela época, os pagãos bebiam sangue para adorar os seus deuses. Entretanto, hoje, não há problema algum em comer frango ao molho pardo, chouriço ou até mesmo beber sangue de galinha para sobreviver na selva.

Em relação a “cultuar as tradições”, na verdade, os militares não prestam culto as tradições e nem aos heróis do passado, mas, simplesmente, eles relembram os feitos do passado e prestam homenagens a esses grandes guerreiros, no entanto, ninguém bate continência ou se curva diante de quadros e estátuas.

Nos três primeiros séculos, era complicado para os cristãos primitivos se alistarem no Exército (apesar de terem existido cristãos militares durante esses períodos) por causa do culto imperial, dos sacrifícios aos deuses, dos rituais idolátricos e dos juramentos pelos deuses. Entretanto, hoje, os cristãos podem ser militares sem se envolverem com a idolatria greco-romana, portanto, os cristãos podem ser policiais e soldados sem problema nenhum.