terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O SEXTO MANDAMENTO


A falta de conhecimento bíblico da maioria dos cristãos chega a me enojar, pois inúmeros religiosos alienados somente sabem demonizar tudo o que encontram pela frente e pregam heresias usando versículos bíblicos fora de contexto. Quase todos os cristãos não entendem o sexto mandamento “não matarás” e usam e abusam da tradução errada desse mandamento para poderem atacar pedras na polícia e nas Forças Armadas alegando que todos os policiais e militares são assassinos impiedosos excluídos da Graça de Deus.

No Antigo Testamento, Deus, mandou os seus servos matarem outras pessoas e até ordenava a pena de morte. Então, será que Deus estava se contradizendo quando disse “não matarás” e depois ordenou que os seus guerreiros matassem? Claro que não. O verbo hebraico usado no sexto mandamento é “ratsach” e o verbo grego usado para o mesmo mandamento no Novo Testamento é “foneuo” e ambos os verbos são usados para se referir ao assassinato criminoso e nunca para a legítima defesa ou para a pena capital. A tradução mais correta do sexto mandamento para o português é “não assassinarás”, ou seja, não assassine ninguém. Há diferença entre matar para se defender e assassinar alguém apenas por maldade. A Palavra de Deus nunca condenou a legítima defesa e a pena de morte, isto é, os soldados matarem na guerra e o Estado executar criminosos perigosos autores de crimes hediondos e bárbaros têm a aprovação divina. O sexto mandamento proíbe o homicídio deliberado, intencional e ilícito. Deus ordena a pena capital para a violação desse mandamento. O Novo Testamento não condena somente o assassinato criminoso, mas também o ódio. Portanto, odiar outras pessoas também é assassinar, ou seja, os pacifistas que odeiam são tão homicidas quanto os supostos “assassinos” que eles tanto adoram acusar e condenar.

O pacifismo é a maior hipocrisia que existe sobre a face da Terra. Os pacifistas não matam com as mãos, mas matam com a língua. Os pacifistas não matam com armas, mas matam com palavras. A língua pode ser mais afiada e mortífera do que uma espada, isto é, ela é capaz de destruir vidas.

“visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal”. (Romanos 13:4)

O apóstolo Paulo foi claro quando disse que o Estado é ministro de Deus para o nosso bem e que Deus lhe autorizou a usar a espada para castigar os malfeitores. A palavra grega usada para espada é “machaira” que é um símbolo da pena de morte.

Antigamente, eu defendia a pena capital com unhas e dentes, mas, hoje, eu não sou tão favorável a ela (apesar da pena de morte ter embasamento bíblico). Durante a minha vida, eu conheci alguns ex-bandidos, que depois que se converteram a Cristo se tornaram novas criaturas. Reconheço que Jesus pode mudar as vidas dos criminosos. A minha intenção, através desse texto, é mostrar que a Palavra de Deus apóia as autoridades constituídas no combate ao crime. Quem não é a favor da pena capital, eu respeito a sua opinião. Mas, o que me dá muita raiva é ver um bando de religiosos idiotas que não sabem nada da Bíblia ficar amaldiçoando a polícia e as Forças Armadas alegando que elas são instituições do Diabo, mesmo com a Palavra de Deus falando que as autoridades foram estabelecidas por Deus.

Eu conheço pessoalmente alguns militares e policiais cristãos que amam a Deus acima de todas as coisas e que se esforçam para viver o Evangelho. A Bíblia conta sobre guerreiros que pelejavam e não se envolviam com a corrupção. Existem autoridades cristãs que são honestas e que fazem a diferença nesse mundo.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

ERAS SOMBRIAS


“Se você crê somente no que gosta do Evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê, mas, sim, em si mesmo”. (Agostinho de Hipona).

Desde os primórdios da Igreja Cristã, muitos cristãos somente enxergam na Bíblia o que lhes convêm e apenas acreditam no que lhes interessa. Os cristãos durante a História sempre inventaram pecados e proibiram coisas que Deus nunca proibiu. Jesus Cristo disse que o seu jugo é suave e o seu fardo é leve, mas muitos cristãos dão mais valor às doutrinas de preceitos de homens do que aos mandamentos de Deus. O Evangelho é liberdade e não prisão, ou seja, seguir a Jesus é algo prazeroso, mas muitos cristãos tornam a vida cristã num verdadeiro Inferno. Hoje, inúmeros cristãos pensam que o Evangelho é somente prosperidade e bênçãos, mas não levam as coisas de Deus a sério. A hipocrisia e o fanatismo religioso sempre foram os alicerces da Igreja Cristã, pois a obsessão de ver o Diabo em todo lugar sempre fez parte da história do Cristianismo. O Evangelho é amar a Deus acima de todas as coisas e amar o próximo com sinceridade, mas, infelizmente, os cristãos sempre entenderam o amor como sendo sinônimo de omissão diante do mal. O Evangelho também é submissão as autoridades constituídas, mas os cristãos não costumam se submeter a elas e sempre foram negligentes no seu dever de interceder a favor das autoridades instituídas pelo próprio Deus.

Com o passar dos séculos, desde que Jesus Cristo e os apóstolos fundaram a Igreja Cristã, os cristãos passaram por várias eras sombrias. Épocas turbulentas assolaram a Igreja de Cristo, mas, infelizmente, a Igreja Cristã sempre foi movida a tribulação, porque quando não há perseguição, os cristãos se acomodam e começam a levar as coisas de Deus na brincadeira.

Durante a Idade Antiga, o Império Romano perseguiu implacavelmente os seguidores de Jesus e inúmeros deles foram degolados, crucificados, e lançados as feras. Apesar da determinação admirável dos cristãos primitivos em persistir com a sua fé, eles cometeram muitos erros, pois os primeiros cristãos demonizavam o Estado (mesmo com a Palavra de Deus falando que o Estado é ministro de Deus para o nosso bem) e odiavam os judeus, que também fazem parte do povo de Deus, porque Deus nunca abandonou Israel; isto é, tanto os cristãos quanto os judeus são o povo de Deus.

Na Idade Média, a Igreja Católica oprimia o povo e mandava para a fogueira todos os que questionavam os seus ensinamentos heréticos. Inúmeras pessoas inocentes foram queimadas vivas acusadas de serem bruxas ou hereges, apenas, porque ousaram questionar as coisas erradas que a Igreja Cristã da época praticava.

Durante a Idade Moderna, o monge agostiniano Martinho Lutero reformou a Igreja Cristã restituindo a identidade da Igreja de Cristo. Os luteranos e calvinistas empunharam armas para combater a Igreja Católica e fazer o Cristianismo voltar as suas raízes (retornar aos ensinamentos bíblicos ensinados por Jesus e pelos apóstolos). Na minha opinião, a melhor época da Igreja de Cristo foi a da Reforma Protestante, pois nessa época, os cristãos realmente viviam o Evangelho puro e simples ensinado por Jesus.

Na Idade Contemporânea, com a ascensão do Comunismo na União Soviética, na China, na Coréia do Norte e em outros países asiáticos, inúmeros seguidores de Jesus foram perseguidos, torturados e exterminados, somente, porque cometeram o “crime” de se converterem a Cristo. Em muitos países islâmicos, os cristãos são perseguidos e mortos impiedosamente por causa do Evangelho também.

Infelizmente, os cristãos geralmente levam Deus a sério somente debaixo de perseguição e isso entristece muito o meu coração. O Evangelho é maravilhoso e ser amigo de Deus é a melhor coisa que existe. Nós, cristãos, devemos reter as coisas boas que os nossos antepassados fizeram, mas não podemos cometer os mesmos erros. Nós temos que aprender com os erros do passado para podermos acertar no futuro.

Em todas as épocas em que a Igreja de Cristo foi perseguida, o Cristianismo se proliferou e o Evangelho alcançou lugares inimagináveis. Eu realmente gostaria que a Igreja Cristã aprendesse a levar as coisas de Deus a sério sem ter que ser perseguida, mas, infelizmente, o Cristianismo sempre foi sustentado pelo sangue dos mártires.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

O CORAÇÃO DO HOMEM


“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá”? (Jeremias 17:9)

Ultimamente tenho estado muito confuso, pois estou sendo tentado a acreditar que o certo é o errado e que o errado é o certo. Será que a verdade é mentira? Ou será que a mentira é verdade?

A hipocrisia se alastra sobre a Igreja Cristã desde a sua origem, porque os cristãos sempre pregaram ensinamentos que Jesus Cristo nunca ensinou. A maioria dos cristãos primitivos pregava a demonização das autoridades constituídas e o anti-semitismo sem nenhum embasamento bíblico. Existiram cristãos que eram exceções, ou seja, que oravam a favor das autoridades e não tinham nada contra os judeus. Mas, infelizmente, quase todos os primeiros cristãos eram anti-militaristas e anti-semitas. Já estou cansado de escrever em meus artigos sempre as mesmas coisas. Para quem já leu as minhas obras, já sabe que eu sou defensor da lei e da ordem e que admiro muito a raça judaica. Na Carta aos Romanos é relatado que as autoridades foram instituídas por Deus, isto é, os militares, policiais, magistrados e políticos são ministros de Deus e vingadores para castigar os malfeitores. Infelizmente, eu já cansei de provar na Bíblia que a obrigação dos cristãos é interceder a favor das autoridades e não ficar praguejando contra elas; mas, os “seguidores de Jesus” não querem me ouvir. Então, resolvi não dar mais as coisas santas aos cães e nem jogar pérolas aos porcos.

“... o Deus Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e coloca no poder a quem Ele quer”. (Daniel 5:21)

A Palavra de Deus é clara quando diz que Deus tem domínio sobre os reinos dos homens, ou seja, Ele estabelece os reis da Terra. Os cristãos que não querem acreditar nisso, não acreditam na Bíblia. O interessante é que quando a Dilma Rousseff ganhou a eleição, muitos crentes falaram que foi o Diabo que colocou ela no poder, mas se o José Serra tivesse ganhando aí teria sido Deus que colocou. Apesar de eu ser esquerdista, não tenho nada pessoal contra os políticos de direita (reconheço que existem bons políticos nesse meio) e tenho orado pelo governador Geraldo Alckmin para que ele faça um bom governo, e faria o mesmo pelo José Serra se ele tivesse ganhado a eleição, porque Deus ordena que eu ore a favor das autoridades constituídas, eu gostando delas ou não. Infelizmente, é mais fácil convencer uma mula disso do que certos cristãos.

Durante a minha vida inteira sempre presenciei o mau testemunho de crentes hipócritas que não praticam o que pregam. Os crentes falsos moralistas sempre me atacaram pedras, dizendo que irei para o Inferno quando morrer, apenas, porque ouso questionar as coisas erradas e lutar pelo que é certo. Já estou farto de tanta hipocrisia, pois os religiosos alienados dominam as igrejas evangélicas e os cristãos verdadeiros se omitem diante dessa orgia. Os “ungidos de Deus” (que de ungidos não têm nada) pregam heresias e exploram os ignorantes acreditando que ficarão impunes de seus crimes. A cada dia que passa, tenho sido tentado a acreditar que o pecado compensa, porque é tanta injustiça e impunidade que vejo que não sei mais o que fazer. Na Palavra de Deus está escrito que o que o homem semear, ele também ceifará. Mas vejo as pessoas que conhecem a verdade praticando a maldade contra os seus semelhantes. Muitos desses evangélicos descem a porrada em crianças indefesas alegando que estão “educando”, e outros se dizem pacifistas, mas têm a língua mais afiada e mortífera do que uma espada; e esses religiosos hipócritas fazem tudo isso, porque eles têm a certeza da impunidade. A Bíblia nos ensina que o amor não folga com a injustiça, mas para quase todos os cristãos, amor é sinônimo de omissão.

Durante o tempo que vivi, conheci pessoas ruins de todas as raças e classes sociais, mas também conheci pessoas maravilhosas. Em todas as raças e classes sociais existem pessoas realmente boas. Não é certo generalizar, por isso, não devemos ser preconceituosos. Eu reconheço que existem cristãos sinceros que são verdadeiros seguidores de Jesus, mas, infelizmente, eles são a minoria.

“Mas o que sai da boca, vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias”. (Mateus 15:18-19)

O coração do homem natural é cheio de crueldade e vilania, mas o homem espiritual luta contra a sua natureza maldita para poder praticar o bem, isto é, para fazer o que é certo. Existem muitos “santinhos” por aí que usam máscaras de santos, mas por dentro são podres. A Igreja de Cristo tem apresentado um teatro macabro e eu já cansei de ser a platéia, ou seja, quero fazer a diferença.

Muitas pessoas adoram falar mal da polícia e dos políticos, mas até entre essas autoridades existem pessoas honestas que têm corações bons.

Conheço pessoalmente policiais honestos que fazem a diferença. Um deles é tenente da Corregedoria da Polícia Militar (não citarei o nome dele por medida de segurança). Outro é meu primo, Valdinei, que é soldado da Força Tática. Há alguns anos, conheci um policial militar chamado Rogério, e ele era um soldado que sonhava em entrar na Academia do Barro Branco para poder se tornar tenente. Rogério fazia um cursinho pré-vestibular junto comigo e conversávamos sobre muitas coisas. Infelizmente, esse meu amigo acabou morrendo em um acidente de moto. O meu primeiro amigo no Orkut foi um investigador da Polícia Civil chamado Rodrigo, que hoje é perito criminal. Eu citei alguns policiais honestos, mas com certeza existem outros.

Marina Silva e Magno Malta são políticos honestos, pois nunca se soube que eles se envolveram com a corrupção. Esses políticos são servos de Deus que fazem a sua parte para melhorar o país. No filme “Tropa de Elite 2”, é mostrada toda a corrupção que assola o Brasil, principalmente no Rio de Janeiro. Apesar de toda a corrupção, é revelado também que existem policiais como o Roberto Nascimento, e políticos como o Diogo Fraga, que são honestos e fazem a diferença no país. Esse filme mostra a realidade do Brasil, isto é, que há autoridades corruptas, mas que também existem autoridades honestas.

“Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade”. (Mateus 7:22-23)

Os cristãos têm que tomarem muito cuidado com o que fazem e deixam de fazer, porque um dia eles terão que prestar contas a Deus. As pessoas que conhecem a verdade serão muito mais cobradas do que os incrédulos. Então, é melhor os “seguidores de Jesus” prestarem muita atenção no que fazem, pois mau testemunho também é pecado. Deus não é cego, surdo e nem burro. Portanto, os crentes hipócritas têm ficar espertos se não quiserem sofrer no Inferno.

A conclusão que cheguei é que realmente existem pessoas sádicas e perversas (principalmente dentro da Igreja Cristã), mas também descobri que há pessoas extremamente boas que sabem o que é amar o semelhante. Conheço incrédulos que dão mais testemunho do que certos crentes que conheço. Tenho um amigo que é adepto de uma religião japonesa, mas ele tem atitudes de um verdadeiro servo de Deus; porque esse meu amigo é bom, honesto, e têm princípios (algo raro entre os cristãos da atualidade). Conversei com Deus diversas vezes sobre esses assuntos e decidi fazer a minha parte, ou seja, eu tentarei ser o sal da Terra e a luz do mundo.