sexta-feira, 27 de junho de 2008

DRAGON BALL



Dragon Ball é um mangá japonês criado por Akira Toriyama e publicado em 42 volumes, inicialmente na revista Shonen Jump, a partir de 1986 (cerca de 6 páginas semanais). Rapidamente convertido para a TV, liderou audiência no Japão por 11 anos. O mangá deu origem a duas séries de anime que tiveram um enorme sucesso, tanto no Japão como no resto do mundo: Dragon Ball, Dragon Ball Z e ainda Dragon Ball GT, uma terceira série cuja história não se baseia no mangá. O anime Dragon Ball tem sua história baseada nos 16 primeiros volumes do mangá original, a seqüencia Dragon Ball Z tem sua história baseada nos 26 volumes restantes e o último anime da série, Dragon Ball GT, não existe em mangá.

Pegando elementos da mitologia japonesa, Akira criou um mundo fantasioso, com lutas espetaculares, poderes, dinossauros e qualquer coisa que sua imaginação permitisse. Tudo começa com um pequeno garoto com rabo de macaco, Son Goku (nome retirado da lenda), que parte com a Bulma atrás das Dragon Balls (Esferas do Dragão no Brasil e Bolas de Cristal em Portugal) que podem realizar qualquer tipo de desejo. A história segue cheia de lutas, aventuras, tramas e vilões surpreendentes.

A história de Dragon Ball conta a vida de Son Goku, um menino com cauda de macaco, baseado na lenda chinesa Viagem ao Oeste (西遊記), desde as suas aventuras enquanto criança até se tornar avô. Durante a sua vida, participa de muitas batalhas com adversários cada vez mais fortes procurando sempre aumentar a sua força. Nas suas viagens, Goku conhece várias pessoas criando muitas vezes uma amizade muito forte com elas que o ajudam a vencer os vilões da história.

As Esferas do Dragão/Bolas de Cristal são alguns dos componentes da história. São sete bolas de cristal mágicas que estão espalhadas pelo planeta e que possuem estrelas no seu interior (de uma a sete). Quando todas são reunidas se o portador souber as palavras mágicas são usadas para invocar o dragão Sheng Long que realiza um desejo (com limites). Depois do desejo ser concedido as bolas transformam-se em pedra e espalham-se pelo planeta ficando impossíveis de serem usadas e detectadas durante um ano. Em tempos passados, demoraria gerações para procurar e juntar as esferas. No entanto, no início da história, uma garota chamada Bulma cria o Radar do Dragão para detectá-las tornando o processo mais fácil e rápido do que deveria ser. No decorrer da série, as "Dragon Balls" deixam de ser o tema principal para serem apenas um elemento secundário.

O início da viagem fantástica de Goku começa com o aparecimento da jovem Bulma que está atrás das esferas. Goku mora nas montanhas sozinho desde que o seu avô Son Gohan morreu. O objeto que ele guarda como uma lembrança de seu avô é uma das Esferas do Dragão. Eles se conhecem e ela conta para Goku sobre os poderes das Esferas, pede-lhe que ele lhe entregue sua esfera e conta que descobriu num pergaminho a história de que ao juntar as sete esferas mágicas é possível invocar um dragão chamado Sheng Long e que este pode realizar qualquer desejo que lhe peçam. No entanto, Goku não queria entregar a esfera porque era uma lembrança muito forte de seu avô, e assim decide ir com Bulma atrás das Esferas do Dragão. No caminho conhece muitas pessoas como Oolong (um porco que consegue alterar a sua forma), Yamcha (um bandido do deserto), Pual (um bicho voador com os mesmos poderes que Oolong que vive com Yamcha), Mestre Kame/Tartaruga Genial (um velho mestre de Artes Marciais), Kurilin/Krillin (um jovem monge que procura os ensinamentos do Mestre Kame) e Lunch (uma jovem que possui dupla personalidade, que se manifesta ao espirrar e seu cabelo muda de cor e sua personalidade varia entre violenta e bondosa). Enfrenta muitos perigos e inimigos, como Pilaf, o Exército da Patrulha Vermelha/Red Ribbon e o Rei Demônio Piccolo.

Na saga Dragon Ball, narra-se por completo a evolução interior e exterior do pequeno Goku, cujo desenvolvimento, não apenas físico mas também aquele que tange à formação do caráter, é acompanhado de perto durante um longo percurso: seu treinamento, seu crescimento, a paternidade, como lida com a criação de seu filho e como se mostra ausente no acompanhamento deste, e assim consegue encontrar seu próprio caminho da mesma forma como o pai criou-se sozinho, sem no entanto desprezar a importância das relações sociais, até com seus próprios desafetos, na formação do caráter. Vale notar que a citada evolução interior se dá no sentido de adequação às normas sociais: de uma pessoa criada no campo, onde não há regras de convivência, até se tendo que se adaptar a vida no centro urbano, fato este que é consolidado na união matrimonial - símbolo maior da possibilidade de conviver.

Uma das metáforas de Dragon Ball descreve o autocentrismo do homem contemporâneo: a história centra-se numa figura de um herói onipotente e auto-suficiente; quando há na história grupos sociais, estes revelam-se impotentes para combater o poder de um opressor superior e apenas outro poder supremo e individual consegue derrotá-lo e cessar a exploração. A pertinência de Goku em não deixar seu lado "humano" está exatamente em mostrar seu engajamento social, a luta contra a opressão e a servidão étnica.

A desconstrução do mito do homem autárquico, no entanto, encontra-se na própria obra: para alguns adversários, os esforços individuais de Goku revelam-se fúteis; faz-se mister, por conseguinte, não apenas uma associação com outros heróis (alguns dos quais também expostos como egocêntricos e independentes em algum momento), mas também com a totalidade da raça humana, de modo que a coletividade prevaleça sobre a individualidade.

Além do individualismo, se revela um desenraizamento social do herói. Quando este desenraizamento se rompe, como no caso do conflito entre raças em Namek, Goku se vê forçado a assumir uma posição e assim fica ao lado de um dos grupos sociais existentes, que geralmente são os grupos oprimidos e isto reforça o seu caráter axiológico de altruísmo e abnegação. Enfim, uma verdadeira epopéia.

Apesar de todo o seu conteúdo de Artes Marciais, a história de Dragon Ball centra-se fundamentalmente à volta de um tema de redenção, geralmente através de exposição aos ideais "puros" de Son Goku e Son Gohan. Quase todos os maiores personagens no mangá apareceram como vilões, mas de uma forma ou de outra acabaram por se converter para o lado do bem. Muitas vezes, isto inclui uma aliança temporária para derrotar um inimigo maior, depois da qual de alguma forma, os inimigos anteriores raramente encontram motivação para recomeçar a lutar. Este tema é evidente desde o início (com a conversão de Yamcha, Oolong e Pual) e continuando para além do Dragon Ball Z. Este estilo de redenção não é único (é bastante comum em comics americanos), mas é significativo, pois persiste apesar de outras grandes mudanças em estilo e tom. Outros elementos como a importância da família e da amizade e ideais como o esforço e o sacrifício estão também presentes.

Peguei alguns trechos interessantes que achei na Wikipédia para mostrar o lado bom do desenho (apesar de conter ocultismo), pois na Bíblia se ensina que devemos reter de tudo o que é bom e em Dragon Ball e em outros animes têm muitas coisas boas para se reter.

Quando eu era criança gostava mais de Cavaleiros do Zodíaco, mas desde o ano passado tenho me encantado com Dragon Ball (o primeiro, porque do Z não gostei muito e pior ainda é aquele lixo do GT). Gosto demais dos personagens humanos (Tenshinhan, Yamcha e Kurilin) e acho que o Akira Toriyama estragou o desenho na Saga Boo, pois o Piccolo e os guerreiros humanos foram desprezados e somente os sayajins foram exaltados; foi o maior Sayajincentrismo do caramba e passei a odiar a Saga Boo e o Dragon Ball Gt, porque apenas os sayajins foram os bons e os melhores.

Tenho acompanhado Dragon Ball no Cartoon Network e fico ansioso para assistí-lo todas as noites e agora está passando a Saga do Piccolo Daimaoh (O Grande Rei dos Demônios) e Goku está prestes a lutar com ele novamente e derrotá-lo. Adoro a épica luta entre o Bem e o Mal nos desenhos animados (principalmente nos animes) e sempre torço pelos heróis.

A alegria de minha vida está sendo assistir Dragon Ball e a Novela Pantanal, que está sendo reprisada no SBT (Sistema Brasileiro de Televisão). Tenho certeza que Deus não me recrimina por eu assistir à animes e sei que aprendi muitas coisas boas com esses desenhos (como perdoar e amar) e estou cagando e andando para os religiosos hipócritas que ficam metendo o pau nesses animes (como o Josué Yrion e seus seguidores).