terça-feira, 19 de maio de 2009

LANÇADO NO ESCURO


Durante a minha vida inteira presenciei a injustiça prevalecer, porque os malfeitores aproveitam-se da impunidade para praticar as suas maldades, sabendo que não arcarão com as conseqüências de seus atos, por isso, vivo em agonia desde a minha infância.

Quando eu era criança fui humilhado e espancado; as feridas físicas cicatrizaram-se, mas as feridas de minha alma estão abertas até hoje.

Tenho sérios problemas psiquiátricos e psicológicos e tomo diariamente remédios controlados para poder conter o meu impulso homicida, pois não quero machucar pessoas inocentes.

Conheço religiosos hipócritas que endiabram as artes marciais e tratam com brutalidade os seus filhos, sobrinhos e netos. Esses indivíduos pregam a paz e o amor, mas praticam a violência e a estupidez contra crianças indefesas, então, eles não têm moral para condenar as lutas esportivas. Sempre desejei ser forte e habilidoso em combate para poder defender os fracos e oprimidos, mas fracassei no Kung Fu, e estou fracassando no Jiu-Jitsu também. Infelizmente, sou um fraco e oprimido destinado à derrota, portanto, não posso proteger os indefesos.

Antigamente, eu era magro e bonito, mas atualmente sou gordo e feio, e isso acaba com a minha auto-estima. Como eu gostaria de ser forte e formoso, mas por falta de dinheiro, continuarei sendo essa coisa horrível.

Vejo pessoas boas que poderiam defender-se de seus algozes, porém, elas lambem as botas de seus opressores e regozijam-se com a opressão.

Será que Deus realmente castiga os facínoras que vivem na pratica do pecado ou é apenas mais um que finge que nada está acontecendo?

A omissão de Deus diante do mal sempre me incomodou, porque Ele é quem deveria castigar os perversos e não os justiceiros, mas infelizmente são os esquadrões da morte que têm tentado punir os culpados.

Eu somente quero justiça, mas parece que Deus não está nem aí para mim. A Bíblia diz que a vingança pertence a Deus, mas o Todo-Poderoso não me vinga e nem sei se algum dia me vingará.

Observo todos os dias os malfeitores zombando da justiça de Deus, pois eles têm a certeza de que ficarão impunes. Quando os maus serão castigados?

Fui lançado no escuro, onde as trevas prevalecem, porque nesse lugar não há justiça e os facínoras fazem o que bem entendem com inocentes que não podem se proteger.

Eu invejo os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos, pois para eles não há preocupações e os seus corpos são sadios e fortes. Os malvados não partilham das canseiras dos mortais e nem são afligidos como os outros homens; daí a soberba que os cinge como um colar e a violência que os envolve como manto.

Converso diariamente com Deus, entretanto, não sei se Ele presta atenção nas coisas que falo. Quero muito ser um cristão verdadeiro e servir a Deus, mas infelizmente sou um pecador imundo. Tentei libertar-me inúmeras vezes do pecado, porém, nunca consegui.

A minha alma está abatida por causa da crueldade das pessoas ruins que oprimem os indefesos, tendo a certeza de que jamais pagarão por seus crimes, e eu apenas posso lamentar sobre isso.

O maior desejo de meu coração é que a justiça prevaleça, ou seja, que os culpados sejam punidos, porque somente quero que Deus cumpra com a sua obrigação, que é castigar os maus e abençoar os bons.


(Quando escrevi essa crônica eu estava muito revoltado com Deus, mas hoje, sei que Ele sabe o que faz e tem o controle sobre todas as coisas).